Turismos Rurais e Hotéis

Monte do Malhão: o turismo rural no Algarve que é também um verdadeiro museu de arte

É um espaço que une ecologia, bem-estar e arte. Em outubro será inaugurado a RuralizArte, uma exposição com obras de 17 artistas.

Quem acha que o Algarve só merece uma visita nos meses de verão, não podia estar mais enganado: há muito mais para fazer e ver do que as tão famosas praias. Além da beleza inegável, é uma região cheia de história, de artistas e projetos diferenciadores, como o Monte do Malhão, um turismo rural em Castro Marim.

Apesar de ser uma unidade de alojamento é, na verdade, muito mais do que isso. É um espaço que une a arte, a ecologia, a saúde e o bem-estar. Por outras palavras, podemos mesmo dizer que é o melhor dos dois mundos. 

Desde que começou a receber hóspedes, há cerca de 10 anos, já passaram por lá inúmeras atividades de dimensão nacional e internacional, desde exposições de pintura, conferências, debates, apresentações de livros e concertos. Contudo, o ponto alto desta vertente vai ser inaugurado em outubro: o turismo rural vai ser casa de um Centro de Artes, o “RuralizArte”, que congrega 17 manifestações artísticas de diversos autores  — mas já lá vamos.

Esta história começou há mais de uma década, quando Susana Sousa, jornalista de profissão, regressou ao Algarve depois de anos a trabalhar em Lisboa. Juntamente com o marido, Alexandre Laurent, mudou-se para o Malhão em 2007 e ambos ficaram apaixonados pela zona. “Vimos um terreno com dois hectares, uma coisa grande, e como havia experiência da parte do Alexandre, que trabalhava na área, decidimos avançar com um projeto de turismo rural“, começa por contar à NiT a proprietária, de 42 anos. 

Quando decidiram fugir da cidade para rumarem à tranquilidade e beleza do campo, havia muitos poucos moradores e a última criança tinha nascido há 30 anos — até que nasceu o primeiro filho do casal, o Diogo, em 2008. Ao lado da casa onde moravam, tinha como vizinho o morador mais antigo do monte que, na altura, tinha 98 anos.

O Monte do Malhão: Arte, eco & Spa começou a ser edificado em 2010, a partir de uma casa de campo centenária no barrocal algarvio. “Procurámos um arquiteto de referência no que diz respeito à arquitetura local, que conhecesse bem a traça e a dinâmica da casa para construir algo que fosse buscar essa história”, refere.

Apesar da arquitetura do hotel ser um desenho contemporâneo, inspira-se na arquitetura local, valorizando a cultura desta zona de barrocal. A chaminé, por exemplo, corresponde ao primeiro registo de desenho de chaminé naquela zona do Algarve.

O grande objetivo do casal com este projeto era sobretudo potenciar o turismo, não só no verão, mas ao longo de todo o ano, promovendo o território e todas as suas potencialidades que existem nas quatro estações. As maiores particularidades deste turismo rural, que atrai turistas mesmo em época baixa, são as vertentes artístico-culturais, bem como de saúde e bem estar.

“Costumamos dizer que o Monte do Malhão não é um ponto de chegada, mas um ponto de partida para a descoberta do território. O Algarve é muito mais do que sol e praias. É uma forma de estar e isso dá-nos uma satisfação enorme”, destaca.

As várias vertentes do turismo rural

O Monte do Malhão é uma unidade de turismo rural que une a arte, a ecologia e o bem-estar. Desde o início que é abastecido por 56 painéis solares fotovoltaicos, que permitem a produção de energia, e 10 painéis solares térmicos.Construíram uma barragem para ajudar na rega das árvores e plantas e os produtos de higiene que oferecem aos clientes são 100 por cento naturais.

Como é um alojamento que está aberto o ano inteiro, não podia deixar de faltar a vertente do spa, perfeito para os meses mais frios. Os hóspedes podem encontrar uma piscina interior aquecida com zona de jato de pressão e hidromassagem, bem como sauna, banho turco, duche sensações e um espaço coberto para exercício físico. Têm ainda à disposição outros serviços de terapia, tais como thai, reflexologia aqua terapia, pedras quentes, aromaterapia e ioga.

Contudo, é a vertente da arte que mais se destaca. Afinal, não é todos os dias que se fica hospedado num hotel que é também uma verdadeira galeria de arte. Apesar de estarem abertos há mais de 10 anos, continuam a pensar em formas de inovar e crescer.

Neste mês de outubro, será inaugurado o Centro de Artes RuralizArte, com obras de artistas da região, mas também do Alentejo, Andaluzia, Reino Unido e São Tomé e Príncipe. O espaço está aberto ao público geral e é totalmente gratuito — precisamente para mostrar o território e a sua diversidade a todas as pessoas.

A visita dura cerca de uma hora e, ao longo do passeio, irá encontrar pinturas, esculturas, design gráfico, fotografias, graffitis, mural de sombras, xilogravura, desenho e tapeçaria de artistas como Ana Sousa, Paulo Duarte Filipe, Rui Rosa, Elias Gato, Júlio Antão ou Sen.

A exposição tem um QR Code para que cada visitante possa descarregar toda a informação sobre o artista e a obra que têm à sua frente. As 17 manifestações artísticas estão espalhadas pelas áreas comuns do hotel e trata-se de um projeto financiado pelo Ministério da Cultura.

“Este é, digamos, o ponto alto da execução da nossa vertente Art, na medida em que é um projeto muito amplo e que surge depois de uma oportunidade do programa ‘Garantir Cultura’, do Ministério da Cultura, em que vimos apoiado o nosso projeto em 90% através de uma candidatura realizada em 2022”. É mais um passo importante para fazer crescer o turismo cultural do Algarve, ao mesmo tempo que oferecem uma experiência diversificada aos visitantes do território. 

O Monte do Malhão dispõe de nove suites e todas elas têm o nome de autores da literatura portuguesa, assim como uma pequena descrição. Pode ficar a dormir no quarto Fernando Pessoa, José Saramago, Sophia de Mello Breyner Andresen, Gil Vicente ou Luís de Camões.

As suites estão distribuídas por cinco tipologias diferentes, todas com uma zona de estar e terraço, e uma delas até tem um jacuzzi privativo. No interior, além de spa, existem outras áreas comuns, como um enorme salão com lareira, livros, mesa de snooker e televisão, um bar com bebidas e snacks e, claro, o corredor de acesso onde poderá ver a exposição de arte.

Já no exterior, os hóspedes podem encontrar a piscina de água salgada, três zonas de terraço, um percurso pedestre de acesso ao miradouro onde pode ver Espanha ao longe, uma zona dos animais onde pode conhecer os dois burros do Monte Malhão, o Malhanito e a Lola (que irá dar à luz este mês), uma horta de aromáticas e chás e um pátio.

Os valores variam entre os 120€ e os 170€ por noite, com pequeno-almoço incluído. De seguida, carregue na galeria para conhecer melhor o Monte Malhão.

ver galeria

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    Caixa Postal 272
    8950-191 Castro Marim
ESTILO
turismo rural
PREÇO MÉDIO
Entre 100€ e 200€
AMBIENTE
rural

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT