Na cidade

Os leitores da NiT decidiram: este é o melhor passadiço de Portugal

Os Passadiços do Paiva são complementados por uma enorme ponte pedonal suspensa, que se eleva 175 metros acima do rio Paiva.
Não houve margem para dúvidas.

A NiT colocou na última quarta-feira, 20 de abril, uma questão que poderia dividir opiniões: qual é o melhor passadiço do País? Porém, a resposta dos leitores foi clara. Com 42 por cento dos votos, os passadiços do Paiva foram eleitos os melhores de Portugal.

No total, a votação contou com 297 participações, e 125 pessoas acabaram por escolher esta maravilha de Portugal, que atravessa regiões verdadeiramente idílicas. Esta infraestrutura é destacada não só pelos leitores da NiT, mas também por publicações internacionais. Já foi eleita várias vezes como a Melhor Atração Turística de Aventura do Mundo nos World Travel Awards.

Os famosos passadiços construídos em 2015 permitem percorrer a pé oito quilómetros, ao longo de um trilho rodeado de natureza selvagem, na margem esquerda do Rio Paiva, numa zona conhecida como a Garganta do Paiva, concelho de Arouca, distrito de Aveiro.

Aqui, encontra águas bravas, cristais de quartzo e várias espécies em extinção na Europa. Passa pelas praias fluviais do Areinho e de Espiunca, encontrando-se, entre as duas, a praia do Vau. Passa por pontes suspensas, pequenos lagos de água nas rochas, muitas sombras, a natureza no seu estado mais puro.

A partida é feita e, Areinho — Espiunca e o percurso pedonal é feito em estruturas em madeira de pinho, assentes em ferro implantado nas rochas. O nível de dificuldade é considerado alto, devido sobretudo a alguns desníveis acentuados: é necessário para subir e descer vários degraus e existem três troços de terra batida. A duração média é de cerca de 2h30 para cada lado. A rota passa também por vários geossítios: a Garganta do Paiva (G36); a Cascata das Aguieiras (G35); a Praia Fluvial do Vau (G30); a Gola do Salto (G31) e a Falha de Espiunca (G32). 

Os passadiços do Paiva, porém, não têm tido um percurso fácil: a 11 de agosto de 2016, um incêndio atingiu a estrutura de madeira e destruiu 700 metros. O acontecimento obrigou a encerrar metade do trajeto (de oito quilómetros passou para quatro) e, durante vários meses, os visitantes foram obrigados a ficar pelo caminho. Em setembro de 2016, noutro incêndio, já cerca de 600 metros haviam sido destruídos. Os passadiços foram recuperados e voltaram à ter a extensão original. Ao longo do tempo têm sido sempre melhorados, continuando a conquistar milhares de visitantes. 

Perto dos passadiços encontra outra atração que já foi mencionada em alguns órgãos de comunicação internacionais, como o “The Guardian” ou a “BBC”. Falamos-lhe, claro, da 516 Arouca, uma ponte pedonal que abriu a 2 de maio de 2021 e que, tal como o nome indica, tem um comprimento de 516 metros e está suspensa a 175 metros acima do rio Paiva. 

O valor da entrada nos passadiços do Paiva é de 2€ por pessoa. As crianças até aos dez anos não pagam. De maio a setembro o percurso estará aberto das 8 horas às 20 horas. Porém, não são aceites visitantes após às 17 horas.

Pode carregar na galeria para conhecer o ranking dos 10 melhores passadiços de Portugal, segundo os leitores da NiT.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT