Turismos Rurais e Hotéis

A Herdade da Malhadinha é o refúgio perfeito e isolado para este verão

O Alentejo profundo, o campo, história, natureza, piscinas, sossego, comida incrível e vinhos: está tudo num único lugar.
É uma maravilha.

Há poucos lugares assim. E não estamos a falar apenas de Portugal, estamos a falar do mundo inteiro. Aqui, na Herdade da Malhadinha Nova, o espaço, a natureza, a história, a atenção ao detalhe, o luxo simples e confortável, as experiências, a comida e a enologia conjugam-se numa atmosfera perfeita. Abençoada pela natureza e aprimorada pelo investimento e carinho de uma família inteira, este conjunto de casas na região de Beja, no Alentejo, tornou-se num destino de sonho para umas férias ou escapadinhas completas, porém isoladas e recatadas — sobretudo numa altura de pandemia, onde somos mais exigentes do que nunca.

É quase uma ironia saber que em fevereiro — quando a Malhadinha abriu as suas novas casas, onde imperam a paz, o sossego, o isolamento de famílias ou de grupos no seu espaço, rodeados apenas de campo e com piscinas privativas — o mundo era tão diferente e ninguém sabia bem o que significava distanciamento social. Mas foi assim que a Herdade começou mais uma fase do seu percurso — com novas casas que combinam o conceito de férias mais exclusivas e isoladas —para logo se deparar com um fecho súbito em março, tendo aliás sido das primeiras unidades do País a anunciar que, perante o Estado de Emergência, iria encerrar.

Felizmente, reabre esta quarta-feira, 1 de julho, com todas as medidas de prevenção.

Para quem não conhece a história deste turismo rural, o projeto começou em 2008 com a abertura de uma Country House — ainda hoje é a casa base—, num conceito de hotelaria de charme, em ambiente rural, com a gastronomia e vinho como raiz porque a família Soares é, também, produtora de vinhos na própria quinta, que pode aliás conhecer, provar e comprar.

Esta primeira Country House, o típico monte alentejano, nasceu “numa ruína que estava abandonada há mais de 30 anos e conta as histórias de uma aldeia deserta e abandonada”, começa por nos explicar Rita Soares, a proprietária.

Tudo na Malhadinha são histórias e tudo tem um significado especial. Esta casa base fica no Monte da Peceguina, que deu nome a um dos vinhos. Além da hotelaria de charme, o conceito inicial estava ligado à enologia e à venda de experiências. Ha Herdade há passeios a cavalo, coudelaria, vinhas, agricultura biológica, passeios, visitas enoturísticas e muito mais.

Assim funcionou o espaço entre 2008 a fevereiro de 2020, quando foram inauguradas então várias casas isoladas umas das outras, numa propriedade que se estende por 450 hectares.

Eram casas de habitação há mais de 100 anos, que estavam em ruínas antes da transformação. Cada uma recebeu um tema e a respetiva história. Uma delas, por exemplo, é a do Ancoradouro, tal como a Herdade onde fica, porque era em tempos atravessada por águas do Guadiana operáveis onde havia um ancoradouro.

As quatro novas casas abriram, quase todas, antes da pandemia, mas “já num conceito de momentos em natureza, com família e amigos”. Conta Rita Soares: “Esta já era a nossa visão e tendência, aquilo que gostamos pessoalmente como família, ainda antes de tudo isto e tendo em conta que temos uma propriedade com uma beleza natural incrível onde o grande objetivo é lembrar e trazer um bocadinho das histórias deste Alentejo”.

As novas casas são bem diferentes entre elas, cada uma encerrando um “bocadinho da história da propriedade noutros tempos”, remetendo para tradições e culturas. No fundo, remetem para “tudo o que diferencia o nosso Alentejo e País de qualquer outro destino do mundo, privilegiando o que mais temos de arrebatador que é uma natureza única com um horizonte infinito”.

Aqui, a natureza é aliada e o ambiente também, sendo o regime biológico essencial para esta experiência. O espaço pretende trazer campo, isolamento, momentos em família, com experiências típicas da região.

“O isolamento é total, as casas estão todas afastadas uma das outras. Antes não tínhamos tanto serviço dentro das casas e agora temos uma panóplia, como uma lista de mercearias para as pessoas encomendarem produtos e fazerem as refeições com receitas da nossa cozinha; esses produtos depois vêm com receitas impressas do nosso chef mas também disponibilizamos uma app com as receitas. Ou visitas virtuais à adega, encomendas de vinhos, marcação de um restaurante local, o que for preciso” adianta a proprietária.

No fundo, se os visitantes “não quiserem sair do quarto não precisam”. Há um leque muito abrangente de serviços para que as pessoas se sintam ainda mais seguras. Até existe equipamento de BTT e um carro de golfe (buggy) à porta, por cada quarto e villa, para explorar à vontade a enorme herdade e aproveitar as ribeirinhas com o máximo de liberdade.

Onde pode ficar

Nesta imensidão de espaço, o que pode afinal alugar a partir de agora? Tem, claro, a casa base, a Country House, um monte de traça alentejana rodeado por sete hectares de vinha. São 11 quartos, três são suites, com room service, duas piscinas (uma delas climatizada), spa com sala de massagens, banho turco e jacuzzi, lareiras, cozinha, biblioteca, wine bar e sala de estar. Aqui, o aluguer é feito ao quarto, ou suite.

Depois, tem as novas Casas das Pedras: neste caso, são quatro suites independentes, cada uma com piscina privada, pequeno almoço, almoço e jantar. Estas quatro suites das Pedras ficam ao lado da Country House e vinhas da Peceguina, com vista para a Ribeira de Terges.

O catálogo continua com outras três casas novas, para alugar por inteiro e em exclusivo. A Casa do Ancoradouro, com sete suites; a Casa da Ribeira com três suites; e a Casa das Artes e Ofícios, com dois quartos. Todas têm cozinha, piscina e sala de estar.

São alugadas por inteiro — embora no caso do Ancoradouro, a Herdade esteja a aceitar, por causa da situação atual onde grupos grandes são uma raridade, uma reserva de apenas quatro das sete suites, ficando na mesma em exclusivo.

Em todas estas villas tem direito a room service ou marcar o serviço “Chef na Villa”, onde um cozinheiro vai a sua “casa”. Tem ainda o acesso à mercearia e receitas físicas que vão dentro dos basquets com ingredientes, algo “mais físico para os visitantes mais tradicionais”; ou em app e versão digital, “para que quem quer fazer tudo a partir do iPad”.

Os preços começam nos 300€ por noite, por um quarto duplo na Country House; ou a partir dos 900€, nas villas exclusivas. As reservas podem ser feitas online — e as primeiras já começaram a surgir. 

São “tempos de incerteza”, frisa Rita. “Não estamos com o ritmo que estávamos, mas estamos bem. Há hesitação e incerteza, mas há de passar”.

Carregue na galeria para conhecer melhor a incrível Herdade da Malhadinha.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

NiTfm

AGENDA NiT