Na cidade

Visitar a aldeia de Sistelo, o pequeno Tibete português, passou a ser mais fácil

O novo troço da Ecovia do Vez foi inaugurada a 12 de abril, e agora leva-nos a uma das terras mais bonitas de Portugal.
Um dos maiores tesouros de Portugal.

O concelho de Arcos de Valdevez reúne várias maravilhas de Portugal, desde idílicas cascatas a aldeias verdadeiramente deslumbrantes. É um destino único que acaba de ganhar mais um atrativo. Graças à inauguração do mais recente troço da Ecovia do Vez, percorrer este passadiço é sinónimo de uma tarde bem passada na região.

“A Ecovia tem, no total, 34 quilómetros”, explica a autarquia de Arcos de Valdevez à NiT. O passadiço começou a ser construído em 2008 e, desde então, tem sido constantemente desenvolvido, passando a abranger mais zonas de interesse.

“Está dividida em três fases: a primeira etapa vai desde Jolda a Arcos de Valdevez. A segunda é entre Arcos de Valdevez e Vilela e a última vai então de Vilela a Sistelo”, realça. Pode percorrer todo este percurso em cerca de seis horas, mas é garantido que queira demorar mais tempo para ficar a conhecer ao pormenor todos os pontos de interesse.

Ao longo do percurso, a vasta fauna e flora da região estará sempre presente. “Existem locais próprios para observação de pássaros, vários moinhos e muitas cascatas”, destaca a autarquia.

O mais recente troço do passadiço foi inaugurado a 12 de abril e liga Vilela a Sistelo, aldeia conhecida como Tibete português graças aos seus únicos socalcos verdes, um marco em Portugal que fez com que a pacata terra com cerca de 270 habitantes fosse classificada como uma das Sete Maravilhas de Portugal em 2017, na categoria de Aldeia Rural. Aqueles terrenos foram sendo moldados ao longo de séculos, com o intuito de tornarem as terras mais produtivas. Além disto, tem uma localização privilegiada: situa-se muito perto do Parque Nacional da Peneda-Gerês e junto da nascente do rio Vez.

Antes deste terceiro troço da Ecovia, já era possível chegarmos a Sistelo. “Havia um caminho mais íngreme e feito de pedra. Este troço leva os caminhantes por outra zona e já é possível conhecerem a aldeia sem terem de ir por esse percurso mais difícil. Foi uma melhoria”, explicam.

Uma passagem pelo extenso percurso fica marcada pela plenitude da paisagem. A rota inclui vários pontos de referência como a foz do rio Vez, a vila de Arcos de Valdevez, a rústica ponte de Vilela, moinhos de água, e várias praias fluviais, ideais naqueles dias mais quentes de verão.

“A ideia será dar continuidade” à Ecovia, revela a Câmara Municipal. Pretendem alargar o passadiço às aldeias de Padrão e Porto Cova, também elas territórios que parecem ter ficado parados no tempo. Para acrescentar outros atrativos ao percurso, o que parece difícil, também estão a pensar reabilitar os miradouros de Estrica, Souto e Portela, graças a um investimento superior a 250 mil euros. Até agora, já foram investidos cerca de um milhão de euros, sendo que este último troço custou aproximadamente 70 mil euros.

 

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT