Turismos Rurais e Hotéis

Já pode dormir num convento do século XVI em Évora que acolhia monges capuchos

O Conventinho começou a receber hóspedes em agosto e faz parte de um projeto de reabilitação de uma enorme herdade no Alentejo.
É um edifício histórico.

Em agosto, um edifício histórico do século XVI, em Évora, recentemente transformado em alojamento local, começou a receber hóspedes. Em tempos, o Convento do Bom Jesus de Valverde acolheu um pequeno grupo de monges da Ordem Capucha, que trabalhavam na propriedade quando ali ficavam durante as suas peregrinações. Nessas estadias, plantaram plantas não autóctones e foram responsáveis por dar vida a um incrível jardim botânico, que ainda hoje pode ser visitado.

Com cerca de oito hectares, com o passar do tempo a propriedade acabou por ficar esquecida, apesar da Universidade de Évora utilizar uma parte do espaço para laboratórios e trabalhos de investigação. Contudo, a instituição não tinha possibilidade de levar a cabo a requalificação profunda que o espaço necessitava e foi Sadik Ali quem se chegou à frente. 

Depois de abrirem um hotel de quatro estrelas na Figueira da Foz (Sweet Atlantic Hotel & Spa), cidade onde nasceu e cresceu, Sadik e o pai concorreram a um concurso do Estado para voltarem a dar vida à Herdade da Mitra. “Viemos dinamizar uma propriedade que, na verdade, estava abandonada há algum tempo e estava a precisar de alguma atenção”, explica à NiT o empreendedor de 41 anos.

A herdade teve origem na Quinta do Paço de Valverde e foi criada pela diocese de Évora no início do século XVI, para retiro e descanso dos cardeais e arcebispos. Dentro da propriedade, foi construído o Paço Episcopal e ainda hoje se mantêm alguns edifícios originais dessa época, bem como parte de uma fonte no Páteo Matos Rosa.

Cerca de 30 anos depois, o Cardeal-Rei D. Henrique, fundador da Universidade de Évora em 1559, mandou construir o Convento do Bom Jesus de Valverde, para acolher a tal ordem de monges capuchos. Atualmente, recebe hóspedes de todos os cantos do mundo.

Sadik ainda aguarda autorização por parte da autarquia para requalificar toda a propriedade, mas já avançaram com o primeiro projeto: um alojamento local. Chama-se O Conventinho e é um espaço que cruza “o passado com o futuro”. “Como não queríamos estar parados, decidimos pedir licença de alojamento local para o convento, que é uma pena passar tanto tempo fechado”, conta.

Foram buscar parte equipa de hotelaria à Figueira da Foz e, juntos, deram início ao projeto. De portas abertas desde agosto, o Conventinho é composto por nove quartos que mantêm algumas peças de do mobiliário que já lá estavam: “Eram móveis típicos da zona do Alentejo, feitos à mão. O que fizemos foi melhorar as janelas, reparar as portas e tubagens”. 

Os quartos são simples e as portas são pequenas, exatamente como eram na altura dos monges. “Os monges eram pequenos e não precisavam de portas muito grandes. Os quartos eram modestos porque eram utilizados apenas para dormirem durante as peregrinações”, explica Sadik.

Não colocaram televisões nos quartos por opção — para que os hóspedes pudessem estar “em comunhão com o espaço”, sem distrações. O alojamento local dispõe ainda de uma sala de estar, outra de pequenos-almoços e uma pequena capela com menos de 20 metros quadrados, “uma obra de arte espetacular, com tetos bonitos e uma porta de madeira com 500 anos”.

Os hóspedes podem passear pelo jardim botânico com oliveiras e árvores centenárias que rodeiam o edifício e visitarem as outras duas capelas que se encontram dentro da quinta. Apesar de 90 por cento do projeto já estar concluído, ainda pretendem adicionar uma piscina exterior, um pequeno restaurante e uma loja de conveniência.

“Temos o polo da Universidade de Évora mesmo em frente e faz sentido termos alguma oferta deste tipo, porque naquela zona existem poucos serviços do género acessíveis a pé”, explica. 

Além das acomodações no Conventinho, que será sempre o produto mais histórico, está prevista a requalificação dos apartamentos que existem no Páteo Matos Rosa e a construção de bungalows com materiais locais e sustentáveis, mais direcionado para casais.

Futuramente, o objetivo passa por promover o turismo holístico, organizando alguns encontros de ioga e workshops, e também planeiam receber eventos maiores, como casamentos e batizados. Por enquanto, pode pernoitar num dos quartos do Conventinho, com preços a partir de 75€ por noite. As reservas podem ser feitas através do Booking.

De seguida, carregue na galeria para ficar a conhecer melhor este alojamento histórico.

ver galeria

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    Herdade da Mitra
    7000-083  Évora
ESTILO
alojamento local
PREÇO MÉDIO
Entre 50€ e 100€
AMBIENTE
urbano

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT