Na cidade

Revolução em Guimarães: autarquia quer tirar os carros do centro histórico

O plano está ainda em fase de projeto, mas quer alargar passeios e devolver as ruas aos peões.
A mira está apontada a 2024

Mais pessoas na rua, menos barulho e menos poluição. São esses os grandes objetivos da autarquia vimaranense para o centro histórico de Guimarães, onde querem ver cada vez menos carros. Se possível, retirá-los mesmo das ruas até 2024.

O plano foi anunciado em reunião de Câmara a 15 de setembro pelo presidente da Câmara, Domingos Bragança, numa ideia que já havia sido apresentada em 2020. A pandemia atrasou todo o processo.

“Vai haver mais pessoas a fluir nas ruas, mais conforto, menos barulho, e menos poluição”, prometeu o autarca. “O comércio necessita de soluções estruturantes e o fecho do trânsito é uma delas (…) Temos de ter mais espaços comunitários, mais rua, e, para tal, é obrigatório ter menos automóveis na cidade”, disse o presidente, citado pelo “Público”.

A medida, a ser concretizada, iria retirar o trânsito da Alameda de São Dâmaso, da rua de Santo António e de parte do Largo do Toural. Confrontado com os receios dos comerciantes, Domingos Bragança nota que “todas as cidades que fecharam ao trânsito beneficiaram e cresceram muito no comércio”.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT