Turismos Rurais e Hotéis

O hotel lisboeta dedicado a Fernando Pessoa agora é um espaço de cowork

A crise levou à criação de pacotes inéditos no Mensagem. Pode trabalhar com uma vista e condições únicas na cidade.
O terraço (foto de Mário Cerdeira).

No restaurante Mensagem, do Lisboa Pessoa Hotel, em vez de refeições servem-se agora espaços de cowork. Para se adaptar ao tempo de pandemia e à falta de clientes, o restaurante/bar panorâmico transformou-se num espaço onde qualquer nómada digital ou cidadão em teletrabalho pode passar algumas horas com conforto e uma vista incrível.

Através das enormes janelas do Mensagem, no topo de um edifício com cinco pisos, consegue observar o Castelo de São Jorge, o rio Tejo, as Ruínas do Carmo e o velho casario de Lisboa. Um cenário privilegiado, numa zona nobre, que para a administração deve ser aproveitado noutras utilizações comerciais: como o Mensagem Cowork, que acabam de lançar.

“Com toda esta atmosfera literária, achamos que este é um produto que tem tudo para ser bem-sucedido. Os livros e arte inspiram à criação e aguçam a criatividade e empreendedorismo das pessoas”, explica-nos a administração.

O motivo é claro: tentar inverter os resultados de um ano difícil. A pandemia e o confinamento não foram fáceis para a unidade dedicada a Fernando Pessoa — como para tantas outras. “Estamos a gerir a situação de confinamento com muita preocupação. Sempre gerimos eficientemente os nossos recursos, mas mais ainda nesta fase, face à menor liquidez”, explica à NiT o administrador da unidade, António Gonçalves.

Em 2020, diz-nos, o cliente do Pessoa Hotel mudou: são, agora, na sua maioria millennials e digital nomads que por lá passam. “Estamos, por isso, a adaptar o negócio em áreas nunca antes pensadas pois vivíamos principalmente de turistas que nos visitavam por motivos de lazer ou cultura”, explica o responsável.

Além disso, com a pandemia, o teletrabalho disparou, o que levou à ideia da mudança: “Considerámos importante reconverter o nosso Restaurante Mensagem em espaços de Cowork”, frisa o administrador. O Mensagem irá manter o serviço de pequenos-almoços para os hóspedes, mas depois disso e até ás 19 horas será um espaço para ser vivido por quem deseja sair de casa para trabalhar, pontualmente ou não.

Um pormenor do hotel.

“Os nossos planos são flexíveis e não possuem qualquer obrigatoriedade. São ideais para quem deseja quebrar rotinas e procura um espaço para estimular a sua motivação e criatividade. Um espaço disponível para freelancers, empresários e profissionais em teletrabalho”, diz ainda António Gonçalves.

Além disso, adianta, o Mensagem Cowork apresenta uma grande vantagem, que é a de estar integrado dentro do Lisboa Pessoa Hotel. Por isso, dispõe de serviços como o espaço wellness, estacionamento, refeições a pedido, salas de reunião e alojamento.

Esta não é, no entanto, a única aposta do espaço, na sua luta pela sobrevivência: “Criámos, recentemente, tarifas para os últimos dois fins de semana que pudessem ser interessantes para uma altura de confinamento. Nesse âmbito desenvolvemos um programa de alojamento combinado com o nosso espaço wellness e um momento gastronómico ao jantar, reabrindo propositadamente o Mensagem, o nosso restaurante e bar panorâmico”

Agora, é esperar que resulte. “Face às últimas decisões do governo, antevemos um agravamento maior na receita, o que sem dúvida nos causa muita inquietação”, adianta o responsável pelo hotel.

2020 foi e está a ser, não o esconde, muito difícil: “No verão tivemos um decréscimo de 75% nas vendas face ao período homólogo de 2019. Em outubro com os confinamentos na Europa a situação agravou-se. Neste momento, face às várias medidas restritivas nacionais, estamos a viver tempos de muita apreensão. Estamos abertos e esperamos assim continuar, mas dependerá da procura”, conclui António Gonçalves, lançando um apelo: “Gostaríamos e precisamos de apoios mas a fundo perdido que permitam que as empresas se mantenham viáveis por altura da retoma. Quanto aos programas de apoio aos postos de trabalho ‘lay off’, estes têm, sem dúvida, sido benéficos”.

Pode trabalhar aqui.

Numa tentativa de inverter a grave crise do setor, recentemente a Associação da Hotelaria de Portugal (AHP) defendeu que os hotéis portugueses encarassem outras utilizações comerciais de curta ou longa duração, para além do simples alojamento, “como escritórios, espaços de cowork, realização de reuniões, exposições e outros eventos culturais, showrooms, ensino e formação e, “eventualmente”, centros de dia ou residências assistidas.

O Mensagem tem uma arquitetura moderna, num piso amplo e arejado, que privilegia os materiais naturais. É o caso do mobiliário de madeira e dos pequenos nichos também construídos neste material. Os muitos apontamentos ligados a Fernando Pessoa, como vitrines com livros do poeta e edições limitadas, dão ainda mais carisma ao espaço.

O cowork é multifacetado e oferece a quem vier trabalhar dois terraços exteriores para uma pausa ou um momento de socialização, uma biblioteca no piso 0 com uma vasta coleção de livros literários, poéticos e técnicos de turismo, salas de reunião, zona de ginásio e SPA, estacionamento, refeições mediante marcação prévia e alojamento. 

Os planos são, como já se referiu, totalmente personalizados e adaptáveis às necessidades de quem queira usufruir deste espaço para trabalhar, relaxar ou cuidar de si. Não têm obrigatoriedade de fidelização e podem ser  diários, semanais ou mensais, sendo por isso ideais para freelancers ou pessoas em teletrabalho que procurem quebrar rotinas, estimular a motivação e criatividade. É possível combinar o espaço cowork com variadíssimos serviços: estacionamento, refeições (Mensagem’Snacks) ao almoço, treino livre ou com PT, zona acqua, massagens ou tratamentos (Organic Medical Fitness & SPA), salas de reunião, biblioteca e alojamento.

Os preços do cowork neste espaço incrível começam nos 25€ por pessoa a cada dia.

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    R. da Oliveira ao Carmo 8, 1200-092 Lisboa
    1200-092 Lisboa
PREÇO MÉDIO
1

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT