Na cidade

Mais ruas pedonais e ciclovias. O plano do Porto para o pós-pandemia

Os carros vão ser banidos de 14 ruas da cidade, duranre os fins de semana, para dar espaço às pessoas e bicicletas.
As ruas da cidade vão mudar.

A partir de 19 de junho, 14 ruas da cidade vão fechar-se aos carros e abrir espaço para peões, ciclistas e todos os que por lá queiram passear mantendo o devido distanciamento. O objetivo, revela a Câmara Municipal esta sexta-feira, 29 de maio, é o de “resgatar o espaço público”. 

A iniciativa irá acontecer apenas aos fins de semana e irá incluir as ruas de Cedofeita, Miguel Bombarda, Breyner, Carmelitas, Conde de Vizela, Fábrica, Santa Teresa, Avis, Almada, Conceição, Passos Manuel, Barbosa de Castro, Caldeireiros e a avenida Rodrigues de Freitas. Estas alterações, focadas no centro histórico da cidade, irão estar em vigor sempre entre as 8 horas de sábado e as 20 horas de domingo.

Em cada uma delas, revela a autarquia, será colocado “novo mobiliário urbano, temporário e amovível, para um usufruto mais confortável do espaço”.

A cidade vai também ficar mais amiga das bicicletas. Além da prevista extensão das ciclovias e percursos em 35 quilómetros — que estimam que possam estar completos até ao final de 2020 —, irão também ser instalados 72 bicicletários com capacidade para 521 bicicletas.

Antes da conclusão da obra, há lugar à inauguração do regime de partilha de trotinetas e bicicletas, cujo lançamento foi adiado por causa da pandemia. Assim, a partir de segunda-feira, 1 de junho, os 210 pontos de partilha azuis, pintados pelas ruas das cidades, começarão a ser utilizados.

A apresentação do plano serviu também para anunciar as datas de reabertura das feiras da cidade. As de caráter alimentar regressam já a 1 de junho. A restante maioria das feiras voltará à cidade a 19 de junho, à exceção das conhecidas feiras da Vandoma, da Pasteleira e do Cerco.

 

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

NiTfm

AGENDA NiT