Na cidade

Prestação da casa vai subir mais de 90€ até ao final do próximo ano

Se as taxas Euribor atingirem os 3% como previsto, muitas famílias não terão possibilidades de pagarem os créditos à habitação.
Vai aumentar.

O cenário continua a ser assustador para as famílias portuguesas que contraíram um crédito à habitação, e que todos os meses, enfrentam o pagamento de uma prestação. Após a escalada dos juros nos últimos meses, as notícias não são nada animadoras para o próximo ano. Esperam-se novos aumentos.

As taxas Euribor continuam com um percurso ascendente e já atingiram novos máximos desde 2009, tornando praticamente insustentável o reembolso dos empréstimos bancários. O Banco de Portugal estima uma subida até 3 por cento no próximo ano — o que significa que a prestação média deverá aumentar mais de 90€ euros em 2023.

Nem todas as famílias serão impactadas da mesma forma, segundo os dados do Relatório de Estabilidade Financeira publicado esta quarta-feira, 23 de novembro. Cerca de 575 mil contratos de empréstimos à habitação (41 por cento) deverão ter um aumento de prestação inferior a 50€. Os titulares com contratos mais antigos e com menor capital em dívida serão os menos afetados com a subida das taxas Euribor.

Por outro lado, os que contraíram empréstimos de montantes mais elevados (cerca de 253 mil contratos) terão enfrentar um aumento da prestação mais significativo — pode mesmo ultrapassar os 150€ até ao final do próximo ano. Caso se venha a confirmar a subida das taxas Euribor para 3 por cento, as famílias com crédito à habitação terão de pagar, em média, uma prestação mensal de 279€ em 2023. Há cinco meses, pagavam menos de 190€, segundo o jornal “Eco”.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT