Na cidade

Quarteirão da Confeitaria Nacional de Lisboa deverá transformar-se num hotel

A empresa Rottshire submeteu à Direção-Geral do Património Cultural um PIP, para o novo projeto do edifício.

Há um novo projeto imobiliário planeado para o quarteirão da Confeitaria Nacional, localizado na Praça da Figueira, em Lisboa. O objetivo é transformar o edifício pombalino numa nova unidade hoteleira de três estrelas. 

A empresa Rottshire submeteu à Direção-Geral do Património Cultural (DGPC) um Pedido de Informação Prévia (PIP) para o desenvolvimento do projeto, que deverá incluir duas lojas históricas: a Ourivesaria Barbosa e Esteves, que está encerrada desde 2018, e a Confeitaria Nacional, que foi fundada em 1829 e que será integrada no hotel para sala de pequenos-almoços e restaurante, segundo o Jornal Público.

Neste quarteirão, os trabalhos irão abranger todo o edifício para a construção do hotel com 73 quartos, aliado ao projeto de arquitetura do atelier Metrourbe. A partir do piso dois, todo o interior será demolido para uma adaptação integral do espaço para futuros quartos, explica o jornal.

A apreciação feita pela DGPC só irá refletir sobre as mudanças que poderão afetar estes dois estabelecimentos, e não a totalidade do imóvel. Porém, em agosto de 2009, a então diretora-geral do Património Cultural, Paula Araújo da Silva, não aprovou a decisão com a justificação de que estas mudanças prosseguiam à “descaracterização do espírito do lugar”.

Entretanto, a empresa efetuou algumas alterações ao projeto prévio de arquitetura, que incidiu num novo parecer de aprovação em setembro, sobre o Hotel da Betesga — e que estará condicionado à revisão de um conjunto de soluções para a realização de trabalhos arqueológicos.

Nesta nova proposta, os autores do projeto mudaram o elevador do serviço do hotel para a zona de saguão, para evitar o desfasamento das abóbadas pombalinas. A chaminé pombalina que se situa na cozinha da confeitaria do piso um, também vai passar a ser conservada, entre outros pormenores que foram tidos em conta. 

Este não é o único quarteirão a ser intervencionado na Baixa. Também há planos de mudança para a antiga Pastelaria Suíça, no Rossio, que será transformada num espaço comercial a ocupar quase todos os pisos e que deverá estar aberto em meados de 2023. 

 

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT