Turismos Rurais e Hotéis

Está prestes a abrir um oásis de pura tranquilidade em Sagres

A Casa Nook abre pela primeira vez a 1 de maio. Ali pode praticar ioga ou partir em busca de ondas nas praias das redondezas.
Um óasis de tranquilidade.

Tomás Alcobia, agora com 29 anos, passava férias em Sagres, no Algarve, desde que se lembra. Evitar apaixonar-se pela tranquilidade da região seria uma missão impossível e, tal como todos aqueles que por lá passam, não resistiu aos encantos algarvios. Agora, com mais dois sócios e amigos, Afonso e Diogo, está prestes a abrir um novo recanto no meio da natureza da zona. “Somos todos amigos de longa data, e todos nós fazemos surf”, conta à NiT. “Foi graças a este desporto que surgiu a ideia.”

Em 2020 decidiram adotar o regime de teletrabalho em simultâneo e mudaram-se para Almadena, onde o avô do jovem de 29 anos tem uma casa. “Nessa altura estava à procura de uma espaço para comprar e rentabilizar”, recorda-se. Já tinha visto um, mas não foi possível ficar com ele. Felizmente, mais tarde apresentaram-lhe um turismo rural inacabado. Quando o visitou, apaixonou-se.

A ideia de abrir um alojamento não era recente, remonta a 2016, quando viajou pelo sudoeste asiático com um amigo. Na Tailândia, ficaram em vários hostels e pensaram que podiam trazer o conceito para Portugal. Juntou isto ao amor pelo surf e viagens, e uns anos mais tarde, decidiu finalmente avançar com o projeto. “Na altura, o País estava fechado devido aos confinamentos, mas decidimos arriscar.” A Casa Nook receberá os seus primeiros hóspedes a 1 de maio, o que lhe parece o timing perfeito, já que as restrições já foram aliviadas.

O alojamento tem uma especial atenção aos nómadas digitais, uma forma de vida que marcou Tomás Alcobia. “Trabalhei numa startup americana que organizava viagens à volta do mundo durante um ano para pessoas que trabalhavam remotamente. Foi o início do meu contacto com este estilo de trabalho”, comenta. Durante esse período conheceu entre 500 a 1000 nómadas digitais.

Não são apenas a tranquilidade e a natureza que fizeram de Sagres o palco perfeito para a concretização de um dos seus sonhos. Começou por praticar bodyboard, e acabou por evoluir para o surf. Era comum apanhar ondas naquela zona do Algarve, e elogios não faltam. “Posso até dizer que se poderá vir a tornar numa meca do surf em Portugal, como a Ericeira, Peniche e a Nazaré. Tem as praias mais bonitas de Portugal, e as ondas têm um potencial incrível”, revela.

Nook significa tranquilidade, e é exatamente isso que a propriedade transmite, “entre o mar e o campo.” É ainda uma zona privilegiada para os amantes de aves. “Estamos entre Sagres e Vila do Bispo. Esta zona é uma rota migratória de muitas aves diferentes e raras, que migram entre a Europa e África, o que possibilita o avistamento de animais muito bonitos.” Durante a sua estadia, será comum ver outras formas de vida animal, como rebanhos de ovelhas e manadas de vacas. “É mesmo uma experiência de viver no campo e no Portugal rural”, descreve.

Não faltam formas de entretenimento dentro da propriedade de 15 hectares. Pode fazer ioga e relaxar com uma massagem, mas também pode escolher uma aula de surf ou partir numa tour de pesca e de avistamento de golfinhos. “Também poderão alugar bicicletas e equipamento de snorkeling”, destaca. Tudo isto está disponível na loja online da Casa Nook.

“É um espaço muito bonito, mesmo no meio do campo. A vista é só pradarias e espaços muito verdes. Em alguns pontos da Casa também é possível ver o mar”, frisa. A vibe é super relaxada e “a velocidade da Internet é excelente para os remote workers”. Na zona envolvente também encontra lugares fantásticos, como a praia da Ponta Ruiva, uma das mais bonitas onde o jovem surfista já esteve. 

Tendo em conta os problemas ambientais do século XXI, apostaram num alojamento com a menor pegada de carbono possível. “Temos autoclismos que consomem menos água, reciclamos todo o lixo e queremos fazer uma horta biológica, para depois servirmos o que colhemos”, revela.

A decoração dos quartos e das áreas comuns, como a cozinha, é bastante simples, sem grandes exageros. Vai encontrar alguma palha, muita madeira e janelas enormes, para que tenha toda a luz que precisa. Além disto, os acessos foram feitos a pensar nos hóspedes com mobilidade condicionada.

Poderá pernoitar num double room, num estúdio familiar ou num estúdio para grupos, apto para acolher até seis pessoas. Para maio, uma noite custa 80€, 110€ e 120€, respetivamente. À sexta-feira e sábado terá de acrescentar 10€ a estes valores. A estadia mínima é de duas noites.

Carregue na galeria e descubra o mais recente refúgio do Algarve.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT