Na cidade

Uma das maiores dunas da Europa fica a 1 hora de Lisboa. Tem 50 metros de altura

O monte de areia estende-se ao longo de 200 metros e é um dos locais mais incríveis de Portugal.
Praia de Salir do Porto, Caldas da Rainha, Portugal

Não se compara às dunas do deserto do Saara, que chegam a ter 150 metros de altura, mas também merece uma visita. E não terá de apanhar um avião. Em Portugal, há um enorme monte de areia que já chegou a ser um dos maiores da Europa.

Na região Oeste, em Salir do Porto (Calda das Rainhas) que se encontra uma incrível praia fluvial e a maior duna de Portugal, com cerca de 50 metros de altura. É um verdadeiro tesouro natural, a cerca de 1h30 de Lisboa. 

O monte é constituído, na maioria, por granito. Acredita-se que atingiu as dimensões que hoje apresenta há cerca de 100 mil anos, graças às areias das lagoas que existiam entre Óbidos e Nazaré que foram levadas pelo vento. Diz-se que já foi a maior da Europa, mas o recorde vai para a Dune du Pilat, em Bordéus, com mais de 100 metros de altura.

À primeira vista, dá vontade de rebolar colina abaixo, mas a verdade é que não é como aquelas que se encontram no deserto, que são mais suaves. Ainda assim, muitos continuam a fazer a tentadora descida, mas acabam por fragilizar ainda mais o local. E mais: poucos são aqueles que conseguem subir sem ter de parar a meio para recuperar o fôlego. A vista de cima, contudo, faz o esforço valer a pena.

Com cerca de 200 metros de comprimento, estende-se desde a praia fluvial de Salir do Porto, banhada pelo rio Tornada, até São Martinho do Porto. A praia está situada na zona baixa da aldeia e é de areias soltas, possuindo duas partes distintas: a que é acessível diretamente da aldeia e a que fica na outra margem do rio, já do lado de São Martinho e da duna.

Vista de longe, tem-se uma noção mais concreta da sua extensão e da envolvência com a foz do rio Tornada em que a duna se transforma em escarpas até ao oceano, até ao fecho da concha de S. Martinho do Porto. 

O local é ladeado por ruínas da antiga alfândega e dos estaleiros e oficinas de reparação naval onde, no tempo de D. Afonso V, terão sido construídas caravelas com madeiras do Pinhal de Leiria e que terão feito parte da epopeia dos descobrimentos. Entre as embarcações ali construídas poderá estar a Nau São Gabriel, que liderou a armada de Vasco da Gama rumo à Índia.

Em dezembro, o presidente da União de Freguesias de Tornada e Salir do Porto, João Lourenço, alertou para os sinais de erosão da duna de Salir do Porto, que são “cada vez maiores”. Tudo devido ao “grande pisoteio (subida e descida), falta de vegetação para segurar as areias e erosão natural pelo desmantelamento da base associadas ao efeito da circulação fluvial e da maré na foz do rio Tornada”.

As condições climatéricas também têm acelerado o processo de erosão da duna. Os autarcas locais adiantaram que, se não forem tomadas medidas, corre-se “um risco sério de vermos desaparecer este geossítio com valor paisagístico e geológico incalculável”.

A elevação de areia é apenas um dos destaques da incrível baía de S. Martinho do Porto, que se destaca por ter a forma de uma concha. No topo do monte ergue-se ainda as ruínas da Capela de Sant’Ana, que nasceu para abençoar as embarcações construídas na alfândega.

Outro destaque são as poças de água doce que formam pequenas piscinas naturais na maré baixa e que tem na base uma nascente de água doce rica em minerais. Esta praia do concelho das Caldas da Rainha é considerada, portanto, “um património natural, cultural e histórico que deve ser protegido e salvaguardado”.

Carregue na galeria para ver mais imagens da duna mais alta de Portugal.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT