Turismos Rurais e Hotéis

Casa Da Buganvília: o novo alojamento de Ana Leal é um mimo nas muralhas de Óbidos

A ex-jornalista da TVI encontrou na sua região favorita um espaço incrível e um novo projeto. As reservas já estão abertas.
O alojamento.

Óbidos é história, natureza, são praias por perto, é festas e é tradição. É também uma das regiões favoritas no mundo para Ana Leal, a ex-jornalista da TVI que decidiu, cerca de um ano depois de deixar a estação televisiva, dedicar-se a uma nova vida e lançar aqui um novo projeto de alojamento local.

“Três amigos sentam-se e conversam. As coisas nascem assim, de um bom vinho e uma risada. É o meu primeiro projeto de alojamento local mas, talvez por isso, pus o coração nele. Agora é hora de trabalhar, de dar a conhecer um pouco do que Portugal tem de melhor… quer desconfinar aqui dentro das muralhas de Óbidos?”, é o desafio e a entrada da história feito por Ana Leal nas suas redes sociais.

O novo projeto é uma casa que fica bem no centro da vila medieval. O espaço chama-se “A Casa da Bunganvilla Óbidos” e já está disponível no Booking, tendo mesmo recebido as primeiras reservas e até pernoitas — apesar de ter apenas uma semana de vida (abriu na quarta-feira, 28 de abril).

Na plataforma de reservas, explica-se que o espaço, situado no centro de Óbidos Vila Natal, dispõe de um pátio, de um jardim e de acesso Wi-Fi gratuito. Está localizado a 400 metros do Castelo.

O apartamento tem dois quartos, uma televisão de ecrã plano com canais por cabo, uma cozinha equipada com micro-ondas e frigorífico, e uma casa de banho. Também tem um terraço para banhos de sol e para explorar as redondezas, há ciclismo..

O aeroporto de Lisboa é o mais próximo, que fica a 66 quilómetros da Casa Da Buganvília Óbidos. A propriedade “providencia um serviço de transporte de e para o aeroporto pago”.

À NiT, Ana Leal explica como esta casa nasceu. “Começou no início deste ano na verdade, foi tudo muito rápido. Estava já sem fazer nada há algum tempo, como é público, e tive de meter mãos a obra”, conta-nos.

Ana sabia que queria um projeto, algo onde investir, mas não sabia bem o quê. Começou da forma mais simples: a pesquisar no Google. “Foi tudo uma coincidência, porque o anuncio surgiu numa noite em que comecei à procura de negócios. Fiz uma pesquisa no Google, para ter uma primeira ideia, e pesquisei Óbidos, porque tenho uma casa de família a nove quilómetros de lá, onde passo temporadas — e adoro a região”.

Um dos quartos.

A agora empresária não estava à procura “de nada em concreto” mas apareceu-lhe esta casa, este alojamento local como estando à venda. “Achei logo interessante porque vou de facto muito para aquela zona, para a casa que era da minha mãe, e costumo até dizer que sou quase do Oeste”.

Ana e o marido entraram então em contacto com a pessoa que queria vender; e acabaram por ficar amigos. “Conhecemos quem queria vender, houve com ela uma empatia muito grande e acabámos por ficar os três sócios: eu, o meu marido e a Cristiana — a vendedora. Ela ficou nossa sócia porque acabou por ficar entusiasmada com o projeto, com a visão que tivemos para o espaço”.

Isto porque a Casa Da Buganvília Óbidos é, ou será, mais do que um alojamento local. O quê, Ana Leal ainda não revela, mas diz que está para breve. “Daqui a um mês iremos revelar e inaugurar o resto. Mas posso adiantar que é um conceito diferente. A casa tem duas entradas independentes, ela é mesmo na rua principal dentro das muralhas de Óbidos, o que é extraordinário, e tem essas duas entradas; então decidimos aproveitar o outro espaço, independente, para um negócio completamente diferente”.

A parte do alojamento já está a funcionar e até já tem então visitas. Foi tudo muito rápido, e começou logo por correr bem. Quem arranjou e pintou a casa foi a própria repórter. “Fui eu que a pintei: em 15 dias pintei a casa inteira, do teto às paredes, estive lá duas semanas”, diz. “Não conhecia os meus dotes de pintora”, brinca, “mas foi um prazer, sinceramente”.

Já a parte de decorar, essa sim era uma paixão antiga. “Também fiz a decoração mas isso sempre gostei e sempre decorei as minhas casas. Mas foi mesmo um gosto construir um projeto de raiz porque foi dar uma nova imagem e conceito à casa. Foi também ver nascer uma coisa que é minha e que representa uma fase da minha vida diferente”.

A casa abriu na passada quarta-feira, 28 de abril. Dias antes tinha entrado no Booking e teve logo a primeira reserva: da hóspede inaugural, que já lá esteve até domingo. Já está outra a chegar e “mais reservas feitas”.

O alojamento tem capacidade para oito pessoas é sempre alugado por inteiro, independentemente do número de visitantes. A casa custa 90 euros por noite se for até duas pessoas a ficarem com o espaço; e a partir dai são 25€ por casa, “com algumas nuances como descontos para crianças”.

Quanto ao timing, de um novo alojamento em tempos ainda de pandemia, Ana Leal diz estar ciente mas pronta para a luta. “O timing foi um risco obviamente mas a vida é feita de riscos e a verdade é que também tivemos a felicidade de inaugurar a coincidir com o desconfinamento. Parece estar a correr bem; esperemos que assim continue”, conclui.

Um detalhe.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT