Na cidade

Pela primeira vez, há um português entre os vencedores do Wildlife Photographer of the Year

"Onde as salamandras desovam" saiu vencedora na categoria "Comportamento: Répteis e Anfíbios" e foi capturada por João Rodrigues, do Algarve.
Trouxe a primeira vitória ao País na competição.

O Wildlife Photographer of the Year é uma das maiores competições do fotojornalismo a nível mundial. Este ano, a competição contou com um número recorde de participações, 50 mil, vindas de 95 países. Tal como sempre, o tema do concurso é a conservação da natureza. Enquanto que o tema é algo habitual, a 57.ª edição do Wildlife Photographer of the Year trouxe um marco histórico para Portugal. Foi a primeira vez que um fotógrafo português saiu vitorioso da competição.

“Onde as salamandras desovam” deu a João Rodrigues, natural do Algarve, a vitória na categoria “Comportamento: Répteis e Anfíbios”.

“É um sonho tornado realidade. Permite-me mostrar ao mundo a magia de um dos mais raros e frágeis ecossistemas de Portugal. Esta fotografia representa mais do que uma floresta e a fauna. De uma maneira representa a beleza de todos os ecossistemas que se podem perder para sempre devido à ação humana”, disse João Rodrigues na cerimónia da entrega dos prémios, citado pelo “Público”. “Nunca foi tão urgente lutar contra a poluição e a destruição de lugares naturais”, adianta.

A fotografia.

O grande prémio da competição foi para o fotógrafo e biólogo francês Laurent Ballesta, com uma fotografia que retrata o acasalamento de garoupas camufladas, algo que só acontece uma vez por ano, sempre numa noite de lua cheia.

A fotografia foi captada numa reserva da biosfera em Fakarava, na Polinésia Francesa. O Museu de História Natural de Londres, que organiza o evento, explica que as garupas camufladas são uma espécie em risco, devido à pesca predatória.

“No que pode ser um ano crucial para o planeta, com discussões vitais a ocorrer na COP15 e COP26, a criação de Laurent Ballesta é um lembrete oportuno do que podemos perder se não abordarmos o impacto da humanidade no nosso planeta”, disse Doug Gurr, o diretor do Museu de História Natural.

“Criação”, a grande vencedora da competição.

 

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT