Turismos Rurais e Hotéis

Sugestão NiT: na Casa do Salgueiral as férias são nas vinhas e na natureza

A piscina é construída num socalco de vinha, com um amplo horizonte sobre Santa Marta de Penaguião e os vinhedos em redor.
A piscina.

Em Santa Marta de Penaguião, na região do Douro, há um turismo rural onde o charme antigo, a natureza, as vinhas, o repouso e o sossego se combinam na perfeição — para umas férias de requinte e simplicidade combinados, por mais incrível que isso posso parecer.

Aqui, não é impossível. A Casa do Salgueiral é o sonho concretizado de dois jornalistas que nem o sabiam bem ter até há pouco tempo, num resultado onde o antigo e o moderno, o rústico e o elegante, andam de mão em mão.

José Leite Pereira, 70 anos, reformou-se em 2011, depois de mais de 10 anos como diretor do Jornal de Notícias, no Porto. A sua vida profissional começou em Lisboa, em 1971, no jornal Record, passou por diversos títulos de referência (Diário Popular, Diário de Lisboa e Diário de Notícias) e outros de vida efémera (O Ponto e Europeu).

A mulher, Helena Mendonça, de 62 anos, também jornalista, fez grande parte da carreira nos no Diário de Notícias, seguindo carreira académica há cerca de 20 anos. Com mestrado e doutoramento em Sociologia, dedicou-se, na última década, à docência universitária nas áreas de Jornalismo e Sociologia.

A casa que agora é turismo, a Casa do Salgueiral está na família desde meados do século XIX, quando José Taveira de Carvalho Pinto de Meneses, bisavô materno do atual proprietário, a comprou a um professor local. Tal como explica o turismo na sua página, a casa era então muito pequena, mas servia ao para curtas estadias.

O seu bisneto José Pereira, o jornalista reformado agora proprietário, explica à NiT que tanto ele como a mulher não têm “qualquer experiência no setor” turístico, mas, querendo preservar a herança de família recebida em 2016 concluíram que as reformas necessárias a empreender, para poder conservar a casa, teriam um retorno financeiro através do turismo.

Com apoio de fundos europeus, José e a mulher começaram a recuperação da casa e, “mais tarde do que desejado”, por causa da pandemia, estão agora a atender os primeiros hóspedes. Dizem que está a correr bem: contam com a sua “experiência de vida” e com o muito que, desde que lançaram mãos à obra, foram vendo, ouvindo e lendo.

Situada no centro do Douro Património Mundial, a seis quilómetros da Régua e a 14 de Vila Real, Santa Marta é um local ideal para descanso e um  ponto de partida para incursões pelo interior do Douro, explicam os proprietários.

E depois há todo este espaço: além do edifício principal, a quinta tem uma antiga casa de caseiros e uma capela dedicada a Nossa Senhora da Piedade. Junto à capela existe um pequeno jardim, ótimo como zona de lazer ou até para refeições. Perto fica a piscina, construída num socalco de vinha, com um amplo horizonte sobre Santa Marta de Penaguião e os vinhedos em redor. Os antigos lagares, em granito, são agora uma sala de jogos e de televisão. “A vinha rodeia a casa e domina a paisagem”, explicam.

A recuperação do edifício, concluída em 2020 sob orientação do arquiteto Fernando Seara, manteve o essencial da traça, que se supõe pertencer ao século XVIII. A decoração foi feita, quase na totalidade, com os móveis antigos da casa, agora restaurados.

Foi necessário transformar todos os quartos, dotando-os de casa de banho e, no rés do chão, onde antes eram lojas, foram construídos modernos apartamentos, com cozinhas equipadas e misturando madeira e xisto. Esse foi o trabalho principal. “A restante intervenção aproveitou tudo o que existia”, adiantam.

No primeiro andar do edifício principal encontra normalmente disponíveis três quartos: Quarto dos Meninos, Quarto da Mãe e Quarto da Nina. Os hóspedes destes quartos têm acesso a uma sala de estar com lareira, à sala de jantar, bem como à varanda da entrada.

No rés-do chão estão por seu turno disponíveis três amplos apartamentos que mantêm as designações originais: Loja do Azeite (T0), Sala do Ping Pong (T2) e Loja da Lenha (T0). Um outro T2, a Casa dos Caseiros, situa-se num edifício contíguo à casa principal.

Segundo o proprietário, devido à pandemia, e para evitar uma grande concentração de pessoas, os quartos mantêm-se de momento encerrados ao público. Nos apartamentos, os hóspedes gozam de total independência, podendo fazer as suas refeições, uma vez que as cozinhas estão equipadas.

A capela pode ser visitada, durante o dia, sempre que se desejar. Além disso, a Casa do Salgueiral integra sete hectares de vinha. O espaço te ainda um bilhar snooker, mesas de jogo televisão, com canais cabo, incluindo os de desporto, e uma zona de estar. Todos os quartos e apartamentos, as zonas comuns, algum espaço exterior e a piscina dispõem de WiFi gratuito.

Os preços variam, agora, em plena época alta, entre os 110 e os 140€ e nos apartamentos entre os 180 (os T0) e os 200 e 210 (os T2). A Casa do Salgueiral não tem cozinheiro. Serve apenas refeições ligeiras – tábuas de queijos, de enchidos e de conservas.

Numa curiosidade, nos seus sete hectares de vinha a propriedade, durante muitos anos, produziu o seu próprio vinho. Na garrafeira do Salgueiral ainda repousam garrafas de Porto produzidas por José Taveira de Carvalho, bisavô do atual proprietário, algumas com o seu rótulo e a data de 1849. Nas gerações seguintes, continuou a produzir-se o vinho, vendido a negociantes e exportadores. Engarrafado para uso da família, ainda restam garrafas de vinho fino dos anos 50 e 60 do século passado.

Com a morte do marido, na década de 60 do século passado, a mãe do atual proprietário entregou a produção às Caves de Santa Marta e a situação mantém-se: nos quase sete hectares de vinha, com excelentes castas, produzem-se uvas que são entregues nas Caves, umas para a produção de vinho de consumo e outras para vinho generoso – o chamado Porto. Existe também um pequeno olival que permite produzir um azeite de qualidade. Os hóspedes que desejarem poderão acompanhar os trabalhos agrícolas.

De seguida, carregue na galeria para conhecer este novo turismo rural.

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    Rua do Bico, 46
    5030-459 Santa Marta de Penaguião,
    5030-459 Santa Marta de Penaguião, Santa Marta de Penaguião - Portugal
ESTILO
turismo rural
PREÇO MÉDIO
Entre 100€ e 200€
AMBIENTE
serra

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT