Na cidade

Um trilho para amantes de BTT que é uma forma perfeita de descobrir Sintra

À procura de um desafio longe da confusão? Pegue na bicicleta e descubra Sintra em modo todo o terreno. A sugestão é da Portugal Bike Tours.
Fica a sugestão.

Entre a paisagem histórica e o verde vibrante da serra de Sintra há um mundo por descobrir. Não é por isso acaso que se tenha tornado um lugar especialmente acarinhado pelos amantes de BTT em Portugal.

Num ano em que passear pela cidade ou viajar em transportes se tornou um desafio como nunca o conhecêramos (culpa da pandemia), nada melhor do que pegar na bicicleta e convidar uns poucos amigos para um desafio.

Atenção: o desafio que aqui propomos é para quem já tenha alguma experiência e acima de tudo vontade de desafiar e desentorpecer as pernas. A sugestão chega à NiT via Live Love Ride – Portugal Bike Tours, empresa que tem feito o seu negócio entre percursos sobre duas rodas.

Para lá chegar, não precisa sequer de carro. Pode apanhar o comboio em Lisboa ou numa das estações na linha de Sintra e seguir até à estação na histórica vila. Quando sair, prepara-se para um loop de 32 quilómetros (com 1.075 metros de altura (nós avisámos que já era um desafio). Com a certeza de que cada paragem irá compensar o esforço.

aindo da estação, vire à esquerda e leve a bicicleta à mão por 200 metros, onde verá o edifício do século XIX que é hoje a casa da autarquia. Seguindo pela estrada à esquerda entrará na estrada Volta do Duche, entre árvores e esculturas de artistas locais, num caminnho que segue até chegar ao centro da vila.

Uma vez lá, à sua direita, pode avistar o Palácio Nacional de Sintra do século XV e as suas duas chaminés, um monumento icónico que é o símbolo do concelho de Sintra. Por ali há lojas locais e iguarias da casa, como os travesseiros ou as queijadas de Sintra (fica ao seucritério se quer carregar algumas calorias antes do esforço).

sintra
Sintra é um lugar especial.

Seguindo o mesmo caminho, passe pelo histórico hotel Lawrence e prepare-se para a primeira subida do dia, por uma estrada asfaltada. É uma subida sinuosa (que pode fazer em fila única, encostado à direita) de dois quilómetros cercada de chalés e casas particulares. Terminando a subida, vire à direita no cruzamento e continue subindo por alguns metros até encontrar as rolling hills, oportunidade para recuperar da subida e admirar o próximo monumento, o Chalé Condessa D’Edla, construído no século XIV. Continue pela estrada, com ténues subidas e descidas nos próximos durante cerca de cinco quilómetros.

Nesta altura, estará a sair da vila e a preparar-se para a etapa mais verde, já no coração do Parque Natural de Sintra e Cascais. De agora em diante o passeio será mais silencioso e verdadeiramente de BTT, ao contrário do que acontecia com trilhos junto a monumentos da vila património UNESCO.

Após essa estrada de cinco quilómetros chegará ao Cruzamento dos Capuchos, onde deve virar à esquerda e seguir o próximo trecho, onde encontrará alguns trilhos em declive. De volta ao percurso, chegará ao portão da Pedra Amarela. A partir daqui, comece a pedalar pelos trilhos de cascalho do parque natural, rodeados pela floresta local, subindo até ao ponto mais alto onde é possível pedalar na Serra, e onde encontrará um santuário.

Nos últimos 250 metros desta secção terá uma subida íngreme, com vista para o oceano Atlântico do seu lado direito, algo que o ajudará neste trecho difícil. Chegando ao topo, chega-se a um dos pontos mais singulares de Sintra, o Santuário da Peninha, uma igreja do século XVI que se ergue lá no alto. É o tipo de lugar onde pode parar, respirar fundo e olhar à volta, apreciando a paisagem.

Saindo do santuário comece a descer em direção ao oceano, e não se distraia durante a descida até à estrada nacional. Aqui, vire à esquerda, para uma curta incursão pela estrada nacional, direto ao Moinho Dom Quixote, um lugar onde pode comer ou beber alguma coisa com uma vista impressionante da serra até ao mar.

Aqui está a meio caminho de volta no percurso e apenas a três quilómetros de distância do Cabo da Roca e seu farol, o ponto mais ocidental da Europa continental, que poderá merecer sempre um desvio. Se o fizer, é possível que a zona seja ventosa mas o cenário faz o desvio valer a pena.

Um desafio para os amantes de BTT.

Voltando a ter o Moinho como referência, volte pela mesma estrada até ao cruzamento com a nacional, vire à esquerda, e 20 metros depois vire à direita para a estrada que o levará de volta à área florestal: são 2,5 quilómetros de subida de volta à secção superior da Serra, onde chegará a uma área de pedregulhos de granito. Aqui poderá avistar as famosas Pedras Irmãs e pode até reabastecer-se de água (bem fresca e natural). Seguindo a estrada encontrará uma subida íngreme nos próximos 200 metros até virar à esquerda, para uma estrada de cascalho e uma subida suave até ao próximo ponto.

Após a subida, estará num lugar que os locais chamam de Monge, onde começa a maioria dos trilhos. Aqui tem uma variedade de opções, mas todas exigem algumas habilidades técnicas, daí que a Portugal Bike Tours lembre para ter a certeza de que está apto a percorrer este tipo de trilhos. Caso contrário, continue seguindo a estrada de cascalho e desça pelos próximos 1,5 quilómetros por uma estrada larga de cascalho. Chegará ao cruzamento dos Capuchos, que tem o nome do convento do século XV que aí se encontra, em tempos habitado por monges franciscanos.

De volta ao cruzamento, após a última descida, regressa à estrada principal asfaltada em direção ao centro da vila, pelos próximos sete quilómetros, e que o levará até ao famoso Palácio da Pena e ao Castelo dos Mouros de Sintra.

Saindo da área dos monumentos, enfrentará uma descida íngreme e uma estrada de paralelos nos próximos 400 metros. Chegará então a São Pedro de Sintra, vire à esquerda e enfrente o último troço íngreme do seu passeio, apenas uma última subida, a ser seguida por uma descida curta e rápida por estrada asfaltada até chegar a um cruzamento, onde deve virar à direita e seguir a estrada até ao centro de Sintra.

Chegando lá está a apenas um quilómetro do final. É o momento de uma última pausa (e de ir buscar o tal travesseiro ou queijada, caso prefira repor as calorias só no fim do passeio).

A Portugal Bike Tours conta com diversos outros para conhecer o País de bicicleta, com guias e roteiros que se adaptam a cada pessoa e que pode descobrir online.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT