Na cidade

Parecem cogumelos: há um novo baloiço de sonho na Serra do Açor

Quatro amigos invejosos com o sucesso dos baloiços nas terras à volta decidiram criar esta atração turística em Arganil.
Ideal para umas fotos incríveis para as redes sociais.

Os baloiços estão claramente na moda, como a NiT tem mostrado em vários artigos ao longo das últimas semanas. Num ano em que voltamos a ir lá fora cá dentro, estes baloiços são um dos melhores locais para tirar fotografias para as redes sociais. A grande novidade da semana é o Baloiço da Carriça, que fica no concelho de Arganil e que se mantém desconhecido para quase todos os portugueses.  

Pedro Sérgio tem 39 anos e juntou-se aos amigos Nuno Martins, Daniel Santos e Ricardo Lopes para construírem esta estrutura em madeira num dos pontos mais altos da Serra do Açor. O grupo soube da existência de um baloiço na Vila de Góis e decidiu ir até lá de bicicleta, como costuma fazer noutros percursos. Quando os quatro amigos chegaram ao Baloiço dos Penedos de Góis, ficaram tão impressionados que no domingo seguinte decidiram ir conhecer o baloiço mais popular daquela região, que se situa na Lousã e que se chama Baloiço do Trevim. 

Perante tanto fascínio, Pedro e os amigos decidiram criar o baloiço original num local que ainda se mantém desconhecido para muita gente. No dia 19 de julho montaram finalmente o tal baloiço que já inspirou vários vídeos e fotografias no Instagram. Pedro estima que já tinham passado pelo local cerca de mil pessoas desde a inauguração. 

“Nunca pensámos ter tantas visitas, nem ser tão falado”, conta Pedro Sérgio à NiT, visivelmente orgulho pelo sucesso do seu monumento.

O nome do baloiço tem a ver com o marco geodésico desta região, que se chama Carriça. Sentados naquele local específico, os visitantes ficam com uma perspetiva magnífica sobre a Serra do Açor. A melhor altura para o visitar é, sem dúvida, durante as primeiras horas da manhã para assistir ao nascer do sol. A alternativa é regressar ao final da tarde, para ver o pôr do sol. 

O único problema são mesmo os acessos. O caminho é complicado e não está totalmente identificado. Existe apenas uma placa no cruzamento que antecede o baloiço, mas há planos para acrescentar mais sinalização este ano. Para quem vem de Coimbra, a capital de distrito, o percurso demora uma hora e inclui uma parte do caminho em terra batida. A 20 minutos de carro está outra das atrações turísticas mais conhecidas da zona: a Fraga da Pena. 

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

NiTfm
Novos talentos

AGENDA NiT