Na cidade

Retratos Contados: o projeto que mostra o lado mais fofinho dos nossos avós

A união entre Alice Vieira e Nelson Mateus, que já a chama de avó, tem tido um sucesso enternecedor.
Vieram mostrar a importância dos avós.

Os Retratos Contados nasceram há seis anos com o objetivo de falar daquilo que poucos falam: a importância da ligação intergeracional entre avós e netos. Ao mesmo tempo, pretende alertar os portugueses para a valorização dos mais velhos — e a luta contra a solidão e abandono. Desde então que são publicadas várias crónicas que nos transportam às memórias de Portugal.

A iniciativa foi criada por Nelson Mateus, de 49 anos. “Nos Retratos Contados falamos do paradoxo de ser idoso. Ninguém o quer ser, mas todos queremos chegar a velho”, explica à NiT.

No site do projeto já foram publicadas centenas de crónicas de avós e netos, que contam episódios importantes que tiveram juntos, ou simples memórias que acabaram por ficar gravadas na memória. “Através deste tema contamos uma parte da história de Portugal. Percebemos as mudanças da sociedade através das diferente gerações”, acrescenta.

Alice Vieira, uma escritora de histórias maioritariamente para os miúdos, partilhou o seu testemunho. Segundo Nelson Mateus, “foi amor à primeira conversa”.

“A Alice, uma avó disruptiva, fora dos padrões convencionais, partilhou a ligação que teve com os avós e que hoje tem com os quatro netos de sangue. A nossa amizade foi ficando cada vez mais sólida, até que a Alice, devido ao meu trabalho, começou a tratar-me por neto e eu a tratá-la por avó (embora ela rapidamente retifique que não tem idade para ser minha avó).”

Já com uma grande base de fãs, o projeto começou a ganhar ainda mais atração em janeiro de 2021, quando o País entrou em confinamento. Nessa altura, Nelson Mateus e Alice Vieira, de 78 anos, foram trocando vários emails, quase como se fossem cartas — mas com o twist do século XXI — e partilharam-nas no Facebook.

“Desde o início que começaram a fazer imenso sucesso. Inúmeras partilhas, muitos comentários, e até sugestões sobre vários temas para abordarmos”, afirma o responsável pelos Retratos Contados.

Foram escrevendo várias crónicas para as mais diversas revistas e capturaram a atenção da Leya, editora da escritora há algumas décadas. “Em abril de 2021, assim que terminou o segundo confinamento, fomos desafiados pela Casa das Letras, uma chancela da Leya, para publicar a primeira temporada das crónicas — que começam no início do confinamento e terminam, precisamente, no ultimo dia do mesmo. Daí o título do livro ser ‘Diário de uma avó e de um neto confinados em casa'”.

A parceria tem sido um sucesso.

A primeira edição foi publicada em setembro de 2021, durante a Feira do Livro, e foi um sucesso instantâneo. Embora várias crónicas tivessem sido partilhadas no Facebook, os leitores acabaram por preferir a edição em papel. Tal adesão acabou por trazer rapidamente uma nova edição — e uma terceira já está a ser planeada.

O também escritor explica-nos que a segunda temporada — uma espécie de sequela — do “Diário de Uma Avó e de Um Neto” já está concluída. Desta vez, a história começa no início de abril e termina no fim do ano. “Vai no seguimento da primeira temporada, só que desta vez já desconfinados.”

“Todas as crónicas publicadas são verdadeiras. O livro leva os leitores a uma viagem pelas memórias do País. Penso que o sucesso do livro se prende com este facto. Temos os pés bem assentes no presente, com os olhos postos no futuro, mas não esquecemos nem renegamos o passado. Isto faz com que todos se identifiquem com o livro. Temos avós que leem o livro com os netos, temos universidades seniores a usar as temáticas abordadas nas suas aulas, temos famílias que se reúnem em tertúlias que organizam em casa”, explica.

Este não é o único projeto que Nelson Mateus organiza e que pretende valorizar as pessoas mais velhas, nomeadamente aquelas que têm um grande destaque em Portugal. O autor também é comissário de duas exposições com entrada gratuita: “Retratos Contados de Ruy de Carvalho”, que conta um pouco do muito que é a vida e obra do ator português mais velho no ativo; e “Retratos Contados de Alice Vieira”, onde são abordados os mesmos temas.

As mostras têm sido itinerantes pelo País. A de Ruy de Carvalho acabou de ser inaugurada no Espaço Memória do Teatro Experimental de Cascais, onde vai permanecer até ao fim de Fevereiro. A 1 de março, dia em que Ruy de Carvalho celebra 95 anos, chega ao Teatro Politeama. Depois está previsto ir para o Vimioso, Torres Novas e Funchal. A mostra sobre Alice Vieira já esteve em Lisboa, na Ericeira e no Casino Estoril. Mais tarde, estará em Torres Novas até fevereiro e depois segue para Leiria.

Além disso, Nelson Mateus é o responsável pelas celebrações dos 85 anos de vida de Anita Guerreiro. “Em breve, vai nascer a exposição de homenagem à mulher que deu voz à canção ‘Cheira Bem, Cheira a Lisboa'”, revela-nos.

Entre vários outros projetos relacionados com os Retratos Contados, aqueles que aguarda com mais entusiasmo são as obras sobre Simone de Oliveira, Manuela Maria e os residentes da Casa do Artista.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT