Na cidade

Uma das mais belas pontes de Portugal tem lendas sinistras: conhece a Ponte do Diabo?

Em Montalegre, Vila Real, fica a Ponte da Misarela, ligada a assustadores mitos minhotos — e incrivelmente bonita.
Foto do Instagram de @nunoc79.

Há lugares que têm uma energia e uma magia tão grandes que é difícil perceber onde acabam as lendas e os mitos que os envolvem e onde começa a realidade. Esta simples ponte no norte de Portugal é disso um belo exemplo. E é, pela mística que a rodeia e que a tornou conhecida — mas também pelos seus atributos naturais — uma de muitas apostas que pode escolher nas suas escapadinhas de descoberta por Portugal em mais um ano de pandemia.

Se não conhece a Ponte de Misarela — também conhecida como Ponte de Mizarela, assim mesmo, com z, Ponte dos Frades ou Ponte do Diabo — 2021 pode ser o ano. Este domingo, 2 de maio, o grupo do Facebook que se dedica a partilhar todos os segredos e recantos dos montes, serras e zonas rurais do norte de Portugal, o “Montanhas do Norte”, partilhou um pequeno vídeo com imagens desta antiga estrutura, e o sucesso foi imediato: centenas de partilhas e comentários, de portugueses e estrangeiros a quererem saber mais sobre este local e as suas histórias.

A NiT dá uma ajuda. A Ponte de Misarela fica em Sidrós, na freguesia de Ferral, concelho de Montalegre (distrito de Vila Real). Liga as freguesias de Ruivães, em Vieira do Minho, à de Ferral, no concelho de Montalegre e é, segundo a página da Direção Geral do Património Cultural, classificada como Imóvel de Interesse Público.

A estrutura foi, adianta o portal do governo, edificada na Idade Média sobre o Rio Rabagão, apresentando uma “curiosa implantação”, por ter sido construída ao fundo de um desfiladeiro escarpado. A ponte é assim assente sobre os penedos e com alguma altitude em relação ao leito do rio, sendo sustentada por um arco com cerca de 13 metros de vão.

A ponte foi reconstruída no início do século XIX, e sabe-se que a obra estava já executada em 1809, uma vez que nesta data as tropas francesas comandadas por Soult passaram pela ponte, fugindo à perseguição dos soldados de Wellesley.

A DGPC ressalta ainda algo que quem conhece a ponte já sabe de certeza: que ela está ligada a diversas crenças e lendas populares minhotas, que perduram até hoje nos roteiros locais.

São essas lendas, em alguns casos insólitas e tenebrosas, que atraem muita da atenção sobre a Ponte do Diabo. Em 2020, a Ponte da Misarela foi mesmo uma das 140 finalistas regionais da edição das 7 Maravilhas de Portugal, na categoria Lendas e Mitos, devido às muitas histórias que a envolvem.

Segundo se explica no portal das 7 Maravilhas, a Ponte sobre o Rio Rabagão é berço de “duas das mais inusitadas lendas de Portugal”.

Em primeiro lugar, crê-se que foi construída pelo próprio Diabo. Reza a lenda que um fidalgo duriense ou um criminoso, em temos antigos, fugia aos seus perseguidores.

Temendo a captura iminente, o homem aventurou-se para os lados do Rio Rabagão que, nessa altura, “corria tempestuoso”. Na impossibilidade de passar a corrente pediu em vão a intervenção divina. Lembrou-se então de invocar o poder do Diabo prometendo-lhe, caso o auxiliasse na fuga, a sua alma.

Nesse momento surge-lhe o Diabo que acede ao seu pedido estendendo à sua frente uma ponte. Assim fugiu o homem, que nesta região viveu muitos anos. Às portas da morte, com a alma prestes a ser entregue ao Diabo, o homem teria ainda revelado o seu pacto a um padre, que o absolve de todos os pecados.

O padre desloca-se então ao local que o criminoso lhe relatara, e invoca o Diabo de novo, prometendo-lhe a alma em troca da passagem. A ponte surge como por magia à sua frente e o padre ao atravessá-la benze-a com água benta, recitando um exorcismo e conseguindo afastar Satanás, e em simultâneo deixar a ponte de pé e sem maldade.

A ponte é ainda envolta no mito de um outro ritual antigo de fertilidade, tendo o município de Montalegre nos últimos anos, juntamente com a Câmara de Vieira do Minho e associações locais, procurado potenciar turística e culturalmente a estrutura e envolvente. 

É que além das histórias e da estrutura antiga, os seus atributos naturais incluem uma espécie de cascata mesmo à sua frente, criando um enquadramento perfeito natural.

A aposta das autarquias em chamar ainda mais atenção para a ponte já incluiu novos percursos pedestres, provas de trail, celebração do Entrudo e a realização anual da Festa da Ponte da Misarela, onde são recriados os elementos lendários da estrutura.

A ponte apresenta-se ainda, como referem os visitantes no Tripadvisor, sempre “muito cuidada”, sendo de uma beleza descrita como imperdível: um local de passagem “obrigatório” para quem vai ao Gerês. Ela é, para quem a visita e conhece, um dos locais mais emblemáticos e místicos do mapa do Parque Nacional da Peneda-Gerês.

Para chegar a esta ponte, terá de se dirigir pela N103 a partir de Braga até Ferral. Também pode inserir as coordenadas no GPS.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT