Na cidade

Qualidade do ar melhorou até 60% desde o dia 16 de março

O dia de referência do início do estudo é o dia em que todas as escolas do País encerraram.
Outros países também registam quebras na poluição.

Myriam Lopes, docente da Universidade de Aveiro e especialista em poluição do ar, investigou os dados de duas estações urbanas de medição de qualidade do ar, uma em Entrecampos (Lisboa) e outra em Aveiro, desde o dia 16 de março, e concluiu que a qualidade do ar melhorou até 60 por cento, noticia a rádio “Renascença”.

O início do estudo teve como referência o dia em que as escolas portuguesas encerraram devido à pandemia do novo coronavírus. “É possível constatar o impacto da pandemia e em particular das medidas de emergência adotadas”, refere a investigadora.

Os níveis de poluição desceram um pouco em todos os países que se encontram em quarentena, mas em Portugal, e de acordo com a docente, as concentrações de dióxido de azoto (NO2), um poluente intimamente associado ao tráfego rodoviário, diferem bastante entre o antes e o depois desse dia.

“Na estação de Entrecampos as reduções são superiores a 60 por cento, enquanto que em Aveiro são da ordem dos 50 por cento”, refere Myriam Lopes.

Tanto em Lisboa como em Aveiro, as concentrações de NO2 caíram de forma acentuada, sobretudo no início da manhã e ao fim da tarde, períodos em que habitualmente se registam as chamadas horas de ponta.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

NiTfm
Novos talentos

AGENDA NiT