Turismos Rurais e Hotéis

O “óasis de serenidade” criado por uma antiga arquiteta em Melides

Teresa foi diagnosticada com Alzheimer há cerca de cinco anos. Agora, o seu último projeto foi transformado em alojamento.
Fica em Melides.

Um dos sonhos da arquiteta Teresa Rocha dos Santos era encontrar um refúgio isolado e silencioso, onde ouvisse apenas a natureza. Mais do que uma casa, procurava tranquilidade e um local de convívio, onde pudesse reunir a família, amigos e artistas.

A busca pelo terreno ideal levou-a até Melides, em Grândola. Descobriu uma propriedade de 10 hectares, com uma pequena ruína, perfeita para acolher o “oásis de serenidade” que procurava.

“Foi a minha mãe quem desenvolveu toda a parte do projeto e era a concretização de um desejo há muito esperado”, começa por contar à NiT a filha de 54 anos, Marta Rocha dos Santos. A arquiteta de Lisboa, agora com 80 anos, queria um “espaço autêntico, sem adornos nem grandes excessos”. “Essa sempre foi a filosofia dela”, diz.

Ligada à arquitetura orgânica, idealizou uma moradia contemporânea, completamente integrada no espaço. “Embora seja moderna, não é um choque, não quer ser a protagonista”, refere. A proprietária também privilegiou materiais naturais: as vigas enormes de madeira no piso de cima não têm um único parafuso metálico, estando encaixados como se fosse um Lego. A palavra que melhor a caracteriza é mesmo a simplicidade.

A casa ficou concluída há cerca de dez anos e tornou-se “um sítio não só de grandes conversas, como de criatividade”, onde a família se reunia. Começou por passar algumas temporadas por lá com o companheiro, mas a certa altura chegou mesmo a mudar-se definitivamente.

Até que, há cerca de cinco anos, recebeu uma notícia que veio mudar tudo. “Foi diagnosticada com demência e Alzheimer. Ainda continuou a viver lá, mas há dois anos piorou e não podia continuar ali por questões de saúde”, conta a filha, terapeuta e arquiteta de interiores.

Seguiu-se um período de reflexão para Marta, sobre o futuro da casa que foi o grande e último projeto da mãe. “Fiquei na dúvida, sem poder perguntar o que gostaria de fazer. Não foi fácil, ninguém é imune à tristeza”, confessa.

No início ainda ponderou vendê-la. Não queria “ficar com essas memórias”. Era o sonho da mãe, não o seu. “Depois comecei a pensar que podia curar esta tristeza e honrá-la com um desfecho diferente. Achei que ela gostaria de fazer com que as pessoas pudessem beneficiar de um sítio tão especial como este”, diz.

Decidiu, assim, “curar a casa”, uma forma de mostrar às pessoas que “é possível transformar uma energia de dor em serenidade”. Assim que tomou a decisão, fez apenas “alterações cirúrgicas” para adaptar o espaço ao turismo. 

O espaço onde antes funcionava o atelier da arquiteta foi transformado num estúdio independente, enquanto a decoração do interior também foi ligeiramente alterada. É, como a própria arquitetura do alojamento, “sem grandes excessos”, simples e minimalista.

“A minha mãe adorava pintura e decidi trazer também alguns dos quadros que ela tinha, de autores portugueses”, adianta. Em setembro do ano passado, abriu o alojamento de Melides ao público. Deu-lhe o nome de Silêncio, precisamente por toda a tranquilidade e serenidade que transmite. “As pessoas que saem de lá dizem que isto é um espaço de cura”, admite.

Com uma arquitetura única, as amplas janelas do chão ao teto dão para a piscina e para os belos pinheiros. Com capacidade para receber 10 hóspedes, dispõe de cinco quartos, sendo um deles uma master suite completamente autónoma, com um escritório, closet, sala de estar e casa de banho. Há ainda o estúdio independente, dois quartos duplos e um de casal.

Além da cozinha e sala de estar, a casa é composta ainda por uma sala de ioga. “Temos profissionais que trabalham connosco que podem dar aulas de ioga, pilates ou até fazer retiros direcionados para os hóspedes que lá estão”, sublinha. É do lado da cozinha, contudo, que se avista “um pôr do sol magnífico”.

No exterior destaca-se a incrível piscina com espreguiçadeiras à volta, bem como uma zona coberta com sofás e mesas, barbecue e forno de lenha. Ao longo dos 10 hectares há ainda muitos recantos onde se pode descansar, “apenas com o som da natureza”.

Os preços variam consoante a época do ano, mas vão desde os 990€ aos 1.540€ por noite, a casa completa. As reservas podem ser feitas online.

Carregue na galeria para ver mais imagens deste incrível alojamento em Melides.

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    674P+Q3 Melides
    7570-504 Melides
ESTILO
alojamento local
PREÇO MÉDIO
Mais de 200€
AMBIENTE
serra

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT