Na cidade

Os novos passadiços de Monção são junto ao rio — e o grande sucesso das redes sociais

Os Passadiços "A Galiza mail'o Minho" ganham nome numa homenagem a João Verde, pseudónimo do poeta José Rodrigues Vale.
Imagem da autarquia.

Monção: vila raiana no distrito de Viana do Castelo, no Alto Minho. Banhada pelo rio, com muralhas, natureza, gastronomia, cultura. E com novos passadiços de madeira que ligam tudo isto, enquadrados por uma paisagem magnífica — e que já começam a ser um sucesso nas redes sociais.

Abertos ao público no passado dia 21 de março, Dia Mundial da Poesia e da entrada na primavera, os passadiços “A Galiza Mail’o Minho” foram visitados, esta semana, pelos autarcas e entidades locais, que iniciam assim a divulgação e comunicação do novo espaço de usufruto público.

Segundo a Câmara Municipal de Monção nas suas redes e páginas oficiais, o percurso faz a ligação pedonal entre o centro histórico da vila e o Parque das Caldas, ou seja a sua zona ribeirinha. A intervenção incluiu também, adianta a autarquia, a reconstrução dos muros de suporte dos antigos socalcos de cultivo e a iluminação pública da muralha.

Ao longo dos novos passadiços de madeira, estão disponíveis lugares de “descanso e contemplação”, permitindo aos caminhantes desfrutar de momentos de repouso e, ao mesmo tempo, apreciar a envolvente paisagística, fluvial e monumental. Como principais pontos de destaque, encontra, claro, as águas e margens do rio Minho e as imponentes Muralhas de Monção que são, aliás, monumento nacional desde 1910.

De acordo com a autarquia, a obra incluiu-se na requalificação do Parque das Caldas e área envolvente, onde foram construídas várias estruturas de lazer, entre as quais este passadiço de madeira junto ao rio Minho e ecovia até ao posto aquícola em Troviscoso. O objetivo era de incentivar a atividade desportiva e turística e reavivar o “relacionamento humano com o rio”.

De forma a facilitar uma ligação pedonal entre a zona ribeirinha e o centro histórico da vila, o Município de Monção criou assim estes Passadiços “A Galiza mail’o Minho”, onde até o nome é simbólico.

Trata-se de uma homenagem a João Verde, pseudónimo de José Rodrigues Vale, um poeta da terra conhecido sobretudo pela obra “Ares da Raia”, de 1902, com impressão na cidade galega de Vigo.

Ainda segundo a autarquia, este livro reúne duas dúzias de poemas repartidos por cinco capítulos. Entre estes, destaca-se o mais conhecido. “Vendo-os assim tão pertinho”, poema imortalizado num mural na Alameda General Humberto Delgado, próximo das escadas que dão acesso aos passadiços.

Os passadiços acedem-se assim por uma abertura existente no pano da muralha, junto às escadas do Restaurante Arado, na Avenida General Humberto Delgado.

Monção fica praticamente na fronteira de Portugal, a norte, com Espanha, e pode ser uma escapadinha de primavera ou verão à descoberta dos pontos mais altos e bonitos do Minho e da popular região espanhola de Vigo. 

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT