Na cidade

“Ruído intolerável”: ambientalistas contra voos noturnos em Lisboa

A Associação Zero deu um parecer negativo à intenção do governo em anular restrições aos voos de madrugada em novembro.

Enquanto a escolha do local do novo aeroporto de Lisboa não fica resolvida de vez, acende-se o debate sobre o que acontece nos céus do centro da capital, sobretudo durante a madrugada. O verão trouxe uma novidade: a intenção do governo em anular algumas das restrições ao tráfego aéreo noturno.

A medida seria temporária e vigoraria entre 18 e 29 de novembro, para permitir a instalação de um novo sistema de controlo aéreo, mas a Associação Zero critica essa estratégia. Os ambientalistas falam de “impactos socioambientais muito negativos sobre populações de Lisboa e Loures”.

“A Zero opõe-se frontalmente a voos noturnos sem limites no aeroporto de Lisboa durante mais de um mês”, notam. Os especialistas da associação explicam que os cidadãos não devem ser “sacrificados com níveis de ruído noturno intoleráveis”.

De acordo com dados recolhidos pela Zero, entre 2019 e 2022, o ruído no aeroporto é “muito acima” daquele que é recomendado pela Organização Mundial de Saúde. A agência sublinha também a recorrente violação do horário de restrição de descolagens e aterragens que vigora entre a meia-noite e as seis da madrugada.

“Há uma reiterada e flagrante violação destes limites, com excedências em mais de 50% no número de voos permitidos, o que prefigura conivência com a ilegalidade e grosseira negligência em relação às populações afetadas por parte das autoridades.”

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT