Na cidade

Sexta-feira foi o dia do confinamento em que os portugueses mais saíram à rua

É o maior valor de mobilidade registado desde 15 de janeiro e acentua a ideia de que as regras são cada vez menos respeitadas.
Os números não deixam dúvidas.

A obrigação é estar confinado, mas há cada vez mais portugueses a sair de casa. Na sexta-feira, 5 de março, a mobilidade fixou-se em 83 por cento do normal, aproximando-se dos níveis pré-pandemia (100 por cento). 

Os números avançados no Painel de Mobilidade PSE 2021, da consultora PSE, e citados pelo jornal “Expresso”, revelam que a mobilidade às sextas-feiras tem vindo a aumentar gradualmente desde 22 de janeiro.

Um “sinal claro de que o segundo ‘lockdown’ está em erosão é o aumento da frequência de vezes com que saímos de casa, em cada semana”, diz a equipa da PSE.

Nas primeiras semanas do ano, ainda sem confinamento, os níveis estavam em 73 por cento do período pré-pandemia. Após as novidades medidas, na semana de 22 de janeiro — a primeira desta novo confinamento — a mobilidade caiu para 63 por cento. No entanto, desde então, tem vindo a aumentar gradualmente até chegar nesta semana aos 76 por cento.

“Se na semana quatro e cinco [do confinamento], apenas 12 por cento das pessoas saiam de casa em seis ou sete dias, esse valor aumentou para 20 por cento na semana oito. Na realidade, os dados do Painel PSE indicam que na semana oito já houve cerca de 40 por cento da população que saiu de casa quatro ou mais dias durante uma semana”, acrescenta ainda o relatório.

Também este sábado, em Lisboa, as temperaturas superiores a 20 graus levaram muitos portugueses a aproveitar o sol fora de casa. Tal como a NiT noticiou, a PSP foi mesmo obrigada a intervir e mandar os cidadãos para os seus domicílios.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT