Turismos Rurais e Hotéis

O Domes Lake Algarve levou-nos numa incrível viagem à Grécia sem sairmos do País

No novo hotel de cinco estrelas em Vilamoura mergulhámos na piscina com fundo de areia natural e fizemos stand up paddle no lago.
É um paraíso.

Mais de 4000 quilómetros separam Portugal da Grécia. De Lisboa ao Domes Lake Algarve, são apenas 265 — e a diferença não é muita. O Domes Resorts saiu das ilhas gregas pela primeira vez e instalou-se na região mais a sul do País, para nos levar a viajar sem sequer sair de Portugal. E que viagem foi.

Antes de partir para o Algarve, uma das primeiras coisas que se faz é olhar para a meteorologia. Desta vez, não o devia ter feito. As previsões diziam que ia chover (e até trovejar) durante os dias em que ia estar hospedada no luxuoso hotel que abriu no dia 9 de abril, em Vilamoura. Ainda apanhei alguns chuviscos pelo caminho, mas assim que estacionei o carro junto à marina, o sol abriu-se. E eu entrei no paraíso.

Assim como os típicos hotéis gregos, as paredes do edifício eram totalmente brancas, com alguns quadros pendurados e um teto em forma de cúpula que se destaca de tudo o resto. Não esperámos mais do que dois minutos até sermos recebidas por um dos colaboradores, que nos levou a conhecer os recantos deste icónico espaço, que conta com 192 quartos e suites e uma decoração inspirada na paisagem eco-protegista envolvente.

Pelas fotografias que vi, já sabia que o Domes Lake Resort era o paraíso, mas nada se compara com a experiência ao vivo. Ainda mal tinha chegado, e já estava a sofrer por saber que, dali a duas noites, teria que me despedir daquele lugar. 

Depois de conhecer por alto algumas das áreas comuns do hotel, chegou a altura de ver o mais importante: o sítio onde íamos dormir. Ficámos no quarto piso, o último da unidade hoteleira, e tivemos a sorte de estar bem no centro de tudo. Da varanda, a vista era única. Podia ficar lá fora a apreciar a paisagem durante horas que não me cansava. À minha frente, via o enorme lago, as três piscinas do hotel, o restaurante Makris On The Lake, que fica sobre o lago de água de salgada, e as inúmeras árvores que embelezam ainda mais a paisagem.

O quarto era espaçoso, com uma cama de casal, um sofá, uma secretária e uma enorme televisão. A casa de banho tinha duas divisões, uma apenas com a sanita e a pia, e a outra com a banheira e o duche.

Como não queríamos perder muito mais tempo (até porque há tanto para fazer ali), voltamos a descer até ao piso 0, onde nos esperavam três incríveis piscinas. Aqui, o difícil foi mesmo escolher, mas optámos por ficar em frente à piscina com fundo de areia natural, a única do género em Portugal. 

Nenhuma delas é muito funda, o que é perfeito para famílias com miúdos. Além disso, o hotel disponibiliza ainda um Kid’s Club com várias atividades para os mais novos, para que os pais possam descansar à vontade.

Entre as três piscinas, há ainda um bar de apoio que serve vários cocktails e refeições mais leves. Acabámos por pedir uma bebida e ficámos por ali até o pôr do sol, quando começou a arrefecer. Ainda antes do jantar, fomos dar uma volta pelo deck de madeira que se estende pelos jardins e descobrimos que, além do ginásio interior, há um espaço no exterior com vista para o lago com alguns equipamentos para fazer exercício. 

Por volta das 20h30, fomos até ao restaurante Gustatio para o merecido jantar, que é em serviço de buffet. Mesmo ao lado da esplanada, há uma mesa de bilhar e de ténis de mesa que podem ser utilizadas pelos hóspedes. E como bons hóspedes que somos, claro que não desperdiçámos a oportunidade de jogar um bocadinho.

Como o hotel fica a cerca de cinco minutos a pé da Marina de Vilamoura, que foi considerada recentemente como a melhor marina do mundo, foi lá que terminámos a noite. O que não faltam são restaurantes e bares, uns com música ao vivo, outros com karaoke.

O dia seguinte começou cedo, até porque não queríamos perder o pequeno-almoço do hotel, que também é servido no Gustatio. Pão, bacon, ovos mexidos e estrelados, salsichas, feijão e fruta são (apenas) algumas das opções do buffet. 

Como o tempo estava meio estranho e não sabíamos se ia chover ou não, decidimos dedicar o resto da manhã para conhecer o centro de bem-estar. Felizmente, estava praticamente vazio e ficámos com o espaço só para nós. Durante cerca de hora e meia, experimentámos um pouco de tudo: a sauna, o banho turco, o jacuzzi, a banheira que simula o mar morto, com muita concentração de sal e onde podemos flutuar, e a piscina interior com vários jatos de água. 

Assim que o sol começou a abrir, saímos deste refúgio e, tal como no dia interior, a nossa escolha recaiu para a piscina com a areia natural. Pedimos umas batatas fritas com bacon e queijo cheddar e uma tosta de frango para o almoço e ficámos por lá o resto da tarde.

Às 16h30, fomos obrigadas a sair das nossas espreguiçadeiras porque tínhamos um compromisso mais importante: ter uma aula de Stand-Up Paddle. É uma das várias atividades que o hotel oferece aos hóspedes gratuitamente, mas também há, por exemplo, ioga ou canoagem. 

Meio a medo, até porque não me lembrava da última vez que tinha estado em cima de uma prancha no mar, lá fui para a aula de uma hora e, curiosamente, até nem correu assim tão mal. Não caí nenhuma vez ao lago, o que já pode ser considerado uma vitória. 

A aula é dada por um instrutor do hotel que, antes de nos “atirar” à água, explica a posição e os movimentos que devemos fazer quando estivermos em cima da prancha, que era muito mais estável do que eu estava à espera. Demos umas duas ou três voltas ao lago mas, para quem é iniciante no desporto, como no meu caso, passado meia hora já estava com algumas dores nos pés. A aula terminou mesmo quando a chuva decidiu dar sinais de vida.

Felizmente, já tínhamos uma massagem de 20 minutos marcada no Soma Spa para meia hora depois da atividade e conseguimos escapar dos chuviscos. O dia não podia ter terminado da melhor maneira: depois daquela manhã no centro de bem-estar, da tarde passada na espreguiçadeira da piscina e da massagem, acho que nunca estive tão relaxada na vida.

À noite, aproveitámos para dar uma última volta pela marina, mas regressámos cedo ao hotel, até porque tínhamos de acordar de madrugada no dia seguinte e enfrentar uma viagem de mais de duas horas, depois de uma noite de trovoada. A vida não é só hotéis e spas. Infelizmente.

De seguida, carregue na galeria para conhecer o Domes Lake Algarve.

ver galeria

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    Praia da Falésia, Apartado 811
    8126-910 Albufeira
ESTILO
hotel
PREÇO MÉDIO
Mais de 200€
AMBIENTE
familiar

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT