Na cidade

Polícia dispersou cerca de 100 pessoas num ajuntamento na Figueira da Foz

"Não está permitido aquele tipo de ajuntamento", frisam as autoridades. Seriam 4 horas da madrugada.
A Polícia Marítima teve de intervir.

A Polícia Marítima dispersou na madrugada desta quinta-feira, 11 de agosto, cerca de 100 pessoas da Praça do Forte, Figueira da Foz, por incumprimento das medidas de contenção da pandemia da Covid-19.

De acordo com a Autoridade Marítima Nacional citada pela Lusa, o ajuntamento foi interrompido pelas 4h30 da madrugada. A mesma fonte disse não ter sido uma “festa organizada”.

“Não existiu, na altura, qualquer indício que fosse um evento organizado, com música, com bebidas… Foi apenas um ajuntamento de pessoas”, disse. A responsável, Nádia Rijo, adiantou à agência que foi possível detetar que “as pessoas tinham consumido bebidas alcoólicas”, mas “não se conseguiu comprovar que era um evento organizado”.

“Não se verificou o consumo de bebidas alcoólicas [no local], o que nos levou a crer que não havia uma organização por detrás. O que se fez foi restabelecer a ordem, naquilo que são as medidas em vigor. Não está permitido aquele tipo de ajuntamento e teve de se dispersar as pessoas do local”, acrescentou.

Em comunicado, a AMN adiantou que, na sequência da operação do comando local da PM da Figueira da Foz, em conjunto com a PSP, duas pessoas foram identificadas por se recusarem a usar máscara, tendo sido elaborados os respetivos autos de notícia. A Polícia Marítima recolheu ainda duas malas com latas de spray de tinta para graffiti.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT