Na cidade

A história do português que é viciado em brindes da Matutano

Hugo Fernandes tem cerca de oito mil brinquedos, desde pega monstros a tazos. Além das batatas fritas, guardou o que saía com os Bollycao ou os ovos Kinder.

Quem cresceu nos anos 90 lembra-se bem dos dinossauros.

Todos os miúdos dos anos 80 e 90 se lembram do ritual: abrir o pacote de batatas fritas, abaná-lo à procura do saquinho com o brinde, ir resgatá-lo lá ao fundo, ficar com as mãos cheias de gordura e tentar retirar o tão aguardado brinquedo com as pontas dos dedos para não sujar nada. Pega monstros, brincos, caveiras, tazos, dinossauros e centenas de cromos saíam com os produtos Matutano mas, para a maioria de nós, tudo isto se perdeu com o tempo, as mudanças de casa, a necessidade de arranjar espaço para outras coisas, a evolução natural da vida.

Felizmente, nem toda a gente pensou assim — Hugo Fernandes não deitou nada fora e agora tem uma coleção gigantesca de brindes da Matutano aos quais se juntam objetos da Bollycao, Kinder, McDonalds, cadernetas de futebol e de “Star Wars”. No total são entre sete e oito mil.

“Quando éramos pequenos todos tínhamos quase acesso ilimitado a bolos, batatas fritas, não havia o controlo que há agora. Não havia ninguém que não colecionasse estas coisas”, conta à NiT.

Só da Bollycao tem 90 coleções, cada uma com cerca de 80 cromos, mas começar a guardar o que atualmente são relíquias não foi propriamente um ato consciente.

“Tive a sorte de ter um sótão onde consegui esconder muitas destas coisas. Há uns anos a minha mãe descobriu o que havia para lá e nem acreditou.”

Ainda assim, foi ela que guardou durante décadas um dos artigos mais cobiçados pelas meninas. “As argolas da Matutano para mim não tinham grande interesse, por isso ainda bem que ela as manteve na mesa de cabeceira.”

Em casa, na Trofa, os objetos estão catalogados e divididos pela sala, um quarto e o corredor. Todos os dias procura coisas online para comprar, vende algumas (mas muito poucas) e continua a consumir ovos Kinder e pastilhas Gorila semanalmente porque as coleções nunca acabam. Quanto é que já gastou com tudo isto? “Ui, deixe ver se a minha mulher não está aqui a ouvir. Nem consigo saber mas foram milhares de euros.”

A NiT foi espreitar os armários repletos de brinquedos que a geração de 80 e 90 desejava agora nunca ter deitado para o lixo. Carregue na imagem para saber mais.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

NiTfm
Novos talentos

AGENDA NiT