Turismos Rurais e Hotéis

Há um novo parque de campismo naturista em Portugal

Terra Nua é o nome do novo espaço no Alentejo, onde todos podem estar em harmonia com a natureza.
A Piscina Cascata.

Na Estrada Municipal 1082, em Messejana, Aljustrel, nasceu um novo espaço de férias e repouso para quem acredita que viver em harmonia com a natureza e em paz com a sua expressão pessoal é deixar as roupas de lado — e assim também aumentar a autoestima, o respeito pelos outros e até pelo meio ambiente.

Terra Nua é o novo parque de campismo e caravanismo naturista/nudista no coração do Alentejo, com espaços de acampamento para tendas e caravanas ou autocaravanas e com atividades de lazer ao ar livre, em contacto direto com a natureza. O objetivo? Satisfazer as necessidades de relaxamento, descanso e distracção dos utentes, longe da rotina do dia-a-dia.

O novo espaço de convívio e de encontro de toda a comunidade naturista portuguesa — e estrangeira que visita Portugal —, “aliciados pelo excelente clima e qualidade do serviço”, numa zona em plena natureza e onde a aposta é sempre num ambiente familiar, nasceu do sonho de Jorge Coelho (53 anos) e o Helder Rodrigues (52).

Os amigos são ambos naturistas desde jovens e partilhavam o mesmo ideal: criar um pequeno espaço naturista no campo, onde tanto eles como quem assim quisesse, pudesse estar mais próximo da natureza e de tudo o que ela tem para oferecer. E assim, partilhar o seu espaço com outros — e de preferência “fazer disso uma forma de vida”, explica à NiT Jorge Coelho.

Juntos resolveram dar vida a esse sonho comum: construir um parque de campismo e caravanismo naturista e em espaço rural. Pretendem que seja um alojamento onde todos os naturistas e nudistas possam passar uns dias, sem roupa nem preconceitos, em comunhão com a natureza e longe de tudo.

O espaço abriu a 7 de agosto deste ano e tem 30 alvéolos, snack bar com esplanada e piscina exterior, além de todos os serviços essenciais. Profissionalmente, Jorge estava ligado ao turismo/hotelaria desde 1987 tendo passado por várias áreas como receção, reservas, comércio. Helder esteve ligado à banca durante 25 anos, apesar de a sua formação académica ser em Património Cultural e História da Arte. Ao longo dos anos foi reunindo competências em massagem, auxiliar de fisioterapia e em cozinha.

Ao iniciarem o projeto, sentiram uma lacuna que ele pretendia suprir: Ao contrário de outros países na Europa (nomeadamente França) onde a oferta deste tipo de espaços é já muito grande (de parques de campismo a hotéis), Portugal tem ainda muitos poucos espaços de oferta naturista, explicam os empresários à NiT, 

“Sabemos que há muitos portugueses a rumarem ao estrangeiro em busca destes espaços, sendo uma das razões para o fazerem, o facto de não terem quase opções por cá”, frisam. “Sabemos também que durante os meses de outono, inverno e primavera há bastantes turistas estrangeiros (nomeadamente holandeses, franceses, alemães) que pegam nas suas autocaravanas e rumam aos países do Sul e também a Portugal à procura do sol — e que sendo naturistas procuram alojar-se em espaços como o nosso”.

Por isso, deram o salto: “Achámos que deveríamos arriscar e “lançar todas as nossas fichas” nesta ideia. Este projeto não é apenas um projeto de negócio, mas também um projeto de vida para nós os dois”, adiantam.

Implicou mudar de vida de uma forma quase radical. Deixar os anteriores empregos, as suas casas no Algarve “e mudarmo-nos de corpo e de alma, para o Alentejo e para o meio do campo”.

O projeto demorou vários anos a edificar. A ideia inicial era criar o mesmo no Algarve, mas os preços proibitivos dos terrenos “entre outras coisas”, fez com que os mesmos procurassem e encontrassem no Alentejo o espaço que procuravam.

Foi um caminho difícil de percorrer. “O projeto teve que sofrer várias alterações e por forma a preencher todos os requisitos legais. Foi necessária uma grande dose de paciência e resiliência, para conseguir lidar e ultrapassar os muitos entraves burocráticos que encontrámos pelo caminho”, explicam.

Quando tudo parecia lançado, o novo coronavírus trouxe dificuldades acrescidas, com o confinamento, as fronteiras fechadas, os fornecedores a não conseguirem cumprir os prazos de entregas de materiais, sendo obrigados a adiar a abertura por várias vezes.

Mas a 7 de agosto o Parque de Campismo Terra Nua abriu: com capacidade para 89 pessoas e com 30 alvéolos com acesso a água (20 dos quais com acesso a eletricidade) e equipado com balneário com água quente, além da tal piscina ao ar livre, sala de receção e snack bar.

Os espaços de sunset e de lounge são outros dos locais onde se pode passar o tempo, beber uma bebida, ler um bom livro, conviver e usufruir de uma paisagem divinal, com o sossego a estar no topo das sensações.

Durante a noite, e porque não há zona habitável por perto, “o escuro da noite permite contemplar um céu estrelado que transporta a uma paz de espírito difícil de igualar”, garantem os proprietários.

Os preços em acampamento com tenda para duas pessoas são neste momento, a partir dos 21.50€ por noite. Um adulto paga 7,5€ e uma criança 3,75€

View this post on Instagram

Abertura: 07 Agosto 2020

A post shared by Terra Nua (@terra.nua) on

 

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT