NiTcom

O novo hotel dos Açores é um verdadeiro oásis com banheiras ao ar livre

Se preferir, pode aproveitar os banhos quentes numa estufa de ananases.
Uma das varandas.

Quando for de férias aos Açores, vai encontrar um novo hotel; e é a mistura perfeita entre tradição e modernismo, entre imersão na natureza, detalhe e luxo; e entre memória e sustentabilidade.

Na próxima sexta-feira, 16 de abril, abre em São Miguel o Senhora da Rosa Tradition & Nature, o novo hotel que promete levar os visitantes numa viagem pelas tradições, histórias e sabores açorianos.

Situado numa quinta de três hectares com mais de 200 anos de história, o espaço é um verdadeiro oásis no meio da vegetação densa e tão particular da ilha, que vai permitir aos hóspedes aventurarem-se na tão fauna e flora açorianas.

À frente do projeto está Joana Damião Melo, que fica a tomar conta da herdade de família. Joana é a fundadora e responsável por este projeto e não poderia estar a jogar mais em casa: a quinta pertence a sua família há varias gerações, desde os tempos em que, no século XVIII, era conhecida pelas laranjas que produzia.

Um dos quartos dos cafuões.

Segundo adianta fonte do espaço à NiT, tudo isto foi antes de uma praga que atacou a herdade e que viria a dizimar toda a produção de laranjas, o que obrigaria a família de Joana a reiventar-se; e voltar-se para a produção de ananás.

Esta voltou a colocar a Senhora da Rosa no mapa até que, em 1994 abre, pela primeira vez, como estalagem e o sucesso foi imediato: a hospitalidade dos locais, o bom gosto da decoração e a comida de conforto do restaurante foram somando fãs nos anos que se seguiram”, contam-nos os responsáveis.

Nos últimos 10 anos a quinta acabou no entanto por estar encerrada mas volta agora numa nova vida: a do Tradition & Nature Hotel, com Joana na gestão e uma ajuda muito especial.

Tendo sempre presentas as “recordações do tempo em que passavam tardes a correr pela quinta, a construir casas de madeira e a subir as árvores para apanharem frutos, e em que sabiam que era hora do lanche quando ouviam o sino que a avó tocava para os chamar”, todas as memórias e tradições estão vivas pelo trabalho Joana e do irmão Miguel que, juntamente com José Pedro Sousa constituem a sociedade por detrás do projeto. 

O Senhora da Rosa terá 35 quartos, dos quais uma Junior Suite com um quarto, uma Family Suite com dois quartos e dois Tranquility Garden Lodges, situados no meio da Quinta.

Na natureza.

Este ficam em duas casas de madeira que recriam os antigos cafuões, onde os cereais eram armazenados, estruturas de madeira elevadas do solo a que os ratos não conseguiam chegar.

Os quartos do edifício principal têm todos uma fotografia da ilha de São Miguel, da autoria de vários fotógrafos, como João Moniz, Paulo Goulart ou o próprio Miguel Damião, que cobre toda a parede da cabeceira da cama. Quanto aos novos cafuões, têm 33 metros quadrados interiores com quarto, casa de banho e zona de estar, e ainda um terraço com banheira ao ar livre rodeado por bananeiras.

Dos pratos do restaurante Magma, com ingredientes de produção própria e local, aos tratamentos do Spa Musgo, com óleos essenciais de produtos locais, passando ainda pela possibilidade de uma experiência “in the woods” nos já citados tradicionais cafuões açoreanos, ou por um mergulho num tanque de água aquecida numa estufa de ananases, esta é “a verdadeira incursão na paisagem do paraíso atlântico”, frisa o espaço. 

A partir de junho, no topo do edifício principal irá abrir-se o Mirante, o rooftop com uma vista privilegiada sobre a ilha. Aqui, há sabores dos quatro cantos do mundo, petiscos, muita partilha e descontração.

A nova vida da Senhora da Rosa conta ainda com duas hortas que vão abastecer a cozinha do restaurante, um campo de padel, uma loja de produtos açorianos, um centro interpretativo onde se poderá viajar no tempo e na história do local, um kids club para os mais pequenos, e uma capela do século XIX, aberta a visitas e celebrações religiosas.

Um outro quarto, com as fotografias.

O projecto arquitetónico de recuperação é do Atelier Vieitas e a decoração ficou a cargo da decoradora de interiores Lili Damião, mãe de Joana e Miguel, que deixou as plantas invadirem o hotel e junta moveis antigos e contemporâneos.

Devido à imersão na natureza, flora e fauna, os responsáveis pelo hotel sentiram ainda mais a obrigação de adoptar medidas e politicas de respeito, valorização e consonância com a envolvente, pelo que 60 por cento da energia consumida provem dos 220 painéis fotovoltaicos e 20 painéis solares dispostos na herdade onde há também três zonas de compostagem, bombas de calor e tanques de reaproveitamento de águas pluviais para utilização na rega dos terrenos.

Finalmente, as amenities são produzidas por uma saboaria local com matéria-prima da quinta à base de laranja, limão, banana ou castanha  e chegam ao cliente sob a forma de champô solido, creme de corpo e sabonete em barra, sem recurso a plástico e reduzindo a produção de lixo.

Os preços ficam entre os 110 a 300€ por noite, consoante o quarto e a época e as reservas já podem ser feitas para o email geral@senhoradarosa. ou no site.

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    Rua da Senhora da Rosa, 3
    9500-450 Ponta Delgada - Portugal
ESTILO
hotel
PREÇO MÉDIO
Entre 100€ e 200€
AMBIENTE
serra

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT