Turismos Rurais e Hotéis

Miguel continuou o legado do pai e abriu um turismo rural num monte alentejano

A herdade inaugurou recentemente dois bungalows, instalados mesmo em frente a uma barragem.
Fica em Vila Viçosa.

Miguel Parreira viveu em Lisboa até 2000, onde trabalhou como diretor comercial de uma empresa. Tudo mudou quando o pai morreu, na viragem do século. De malas feitas, despediu-se da capital e mudou-se para o Alentejo, onde o progenitor tinha algumas propriedades agrícolas.

“Decidi vir para Elvas para tentar continuar aquilo que tinha deixado”, começa por contar à NiT. Com formação na área agrícola, rapidamente percebeu que “havia coisas ótimas” na região, cheia de “saberes e sabores”, que era preciso dar a conhecer às pessoas.

Partilhas feitas acabou por herdar um “monte completamente abandonado”, integrado num terreno com cerca de 675 hectares, na zona de Vila Viçosa. Ali, pouco mais havia além de umas ruínas, mas nem isso o assustou. Ia fazer daquele sítio “um refúgio de férias” para mostrar “a verdadeira beleza do Alentejo”.

“Queria recuperá-lo e fazer algo diferente. Acredito que as coisas só têm valor na vida se forem partilhadas”, sublinha. Durante três anos, foi todos os dias até à propriedade, com a mulher, para acompanhar as obras e alterar o que fosse preciso. Tudo foi criado “com muito amor e dedicação”.

Tendo como base uma casa de campo histórica, o projeto de revitalização preservou a traça original e os detalhes que fazem deste um local tão especial. Feitas as intervenções necessárias, abriu oficialmente o Monte dos Cordeiros, em fevereiro de 2019, com três quartos disponíveis — mas o conceito do negócio tem mudado ao longo dos anos.

Inicialmente, o projeto foi criado a pensar em “pessoas com mais idade, geralmente com mais de 50 anos”, que procuravam apenas um lugar sossegado na região para passar uns dias de descanso. Com a chegada da pandemia, foi obrigado a adaptar-se à nova realidade e decidiu mudar ligeiramente o público alvo.

Primeiro, começou por transformar o antigo pavilhão de caça numa enorme sala de estar, onde passou a servir refeições e pequenos-almoços. Depois, começou a abrir a casa também às famílias — e esta não foi a única mudança. 

Os novos bungalows

“Com os confinamentos, começámos a perceber que as pessoas estavam fartas de confusão e que queriam estar em contacto com a natureza. Então, quisemos diversificar a atividade”, diz. Aproveitando a envolvente, Miguel pensou que seria boa ideia colocar ali dois bungalows de madeira, “só para experimentar”.

Instalados mesmo em frente a uma barragem e afastados o suficiente da casa principal para estarem completamente isolados, as novas unidades do Monte do Cordeiro foram inauguradas em agosto deste ano. 

Com capacidade para dois adultos e uma criança, o espaço de 50 metros quadrados dispõe de uma sala, uma kitchenette com frigorífico, fogão e lava-loiças, bem como uma casa de banho. No exterior, podem encontrar um terraço com uma zona de refeições ao ar livre.

 

Situados num local “suficientemente escuro”, os hóspedes dos novos bungalows têm a oportunidade de ver o céu estrelado todas as noites — e nem é preciso sair do quarto. A pensar em todos os fãs de astronomia, colocou uma janela de vidro por cima da cama, “para que todos possam observar as estrelas”.

“Com esta decisão conseguimos crescer em termos de capacidade de alojamento de uma forma sustentável. Recebemos esta semana a certificação Biosphere devido à nossa política de turismo responsável”, destaca. Aqui, os hóspedes conseguem “ouvir o barulho da natureza” e acordar de manhã “com os animais no terraço”.

É possível que se cruze com várias ovelhas, vacas e porcos de raça alentejana, já que andavam livremente pelos terrenos. Pelo espaço encontrará ainda um “pequeno bosque com árvores autóctones” e uma piscina comum partilhada por todos os hóspedes, com 100 metros quadrados. 

Outra das novidades para este ano é o lançamento de uma marca de produtos tradicionais feitos apenas com produtos da herdade, como compotas, licores e enchidos de porco preto.

O Monte dos Cordeiros dispõe ainda três casas T1, com capacidade até três pessoas, sendo que é possível aluguer tudo em conjunto. Quem ficar alojado numa delas, terá direito a um pequeno-almoço à carta, e não em regime buffet, como é habitual neste tipo de alojamentos. Desta forma, o “desperdício alimentar é sempre zero”. Se optar pelos bungalows, irá receber um cesto com produtos todas as manhãs, mas também é possível pedir este serviço.

Além das estadias, recentemente começaram a organizar casamentos “muito giros no meio do campo”. O Monte dos Cordeiros passou, também, a ser o centro de uma série de atividades, como birdwatching, observação de estrelas, caminhadas em várias rotas ou passeios de bicicleta. Quem estiver interessado, também pode participar no dia a dia dos animais. “Já tivemos aqui uns holandeses que quiseram assistir ao parto de uma vaca”, revela.

Uma noite num dos novos bungalows da propriedade custa entre 160€ e 195€, dependendo da época. As reservas podem ser feitas online.

Carregue na galeria para ver mais imagens do Monte dos Cordeiros, em Elvas.

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    Monte dos Cordeiros, S/N S. Romão

    7160- 101 Ciladas  Évora
ESTILO
turismo rural
PREÇO MÉDIO
Entre 100€ e 200€
AMBIENTE
rural

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT