Na cidade

Portugueses acreditam que em 2040 vão viajar para o espaço e teletransportar-se

Viagens ao espaço, aviões supersónicos, férias mais baratas: é assim que os portugueses veem o futuro, segundo um estudo da eDreams.
Agora montanhas, no futuro Marte?

Em 2040 vamos viajar para Marte quase como quem vai ao Dubai. Será? Muitos portugueses acreditam que sim. Para celebrar os seus 20 anos de vida, a eDreams decidiu olhar 20 anos para a frente e perguntar aos cidadãos como serão as viagens daqui a duas décadas. As respostas são incríveis e, em alguns casos, surpreendentes.

De acordo com a plataforma de reserva de viagens, metade dos inquiridos (50%) acredita que daqui a 20 anos será possível viajar para o espaço. Há também quem pense que o teletransporte será uma realidade (14%) e ainda quem diga que vamos poder escolher a meteorologia que mais der jeito para as nossas viagens: 14% pensam isso.

Alguns acreditam nas futuras viagens de hyperloop (9%). Trata-se de uma possível nova forma de transporte a alta velocidade que utilizará um sistema de tubos sobre as cidades — Elon Musk tem planos para a concretizar.

E até há quem ache mesmo que vamos viajar no tempo (8%). Como sempre, há também um grande grupo de portugueses (32%) que pensa que nenhuma destas hipóteses se vai concretizar — pelo menos até 2040, admitindo que a mais provável será a de viagens ao espaço.

Quanto à parte financeira, quase metade dos inquiridos (48%) considera que viajar será mais barato daqui a 20 anos, graças a desenvolvimentos tecnológicos e às tarifas mais económicas. Sobre melhorias esperadas nas viagens de avião, a resposta foi clara: acesso a Wi-Fi e serviços de streaming gratuitos a bordo (60%).

Por outro lado, cerca de 48% dos inquiridos gostava de viajar em aparelhos supersónicos. E que ninguém se esqueça do conforto: o acesso a camas em todas as classes (40%) parece também ser uma prioridade. Aviões elétricos (38%); espaços abertos com jogos, cinema e entretenimento, como nos cruzeiros (29%) e entrega da comida favorita a bordo (25%) são outras sugestões.

71% dos inquiridos acreditam ainda que os avanços tecnológicos vão permitir o desenvolvimento de aparelhos para guardar memórias que utilizem, por exemplo, a Realidade Virtual, e que vão revolucionar a forma como armazenamos fotografias e vídeos de viagens (e não só). No entanto, ironicamente, 10% de inquiridos pensam que a direção será oposta e que vamos passar, de novo, a imprimir mais fotos.

Finalmente, a eDreams quis saber em que serviços de viagens os portugueses estariam mais interessados no futuro. Cerca de 64% dos inquiridos deu prioridade a uma tecnologia que já existe, a de reconhecimento facial, que permite melhorar as filas nos aeroportos, ao dispensar a verificação de passaportes pelos funcionários. Dizem esperar que se torne cada vez mais comum e que seja de grande ajuda no futuro.

Outras das inovações que despertaram interesse (35%) foi a criação de guias de viagem personalizados e inovadores, com ajuda da Realidade Aumentada e sugestões por parte de bloggers, entre outros, para uma experiência de viagem mais adequada a cada um.

Um robô que tratasse de toda a viagem também parece ser uma ideia agradável para os portugueses (25%), ajudando em todos os momentos, desde o planeamento e reservas até ao check-in dos voos e regresso a casa. A mesma percentagem de inquiridos (25%) assume que gostaria da possibilidade de uma impressora 3D à disposição no seu hotel, para imprimir objetos úteis, como roupa, caso tivesse esquecido algo em casa, ou até mesmo para não viajar com a mala tão cheia.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT