Turismos Rurais e Hotéis

O moinho do século XIX que se transformou num alojamento fruto de uma história de amor

O The Forest Windmill fica perto da Nazaré, a cinco minutos da praia, e começou a aceitar reservas em junho deste ano.
Tem uma janela panorâmica.

Não há nada mais romântico do que uma escapadinha longe da azáfama da vida na cidade. Há cada vez mais casais a trocar os hotéis de cinco estrelas por um turismo rural. Ou, se forem aventureiros, por um moinho de vento que fica, literalmente, no meio do nada. 

Já lá vai o tempo em que os moinhos serviam apenas para transformar a energia eólica noutro tipo de energia. Agora, também são utilizados como alojamento — e pode encontrar um desses no topo de uma colina perto da Nazaré. O refúgio romântico, chamado The Forest Windmill, começou a receber hóspedes em junho deste ano e nasceu, curiosamente, de uma história de amor que foi contada à NiT por Ana Elisa, uma portuguesa que está a viver e a trabalhar no Dubai há 17 anos. 

Quando tinha 24 anos, a jovem mudou-se para os Emirados Árabes Unidos onde planeava dicar seis meses. O que começou como um projeto temporário, tornou-se numa vida. Agora, aos 41 anos, é diretora de marketing para a empresa de desporto Asics, é casada com um homem que conheceu no Dubai (e com quem já viajou para mais de 70 países) e mãe de um filho. 

Apesar de estar há tanto tempo a viver fora, nunca esqueceu Portugal, nem um edifício específico: um moinho de vento. “Os meus avós costumavam passar férias na Nazaré e, na primeira vez que levei o meu marido a Portugal, vimos as imagens de um moinho e eu fiquei logo apaixonada”, conta Ana Elisa.

Há cerca de 12 anos, foram juntos em busca do tal moinho de vento, construído em 1876. “Achámos aquele espaço mágico, houve ali alguma coisa que nos chamou a atenção. A propriedade estava à venda e até falei com o meu pai para entrar em contacto com uma imobiliária”, recorda. Na altura, achou-a louca: afinal, estava com o namorado há pouco menos de seis meses.

O negócio acabou por não seguir em frente, mas nunca esqueceram aquele moinho de vento do século XIX que encontraram no meio da floresta. Há três anos, quando estava no Catar para um evento de atletismo, pensou: “o que terá acontecimento ao moinho?”

“Fui ver à Internet se havia outros à venda para comprarmos, agora que já estamos casados. A primeira coisa que me apareceu foi precisamente o moinho que tínhamos visitado naquela altura. Tinha sido colocado à venda no dia anterior, era como se estivesse à nossa espera. Liguei logo para o meu marido e disse-lhe que tínhamos de comprar”. E assim foi.

Deram então início ao processo de negociação, compraram a propriedade e começaram a renovar o interior para que ficasse ao gosto do casal. Para eles, “continua a ser um espaço mágico”. “Estamos a morar no Dubai, que é um sítio muito urbano e com hotéis luxuosos. Quando o compramos, era a nossa maneira de nos mantermos conectados com a natureza”, explica.

Quando compraram a propriedade, a ideia seria ser um refúgio apenas para o casal. Por insistência dos amigos, “que passavam a vida a dizer para colocarmos no Airbnb”, decidiram partilhar o espaço com outras pessoas. “Foi um bocadinho a medo no início, porque não deixa de ser o nosso espaço. A partir do momento que temos cinco reservas por mês, fechamos as reservas porque queremos manter o moinho e torná-lo mais exclusivo”, diz.

Não é um hotel de cinco estrelas, mas bem podia ser: tem todas as comodidades para uma estadia confortável, com a mais-valia de ser um espaço privado e ter uma localização privilegiada, a cinco minutos da praia. 

“Adoramos viajar e sempre ficámos em vários hotéis e Airbnbs. Com o moinho, procurámos trazer um bocadinho do melhor que encontramos no mundo, ter uma boa cama, almofadas ergonómicas, ou um triturador de lixo na cozinha para gerar menos resíduos”, revela. Por lá, encontra ainda alguns livros e jogos de tabuleiro para toda a família.

Com uma decoração moderna, o The Forest Windmill é composto por dois quartos, uma casa de banho inspirada no design escandinado, uma cozinha totalmente equipada e uma área de jantar com uma lareira, que dá um aspeto mais rústico ao espaço. 

O moinho tem três andares, mas é no último piso que se encontra o ex-libris: uma janela que oferece vistas panorâmicas para a floresta e a colina. Na área ao ar livre, além de toda a vegetação, os hóspedes têm uma zona de barbecue onde podem fazer churrascos.

As reservas podem ser feitas através do Airbnb e o moinho custa, em média, 150€ por noite. Carregue na galeria para conhecer melhor este alojamento inusitado. 

ver galeria

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    R. das Escolas
    2450-027 Nazaré
  • CONTACTOS
ESTILO
turismo rural
PREÇO MÉDIO
Entre 100€ e 200€
AMBIENTE
serra

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT