Turismos Rurais e Hotéis

Paz, sossego e bom vinho: é assim a nova casa do Douro sobre as vinhas

Nasceu no verão, na Quinta de São Luiz, propriedade que pertence à Kopke há 100 anos. É uma das grandes novidades da região.
É uma das quintas mais famosas do Douro
80

A curva é apertada, inesperada, e conduz a mais uns quantos ziguezagues. Ao longo do caminho, multiplicam-se os tradicionais muros de xisto, aqui pintados de branco — um traço característico da quinta que, há cem anos, ficava na mão da Kopke, a mais antiga casa de vinho do Porto.

Apesar da enorme área de vinha e dos amplos armazém e adega, é estreito o caminho que conduz à antiga casa de família, hoje totalmente renovada e carimbada com um novo nome: The Vine House. Empoleirada sobre a escarpa, tem uma vista privilegiada sobre o rio, da qual tira máximo proveito na maioria dos seus quartos que, note-se, são poucos: onze, no total.

Esta é a primeira pista que nos dá mais ou menos uma noção daquilo que podemos esperar: um ambiente quente, acolhedor, confortável. Numa altura em que as concorridas margens do Douro se veem invadidas por mais e maiores empreendimentos turísticos, é bom perceber que há ainda quem se foque no essencial.

O essencial irá variar, claro está, com o sujeito. Neste caso, dita a expectativa que se tem de um enoturismo que, para um dia bem passado, precisamos de pouca coisa, mas boa: um bom quarto, bons vinhos e bons petiscos. E se da janela, a paisagem já sabemos que agrada à vista, entre paredes o cenário é igualmente bem-parecido.

Dominam os tons pastel na decoração assente em materiais naturais, madeira sem maquilhagem, o ferro, a verga. A casa abre-se com uma receção que intermedeia os dois grandes espaços: ao lado esquerdo, a sala de refeições; ao lado direito, a sala de estar. Mobiliário bonito, de linhas simples, a dominarem aquela que é zona comum da casa.

Do outro lado da parede, um discreto corredor que dá acesso aos quartos, esses já com mais apontamentos de cor. No primeiro piso, oito unidades com um confortável terraço sobre o rio. Quartos espaçosos e uma cama onde, sem cuidado, um viajante mais incauto se pode perder.

Em época de verão e de calor abrasador do Douro, é mais fácil escolher os maravilhosos espaços ao ar livre. Mas o que é que acontece quando o tempo castiga e a chuva obriga ao recolhimento? Nesse caso, o conforto e o aconchego, diria, é quase tudo.

A sala de estar.

Nesse parâmetro particular, a The Vine House revela-se uma arma poderosa nessa luta contra um turismo no Douro cada vez mais descaracterizado, que serve muitas vezes de poiso a turistas apenas em busca de sol, piscina e uma boa vista. É preciso voltar ao essencial e a Quinta de São Luiz tem os requisitos necessários para lhe servir de bandeira.

Mesmo sob chuva intensa, é possível aproveitar os passeios pelas vinhas e, no final, há plano melhor do que percorrer as vindimas, década a década, numa prova de calorosos e aconchegantes vinhos do Porto? Entre os aromas fortes da adega e os cheiros da terra molhada do Douro, pode dizer-se que a experiência é totalmente diferente de uma feita sob o sol, a pedir sossego na esplanada, agora de branco fresco no copo.

A garrafeira, a sala de provas anexa à adega, com a suas enormes paredes de xisto, são um recanto ideal para aqueles que olham para um enoturismo como um espaço de eleição. E a The Vine House permite esse saltitar entre um e outro espaço, da sala para a esplanada, do terraço para a garrafeira. Sempre de copo na mão.

Será, portanto, infrutífero o esforço daqueles que por ali passem à procura da experiência que se repete em tantos novos e grandes empreendimentos pelo Douro. Ali vive-se em torno do vinho e da calma do Douro. É tão simples quanto isso.

Claro que esse mantra tem os seus inconvenientes. A The Vine House é, para todos os efeitos, um espaço pequeno onde, por enquanto, a carta de pratos e petiscos é limitada.

As refeições, sempre caseiras e de matriz regional, são servidas a pedido e a ementa vai variando. Entre os pratos, pode contar, por exemplo, com um pernil assado acompanhado de um saboroso risotto de cogumelos, antes de encerrar uma refeição com um fofíssimo pão de ló.

Contudo, caso a estadia se prolongue por vários dias, será difícil não ficar tentado a procurar outras opções para variar a dieta, até porque existem três ementas de jantar que vão variando ao longo da semana — com pratos como cabrito assado, polvo à lagareiro ou arroz de pato. Essa falta de variedade prolonga-se até ao pequeno almoço, que poderia e deveria oferecer uma maior variedade de produtos, das frutas, pães, cereais e queijos.

Mesas e ementas à parte, a The Vine House é também um local para alimentar o espírito. Tem um ambiente harmonioso e silencioso, perfeito para aqueles retiros de fim de semana em que apenas precisamos de paz e sossego, embora as salas pudessem beneficiar de um pouco de música ambiente, até para evitar que o silêncio se torne, ocasionalmente, constrangedor.

Com poucos meses de funcionamento e alguns detalhes a limar, o enoturismo na Quinta de São Luiz é já um local de visita obrigatória para quem quer passar um dia entre uma sesta com vista para o rio, dois dedos de conversa e muitos e bons vinhos para provar.

Carregue na galeria para ver mais imagens da The Vine House.

ver galeria

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    Quinta de S. Luiz
    5120-012 Tabuaço
ESTILO
turismo rural
PREÇO MÉDIO
Entre 100€ e 200€
AMBIENTE
wine house

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT