Turismos Rurais e Hotéis

O boutique hotel no Algarve erguido pela família do fundador das conservas Ramirez

A Quinta de Cima, comprada em 1925, é considerada uma exploração agrícola exemplar no Algarve. Agora abriu como turismo rural.
Abriu em fevereiro.

José Brion jamais irá esquecer as férias de verão que costumava passar em Vila Nova de Cacela, no Sotavento Algarvio, quando era um miúdo. Afinal, foi lá que aprendeu a andar de bicicleta — e não só. Tinha apenas nove anos quando aprendeu a conduzir nos terrenos da quinta que está na sua família há quase  100 anos.

“Lembro-me de acabar de almoçar e perguntar ao meu pai quando podíamos ir guiar, para me ensinar a carregar nos pedais”, começa por contar à NiT o lisboeta, com formação em gestão e teatro.

Já crescido, recorda-se também das noites que passava com os amigos a observar as chuvas de estrelas no verão, e de ir a Espanha, que estava ali tão perto, para comprar doces que não existiam em Portugal. São momentos que não se esquecem, passem os anos que passarem.

Agora, aos 32 anos, vai ser um dos responsáveis por criar memórias a tantas outras famílias que queiram passar as férias na Quinta de Cima, a casa que o viu crescer. Considerada ao longo de décadas como pioneira na introdução das melhores práticas agrícolas na região, a propriedade de 50 hectares, agora rejuvenescida, abriu como turismo rural.

Na família há cerca de 100 anos, a propriedade foi comprada em 1925 pelo trisavô de José, Frederico Ramirez, um dos herdeiros de Sebastian Ramirez, fundador da famosa empresa de conservas com o mesmo nome. “Como era negociante de conservas, acabou por comprar várias propriedades aqui no Algarve e uma delas foi a Quinta de Cima, que foi passando de geração em geração”, diz.

Nos anos 50 e 60, foi considerada uma exploração agrícola “ímpar e exemplar” no Algarve. “Sempre existiu uma grande relação com as cidades aqui à volta, todos têm um pai ou um familiar que trabalhou aqui. A avó de um dos senhores que agora trata da piscina era modista do meu trisavô”, revela.

O da produção agrícola foi mudando ao longo do tempo. Inicialmente, a propriedade só tinha amendoeiras, mas quando chegou às mãos do avô de José, as laranjas tornaram-se protagonistas. Atualmente, estes citrinos continuam ocupar uma posição de destaque na exploração agrícola, mas partilham o espaço com os limões e com os abacates.

A mudança “mais radical” aconteceu recentemente, com a abertura da propriedade ao público. “O meu pai sempre sonhou abrir um boutique hotel na quinta, mas não tinha possibilidades financeiras para o concretizar”, explica.

Quando se tornou o único dono da propriedade, por volta de 2018, decidiu que não valia a pena adiar mais o sonho. Dois anos depois, arrancaram as obras para transformar as casas dos antigos colaboradores em alojamentos turísticos — exceto a casa de um casal de 82 anos que ainda hoje ali mora.

“Foi uma obra muito grande, mas sempre com um enorme respeito pela arquitetura original”, refere. A 1 de fevereiro, tornou-se oficial: a Quinta de Cima abriu como boutique hotel rural.

Com uma localização privilegiada, “a sul da Estrada Nacional 125 e com fim na ria Formosa”, o novo alojamento de Vila Nova de Cacela conta com nove suites com pátios privativos e com nomes de frutas produzidas na propriedade.

Com 70 metros quadrados, os quartos têm capacidade para duas pessoas e incluem uma sala de estar com kitchenette e casa de banho com chão aquecido. Quanto à decoração, é minimalista, mas com um toque de modernidade e algum mobiliário antigo que foi restaurado.

Os antigos armazéns agrícolas foram transformados em dois salões enormes: um deles funciona como a sala de pequeno-almoço, com capacidade para quase 20 pessoas; e o outro como sala de estar, onde os hóspedes podem conviver e até jogar bilhar. 

Já no exterior, o destaque vai para a piscina e a zona de refeições. “Fizemos um projeto de arquitetura paisagística muito giro, onde criámos vários espaços com árvores como se fossem nove ilhas para cada quarto ter a sua zona privada”, sublinha.

Uma das mais-valias é, sem dúvida, a vista. “Estou aqui na sala de estar e vejo as árvores, o campo e o mar”, destaca o responsável. Os preços da estadia no novo boutique hotel do Algarve, oscilam entre os 220 e os 390€ por noite, dependendo da época. As reservas podem ser feitas online.

Carregue na galeria para ver mais imagens da Quinta de Cima. 

 

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    EM1242, Vila Nova de Cacela
    Portugal
    8900-066  Vila Real de Santo António
ESTILO
turismo rural
PREÇO MÉDIO
Mais de 200€
AMBIENTE
rural

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT