Na cidade

Papa Francisco ofereceu 15 mil gelados a reclusos das prisões de Roma

Num dos verões italianos mais quentes desde que há registo, o líder da Igreja decidiu oferecer gelados às duas penitenciárias da capital.
Papa oferece gelados

As prisões de Regina Coeli, no centro de Roma, e Rebibbia, na periferia, receberam cerca de 15 mil gelados enviados diretamente pelo Vaticano, num dos verões italianos mais quentes desde que há registo. O Cardinal Konrad Krajewski, responsável do Vaticano por ajudar os mais desfavorecidos, foi quem ficou encarregue da entrega dos gelados nas duas prisões.

Em comunicado, o Vaticano afirmou que o “departamento de caridade não entrou de férias este verão”. E continua, “vários voluntários passaram o seu tempo a dedicar-se a dois das sete obras de misericórdia: visitar os presos e consular os aflitos. Este donativo foi uma das várias pequenas ações levadas a cabo pelo Vaticano este verão, com expectativa de dar alguma esperança às centenas de pessoas nas prisões de Roma”. 

Ainda segundo o comunicado, já em Junho o Papa Francisco tinha convidado 20 prisioneiros para visitar os museus do Vaticano com ele e vários grupos de sem-abrigo visitaram lagos e praias com membros do Vaticano para relaxar e jantar numa pizzaria. 

Este foi um dos verões mais quentes da história da Itália com cidades a atingir os 48,8ºC – em Sicilia – em Agosto. As elevadas temperaturas despontaram fogos em várias regiões sul do país. Quanto à pandemia de covid-19, a igreja forneceu testes e vacinas grátis aos sem-abrigo e aos mais desfavorecidos.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT