Turismos Rurais e Hotéis

O novo agroturismo sustentável do País tem uma piscina biológica e mini golfe

A Quinta da Sra. Marocas abriu em julho, na Covilhã, com características únicas naquela região.
Há muitas atividades para fazer em família.

Numa altura em que o mundo está cada vez mais preocupado com as causas ambientais e a sustentabilidade, os hotéis, turismos rurais e glampings também tentam acompanhar essa tendência. Se nestas férias procura escapar para alojamentos mais sustentáveis, pode sempre refugiar-se na Quinta da Sra. Marocas, o novo agroturismo da Covilhã, que fica a 12 quilómetros do Parque Natural da Serra da Estrela. 

Aberto aos hóspedes desde o dia 15 de julho, esta propriedade já fazia parte da família de Regina e Miguel Conceição, ambos com 53 anos, desde 2016. Não era uma casa de habitação, mas sim um espaço onde podiam praticar uma agricultura sustentável. 

Habituados à vida de apartamento e sem qualquer conhecimento na área da agricultura — ele é médico dentista e ela professora de biologia —, o casal com três filhos sentiu vontade de “arranjar um bocado de terra para cultivar”. “Decidimos procurar uma quinta que nos agradasse e este terreno surgiu, na altura seria só para cultivar. Nem sequer estava nos nossos planos abrir como agroturismo”, revela à NiT Regina Conceição. 

Apesar de não terem experiência agrícola, sempre foram adeptos desta prática da sustentabilidade. O marido, Miguel Conceição, começou a aprender sozinho tudo sobre esta prática de cultivar plantas através de tutoriais no YouTube e dicas de amigos. “Foi tudo uma auto aprendizagem e começámos a gostar muito desta atividade de perceber o que é que a terra nos dava e como é que conseguíamos fazer crescer as coisas de uma forma biológica”, explica. 

Ir até ao terreno tornou-se assim uma atividade em família que faziam sobretudo por prazer. Como a quinta tem muitas oliveiras, o primeiro produto que conseguiram retirar em grande quantidade foi a azeitona, que posteriormente se transformou em azeite.

Porém, há cerca de três anos, o casal começou a ver o terreno de outra forma: “Achámos que podia evoluir e que podíamos compartilhar este gosto pela terra e pela agricultura biológica com outras pessoas”.

Assim nasceu o projeto ao qual deram o nome Quinta da Sra. Marocas, em homenagem à filha Maria, que morreu aos 19 anos. “Ela fez parte do processo. Era a que mais adorava a quinta e vivia em comunhão com a natureza. Marocas era o apelido dela e ficou assim o nome. É por isso que a quinta é tão especial para nós”, diz.

Antes de a transformarem num agroturismo, a propriedade só tinha uma pequena casa, sem grande capacidade de aproveitamento,. Foi a partir daí que reconstruíram tudo o resto. Agora, a Quinta da Sra.  Marocas tem quatro quartos, um deles adaptado para pessoas com mobilidade reduzida, uma sala de estar, uma sala de jogos, uma ampla cozinha e sala de refeições. 

Na sala de jogos, os hóspedes encontram jogos de tabuleiros tradicionais, como o xadrez ou o monopólio. “Estes eram os nossos jogos quando éramos crianças. Com este agroturismo queríamos também juntar um pouco o contemporâneo com as nossas memórias de infância, promovendo sempre a reutilização”, sublinha a responsável.

Todas as práticas da casa versam sobre a sustentabilidade: não há café em cápsulas; os produtos de limpeza são todos de uma marca certificada em Portugal que utiliza óleos alimentares para produzir detergentes; os produtos de higiene pessoal são feitos com o azeite da quinta; produzem a própria eletricidade; e aquecem a água com a luz solar.

Contudo, é no exterior que os miúdos encontram o paraíso. A quinta tem uma piscina biológica, trampolins, baloiços e nove estações de mini golfe para se divertirem em família. “Nós temos três filhos e sabemos bem o que é ter crianças. O mini golfe é uma das atividades que eles mais gostam em família, então achamos que podia ser uma boa ideia. Há nove estações espalhadas pela quinta”, conta. 

Com a missão de querer passar a ideia de sustentabilidade de uma forma pedagógica, sentiram que fazia sentido terem também uma piscina biológica, que é uma das poucas no País com uma rampa acessível para pessoas com mobilidade reduzida. 

Perto da área onde cultivam a terra, a quinta criou um hotel de insetos e colocou placares com informações sobre a horta biológica. A médio prazo, o objetivo é construírem uma área de crossfit — que se chamará agrofit — porque será feita apenas e só com elementos que existem na quinta. 

Os preços da estadia num dos quartos da Quinta da Sra. Marocas começam nos 90€ por noite. De seguida, carregue na galeria para conhecer melhor este agroturismo sustentável na Covilhã.

ver galeria

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    Caminho de São Miguel
    6200-254 Covilhã
ESTILO
turismo rural
PREÇO MÉDIO
Entre 50€ e 100€
AMBIENTE
familiar

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT