Turismos Rurais e Hotéis

O inédito moinho que faz parte da mesma família há 70 anos — e onde pode dormir

A Moinho House fica situada no topo de um monte com 202 metros de altitude, na Póvoa de Varzim.
Fica na Póvoa do Varzim.

Na década de 1950, o engenheiro Arsénio Nunes da Fonseca, ao explorar a zona da colina de São Félix, na Póvoa de Varzim, descobriu cinco moinhos de vento que tinham sido destruídos pelo tempo. Impressionado com as vistas do local, decidiu reconstruir os edifícios para usar como retiro de férias.

Gostou tanto do conceito que, 20 anos mais tarde, decidiu oferecer uma espécie de presente à família: mandou construir de raiz um moinho ainda maior para servir de casa de férias dos netos. Inaugurada em 1975, a Casa Moinho está na família Sampaio há décadas, que a tem utilizado para acolher todos os convívios familiares.

Joana Sampaio, de 33 anos, faz parte da quarta geração da família e recorda-se bem dos dias passados no moinho na Póvoa de Varzim, situado ao lado de um dos miradouros mais famosos da zona, a cerca de 200 metros de altitude. “Enquanto os meus pais e tios trabalhavam, nas férias escolares, ajudava a minha avó a vender gelados ali, na altura em que surgiram as barraca da Olá”, começa por contar à NiT a neta de Madalena Sampaio, a “personalidade mais conhecida do Morro de São Félix”.

A família Sampaio.

O pequeno negócio de gelados fez sucesso durante 40 anos e foi o que ajudou financeiramente a manutenção do espaço. Por ser uma zona de elevado interesse turístico — sobretudo devido ao miradouro com uma vista de 360 graus de onde se pode avistar Braga nos dias de céu mais limpo —, “ia muita gente até lá para ver o mar”. Outros, iam com o propósito de passar pela Capela de São Félix, hoje liderada pelo DJ e padre Guilherme, que criou uma discoteca mesmo ao lado para dinamizar a comunidade local.

A venda de gelados era um sucesso na zona, mas, aos 80 anos, Madalena sabia que estava na hora de se aposentar do seu pequeno negócio. Sem gelados para continuar a financiar o espaço, surgiu a ideia de o transformar num alojamento.

“Quando fui para o Dubai, em 2014, devido ao trabalho como hospedeira de bordo da Emirates, decidi falar com a minha família. Disse-lhes que talvez não fosse má ideia alterarmos para alojamento local, apesar de ainda passarmos lá temporadas ocasionalmente”, explica.

A mudança não obrigou a muitas alterações, uma vez que o moinho continuava em boas condições. Assim, em 2016, abriu ao público pela primeira vez e hoje faz parte da categoria “Meu Deus!” do Airbnb, onde só se encontram alojamentos únicos e diferentes.

“O mais importante para nós é manter o espaço. Não queríamos que ficasse como alguns moinhos da zona, que estão neste momento abandonados”, confessa.

Apesar de não parecer, o moinho tem um total de seis andares, mas apenas três deles estão abertos para receber hóspedes. Lá dentro pode encontrar cinco quartos, um deles suite, uma grande sala de jantar, sala de estar, cozinha totalmente equipada e duas casas de banho.

O alojamento tem capacidade para acomodar oito pessoas e por lá encontra algumas relíquias antigas, como é o caso do “carrinho de chá à antiga, utilizado para servir chá nos hotéis”. Na zona exterior, os hóspedes podem aproveitar a churrasqueira no jardim, as três mesas de pedra junto ao moinho, e “todo o espaço verde à volta”

Para ficar alojado neste moinho inédito na Póvoa de Varzim, os preços rondam os 200€ e os 300€, dependendo da época. As reservas podem ser feitas online.

Carregue na galeria para conhecer melhor a Moinho House. 

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    R. de São Félix 901

    4570-345  Póvoa de Varzim
ESTILO
alojamento local
PREÇO MÉDIO
Mais de 200€
AMBIENTE
serra

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT