Turismos Rurais e Hotéis

Esqueça o Algarve: estas casas na árvore dão acesso a uma praia (quase) privada

Nasceram em Ílhavo, instaladas a dois metros de altura, e são uma boa alternativa ao habitual destino de verão.
É uma boa desculpa para ir à Costa Nova

Nasceram entre pinheiros mansos, salgueiros e freixos, a dois metros de altura e com vista para as copas das árvores. Entre elas, no final da propriedade, esconde-se uma praia quase privada. É um destino de verão para quem gosta de natureza, isolamento e sobretudo fugir à romaria rumo ao Algarve.

É entre a ria de Aveiro e o Atlântico que se encontra o Desertas Beach & Sport, inaugurado em 2020 em plena pandemia e que agora inicia a primeira época de verão completa. Paulo Neta, de 57 anos, comprou a quinta agrícola há cerca de duas décadas e usou-a como destino de fim de semana durante vários anos. Quando percebeu que não queria passar férias sempre no mesmo sítio — e com um empurrão da crise de 2009 —, começou por alugar a moradia.

Já dentro do negócio do alojamento local e numa fase pré-pandemia, percebeu que havia uma procura por casas nas árvores, bungalows e destinos de férias na natureza. Meio trabalho já estava feito.

“Limpámos as acácias, que são uma infestação, plantámos pinheiros bravos e mansos, freixos e desenvolvemos a quinta. Depois já com a ideia desenvolvida, percebemos que fazia sentido que um empreendimento tivesse como tópico principal o meio-ambiente e a natureza”, explica à NiT.

E porquê Desertas? O nome remete para o naufrágio de um barco a vapor naquela costa. Abandonado pelo armador, o Estado decidiu apoderar-se dele, mas para o poder levar para o estaleiro, foi necessário abrir um canal que ligasse o mar à ria — chamaram-lhe o canal do Desertas, nome do náufrago.

A antiga quinta agrícola está agora recheada de vegetação

No terreno florestado entre a moradia, junto à ria, e a beira-mar, nasceram quatro bungalows, todos iguais, instalados a dois metros de altura e com um quarto emoldurado por uma janela de grandes dimensões. No interior, os 20 metros quadrados têm apenas uma casa de banho e um quarto. No que toca a comodidades, há ar condicionado, microondas, máquina de café, chaleira e um frigorífico.

“Não é necessário cozinhar”, garante Paulo Neta. “Damos sempre aos hóspedes uma seleção de restaurantes da zona e que normalmente agradecem, porque é sempre melhor do que se cozinhassem as suas próprias refeições.” Há uma exceção.

O pequeno-almoço chega sempre todas as manhas numa cesta, recheada de vários tipos de pão, iogurte, fruta, bolos, fiambre, queijo, leite e café.

No extremo da propriedade, acessível por um trilho privado, está a praia, quase sempre vazia. Isto porque se encontra precisamente a meio caminho entre a Costa Nova e a Vagueira. “A essa praia só se acede publicamente pela Costa Nova ou pela Vagueira, cada uma a dois quilómetros. Portanto nesta praia só estão mesmo as pessoas que fazem férias nas quintas do lado”, explica.

É um refúgio na natureza (e à beira-mar)

Quem preferir a ria, pode aproveitar e alugar caiaques ou pranchas de stand-up paddle. Ou então pedalar nas bicicletas disponibilizadas e percorrer o passadiço que acompanha a ria.

Brevemente haverá mais uma surpresa para os hóspedes. A partir de 18 de maio, a piscina exterior do Desertas estará em funcionamento pleno, para todos os que preferem as águas mais calmas e quentes.

Os preços começam nos 88€ por noite em época baixa e podem chegar aos 150€ na época alta.

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    Estrada Municipal 592, 50, Costa Nova
    3830-433 Ílhavo
ESTILO
alojamento local
PREÇO MÉDIO
entre 51€ e 100€
AMBIENTE
praia

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT