Turismos Rurais e Hotéis

Sublime Lisboa: o palacete do século passado cheio de histórias é agora um luxuoso hotel

A segunda unidade do grupo Sublime fica no edifício do antigo restaurante de Simone de Oliveira, “O Candelabro”.
O edifício conta com mais de 100 anos de história.

Depois do enorme sucesso do Sublime Comporta, um verdadeiro paraíso na terra, o grupo atravessou a ponte 25 de abril para se instalar no coração da capital, entre o Marquês de Pombal e as Amoreiras, num antigo palacete dos anos 20. O Sublime Lisboa está finalmente pronto para começar a receber os hóspedes e para se tornar num dos hotéis de eleição em Lisboa.

É no número 10 da rua Marquês de Subserra que o hotel abre as portas a um mundo cheio de história tão antiga quanto prestigiada. Construído no século XX, o edifício conta com um legado de mais de 100 anos, assistiu a mudanças de regime, revoluções e foi ponto de encontro de boémios.

Até aos anos 40, foi casa de uma comunidade nipónica, o Clube Japonês, que cresceu na capital com o início da Segunda Guerra Mundial. As amplas salas do atual Sublime Lisboa receberam “diplomatas, homens de negócios, militares e até mesmo agentes dos serviços de inteligência enviados de Tóquio que se encontravam com os representantes do governo português”. 

“No final dos anos 60, começou a funcionar o restaurante ‘O Candelabro’ de Simone de Oliveira e era frequentado por todo o meio artístico lisboeta, incluindo opositores do regime”, começa por contar à NiT Alexandra Henriques, do grupo Sublime. Era ali que figuras importantes da década, internacionais e nacionais, se reuniam para “frequentar as mais deslumbrantes festas da alta sociedade residente”. 

O edifício foi, mais tarde, comprado por um dos maiores ateliers de arquitetura nacional, a “Costa Lopes Arquitetos”, que “decidiram viver no último piso e alugar os restantes”.

“Quando o grupo decidiu abrir um hotel em Lisboa, percebemos que, com toda a história do edifício, este era o local perfeito”, sublinha. Rodeado de edifícios e monumentos históricos, jardins, museus e o aqueduto, o Sublime Lisboa tem “um passado, um futuro e definitivamente uma história para contar”. 

Com enormes janelas, tetos altos, as escadas, os papéis de trabalho, o mobiliário e os pavimentos em madeira e cimento, o edifício mantém grande parte do seu ADN e foi a partir da arquitetura que construíram todo um conceito à sua volta — uma versão “urbana” da experiência da Sublime Comporta. O responsável por dar vida ao interior do hotel foi o atelier português Andringa Studio.

O grande destaque do edifício é o corredor de escadas, que liga todos os pisos. “Tem o padrão lisboeta que se pode encontrar na calçada portuguesa e também na bandeira de Lisboa, as cores são divertidas e quentes e o corredor é um ‘piscar de olho’ aos padrões de papel de parede que se podem encontrar nas salas e quartos”, revelam. 

“Além de ser um edifício com toda esta história, há um ponto que quisemos manter. Cada quarto tem um papel de parede gráfico único e toda a decoração feita pelo atelier foi buscar os pormenores das paredes para a cor do chão. Os quartos são diferentes, mas todos têm em comum esses papéis de parede gráficos”, explica o grupo Sublime. Ao longo dos 15 quartos e suites do hotel, existe uma série de padrões diferentes que dão personalidade a cada um. 

Os quartos do palacete estão equipados com uma cama queen, king ou duas camas twin, uma casa de banho privativa com chuveiro estilo rain shower, ar condicionado e sistema de som. Uns têm ainda um pátio interior privado, enquanto que dois deles possuem varandas onde pode sentir a atmosfera do bairro.

As suites contam com uma espaçosa sala de estar, uma banheira e um chuveiro igual ao dos quartos e um terraço exterior privado ou varanda.

A arte não podia faltar neste projeto e marca presença em todos os espaços do edifício. As fotografias do autor Manuel Correia e esculturas do conceituado Rui Chafes, que se encontram num dos pátios interiores do hotel, são algumas das obras artísticas espalhadas pelo Sublime. 

A zona comum de lazer é a biblioteca, mas o restaurante Davvero, de que a NiT já lhe falou, também é um excelente ponto de encontro. As colunas de ferro, pintadas em tons de verde, no meio da sala, são um dos destaques da decoração. O chão é o original, com azulejos hidráulicos com motivos cor de tijolo. 

O tom foi o escolhido para as fardas dos colaboradores e também para os pratos — uma edição limitada criada em exclusivo pela Vista Alegre. O restaurante tem também uma esplanada no exterior com capacidade para 20 pessoas, onde estará disponível uma carta de snacks. No interior, pode receber 60 clientes.

Os preços por noite na época alta começam nos 440€, enquanto que na época baixa encontra quartos a partir de 290€, com pequeno-almoço incluído. As reservas podem ser feitas online. 

De seguida, carregue na galeria para conhecer o Sublime Lisboa, o novo hotel de luxo da capital.

ver galeria

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    R. Marquês de Subserra, 10
    1070-012 Lisboa
ESTILO
hotel
PREÇO MÉDIO
Mais de 200€
AMBIENTE
urbano

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT