Na cidade

Estas são as 10 catedrais mais bonitas de Portugal — e que já pode visitar

Uma agência de viagens e tours selecionou os 10 espaços religiosos mais incríveis e mágicos para conhecer no desconfinamento.
A Concatedral de Miranda do Douro.

À medida que o desconfinamento avança e a primavera progride, é cada vez mais tentador aproveitar férias, fins de semanas ou folgas para escapar. Pode fazê-lo em família, em segurança, para um dos muitos hotéis, alojamentos ou turismos rurais que já estão abertos e que agradecem a retoma de visitas e de movimento.

Pode simplesmente meter-se num carro ou autocaravana e partir à descoberta do seu País. Ou pode até explorar a sua cidade, a cidade vizinha, descobrir ou mostrar aos miúdos locais mágicos que talvez nem conhecesse, ou nos quais nunca tenha entrado.

Igrejas, mosteiros, basílicas, santuários, capelas: Portugal é um País repleto de templos dedicados à fé cristã, todos com uma arquitetura bastante própria que podemos observar tanto no nosso território como um pouco por todo o mundo. Para descobrir essas maravilhas arquitetónicas e históricas, a Civitatis, a agência líder na distribuição online de tours, excursões e atividades em todo o mundo, fez uma lista com as 10 mais belas catedrais de Portugal.

Muitas delas podem ser visitadas em tours em grupo (ou privados) ou pelos portugueses em privado; mas todas têm uma história e mística própria. As escolhidas pela agência são as seguintes:

Sé Catedral de Lisboa

Segundo a agência, a história religiosa da cidade e do País está literalmente talhada, na Sé Catedral de Lisboa. A sua construção começou em 1147 após a conquista aos muçulmanos pelo primeiro rei de Portugal, D. Afonso Henriques. No seu lugar, existia uma mesquita muçulmana, que por sua vez teria sido construída sobre um templo visigótico cristão. 

Aqui, é patente a evolução histórica de Lisboa e a influência que recebeu dos povos que a habitaram. Tendo-se iniciado a sua construção no século XII, o projeto original regia-se pelas regras arquitetónicas do estilo românico. No entanto, ao longo dos seus quase 900 anos, esta catedral foi sofrendo modificações e adaptações, sendo hoje uma mistura de estilos, incluindo o gótico, barroco e até moderno.

Sé Catedral de Évora

Localizada no ponto mais alto da cidade, a Sé Catedral de Évora é considerada a maior catedral medieval do País e foi construída numa fase de transição entre a arquitetura românica e gótica. No entanto, à semelhança da de Lisboa, também sofreu intervenções ao longo dos séculos, espelhando sempre o estilo predominante em cada época. É possível até subir ao seu terraço e desfrutar de umas vistas maravilhosas sobre toda a cidade.

Sé Catedral de Évora

O destaque vai para o valioso órgão de tubos existente no seu interior e a relação que tem com o Japão: a primeira embaixada japonesa enviada à Europa, a Missão Tensho, no século XVI, passou por Évora e um dos seus integrantes tocou neste órgão. Atualmente, muitos japoneses se interessam pela cidade de Évora e pela sua catedral devido à história improvável que acabou por unir ambos os países.

Sé Catedral do Porto

Localizada no bairro da Batalha, o ponto mais alto da cidade do Porto, a Sé Catedral do Porto é o edifício religioso mais importante da cidade. Construída em meados do século XII, a sua fachada, de estilo românico, confere-lhe um ar imponente e fortificado devido às suas duas torres altas. É dedicada à Nossa Senhora de Vandoma, a padroeira da Cidade. 

No seu interior, é possível observar maravilhosos painéis de azulejos azuis e brancos em todo o claustro. No seu exterior, no Terreiro da Sé, junto ao pelourinho, pode observar as vistas do Porto, de Vila Nova de Gaia e do rio Douro.

Concatedral de Miranda do Douro

Encaixada no planalto entre o rio Douro e Fresno, encontra-se a Concatedral de Miranda do Douro, um verdadeiro símbolo da cidade construído no século XVI. O seu interior guarda a imagem esculpida do Menino Jesus da Cartolinha.

Durante a Guerra de Sucessão da coroa espanhola no século XVIII, a cidade de Miranda do Douro foi cercada pelas tropas espanholas. O cerco demorou vários meses e as tropas portuguesas estavam cansadas e desmoralizadas enquanto esperavam reforços que demoravam a chegar. Diz a lenda que, um dia, apareceu nas muralhas da cidade um menino vestido de fidalgo apelando à moral e às armas do povo mirandês, que rapidamente saiu de casa com os poucos recursos que tinham, e num último ato de esperança derrotaram o exército inimigo. Foi a última vez que o menino foi avistado, mas converteu-se numa verdadeira imagem e símbolo de devoção da região.

Sé Catedral de Bragança (Sé Nova)

Um exemplo de modernidade, a Catedral de Bragança, ou Sé Nova, como também é conhecida, é a primeira catedral inaugurada em Portugal no século XXI. Longe dos cânones arquitetónicos aos quais estamos habituados neste tipo de templos, como o românico, gótico e o barroco, a Sé de Bragança apresenta um estilo claramente moderno, tendo sido construída com materiais típicos da região. Começou a ser construída em 1981, foi projetada sobre antigos esboços da década de sessenta e, após alguns contratempos, foi inaugurada em 2001. O sacrário tem a forma física do mapa do distrito de Bragança.

Sé Nova de Coimbra

A Sé Nova de Coimbra é provavelmente a mais imponente da lista. A sua construção começou em 1598 pelos jesuítas instalados na cidade e apenas terminou em 1698, 100 anos depois. Foi o primeiro colégio jesuíta a ser construído no país e a sua arquitetura rege-se por cânones desta companhia: austeridade e sobriedade. No século XVIII, a sede episcopal foi transferida da Sé Velha de Coimbra para esta, mais espaçosa, depois de a Companhia de Jesus ter sido extinta por ordem do Marquês de Pombal.

Sé Velha de Coimbra

Uma joia da reconquista, a Sé Velha de Coimbra é a única catedral de estilo românico em Portugal que sobreviveu até aos nossos dias praticamente intacta. Atendendo ao seu estilo, o início da sua construção data do século XII, ainda em plena reconquista: aqui foi coroado D. Sancho I, o segundo rei de Portugal, que poucos anos mais tarde começaria o seu caminho rumo a sul para tentar conquistar a cidade de Silves, no Algarve.

Sé Catedral do Funchal

De fachada simples, construída no século XV,  a Igreja de Nossa Senhora da Assunção foi elevada a Catedral do Funchal pelo papa Leão X, o que fez desta construção a sede da maior diocese do mundo, já que abrangia todos os novos territórios descobertos pelos navegadores portugueses, do Oriente à América.

A Sé de Angra do Heroísmo.

Sé de Angra do Heroísmo

Em 1570 foi lançada a primeira pedra da construção daquela que é a maior igreja de todo o arquipélago dos Açores. Catalogada como Património da Humanidade pela Unesco, esta cidade, na ilha Terceira, era uma escala obrigatória das naus que saíam para a Índia e para o Brasil. Ter sido um ponto estratégico contribuiu para a necessidade de construir uma catedral digna de albergar a sede do bispado.

Ao longo dos séculos foi reunindo um conjunto de tesouros de arte sacra de valor inestimável. Infelizmente, parte do conjunto foi perdido com o terramoto de janeiro de 1980 e o incêndio de 1983. No entanto, o templo continua de pé e tem até um vaso da dinastia Ming na sua coleção.

Sé de Portalegre

Datada século XVI, é uma verdadeira caixa de surpresas: no seu interior podemos encontrar painéis de azulejos do século XVII e o único conjunto de pinturas maneiristas do país. É considerada um verdadeiro polo da arte portuguesa.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT