Turismos Rurais e Hotéis

Casa Fonte Fria: o pitoresco retiro (com lareira) ideal para uma escapadinha no Gerês

O alojamento fica na aldeia de Pitões das Júnias, a cerca de 1.200 metros de altitude, em pleno Parque Nacional.

Pitões das Júnias sempre foi, para Diogo Soares, o ponto de partida para inúmeras caminhadas. Naquela pitoresca aldeia encontra percursos idílicos que passam por cascatas, florestas e muitas outras maravilhas naturais. “Fui ganhando o gosto por aquele local e apaixonei-me. Levei lá a minha namorada [Cátia Pereira] e ela também adorou”, conta à NiT.

Naturais de Braga, costumavam passar os fins de semana naquela freguesia do município de Montalegre, em Vila Real. Porém, aqueles dois dias de tranquilidade sabiam sempre a pouco ao casal. Acabaram por comprar uma propriedade na pitoresca localidade e, no início de novembro, transformaram-na num alojamento local — à qual deram o nome de Casa Fonte Fria.

Ambos trabalham na mesma metalurgia. Cátia trata da contabilidade e Diogo desenha peças. É, portanto, a primeira vez que investem no segmento da hospitalidade. “É um projeto adjacente”, explica o namorado de 32 anos.

A aldeia, inserida no Parque Nacional da Peneda Gerês, “é uma das mais altas do País”, estando a 1.200 metros acima do nível do mar. “O ponto forte é agora no inverno, quando começa a cair a neve”, aponta Diogo, com entusiasmo.

Ali, a prioridade foi proporcionar o máximo conforto possível aos hóspedes, para que o interior reflita aquilo que se sente na parte de fora. Tem um jardim ideal para passar as tardes no verão e, a pensar nos dias frios, conta com uma lareira na sala. “A decoração é moderna, mas tentámos colocar alguns motivos especial, como fotografias de Pitões das Júnias”, descreve.

É o alojamento perfeito para quem só quer relaxar e fugir à azáfama da cidade. Ao mesmo tempo, pode conhecer um cantinho do País que “muita gente não sabe sequer que existe, mas que é lindíssimo e merece ser visitado”. Consegue receber até quatro pessoas — tem um quarto com cama de casal e um sofá onde cabem mais dois hóspedes.

Durante a sua estadia, aproveite para conhecer monumentos como o Mosteiro e a Capela de São João. Na altura do verão, pode passar pelas cascatas ou pelas caldeiras (espécies de lagoas onde, no verão, as pessoas dão mergulhos).

“Para quem gosta de trekking, como eu, tem alguns dos melhores sítios para caminhadas na montanha. Há travessias pelo parque”, explica. A própria aldeia em si também costuma ter muitas atividades.

Ainda há umas semanas organizaram um magusto. O Carnaval também é muito popular por lá. E claro que também não faltam propostas nesta altura do ano, como o mercado de Natal onde os habitantes comercializam os seus enchidos, compotas, mel, e mais.

Ainda não receberam muitos hóspedes, porque se trata de um projeto recente. Mas quem já lá ficou tem elogiado a tranquilidade que ali se vive. Tal como Diogo, muitos visitantes saem dali apaixonados por Pitões das Júnias.

Durante a época alta, que ali é durante o inverno, os preços de uma noite começam nos 65€. No verão, a estadia ficará mais em conta, mas os proprietários ainda não definiram os valores exato. As reservas podem ser feitas diretamente com Diogo e Cátia (de 31 anos), ou através das plataformas como o Booking e Airbnb (nestas o preço já sobe para 78€).

Carregue na galeria e conheça melhor a Casa Fonte Fria.

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    Avenida de São Rosendo 4
    5470-370 Pitões das Júnias
ESTILO
alojamento local
PREÇO MÉDIO
Entre 50€ e 100€
AMBIENTE
serra

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT