Turismos Rurais e Hotéis

Todos os hóspedes querem visitar a garagem de sonho deste monte alentejano

No Monte do Serrado de Baixo, em Évora, existe um Museu de Carros Clássicos. Um verdadeiro tesouro escondido no Alentejo.
Incrível.

Há um monte no Alentejo onde pode descansar, viver a natureza, comer produtos biológicos, deixar os miúdos a brincar com os animais da quinta, beber um belo vinho em frente a uma lareira antiga, ver estrelas cadentes e até espreitar uma garagem com uma coleção privada maravilhosa de carros antigos.

No concelho de Évora, fica o incrível Monte do Serrado de Baixo. Um pouco do espírito de África no Alentejo, com as cores e cheiros que são únicos ao campo do interior do País: é isto que vai encontrar por aqui.

A história é incrível e tem quase 30 anos. É contada à NiT por uma das atuais proprietárias, filha dos fundadores e donos, Teresa Vilas-Boas. Tudo começou quando os pais de Teresa, que são do Porto, decidiram mudar-se para o Alentejo. Fãs de viagens fora da caixa, estavam enamorados por África e por Portugal ao mesmo tempo, e achavam que no interior alentejano encontravam o melhor de dois mundos, suprindo de alguma maneira a nostalgia e memórias das savanas africanas.

Um sonho.

Estávamos em 1990. “Primeiro, compraram uma quinta. Na altura outros amigos compraram quintas vizinhas, e nós [Teresa e os irmãos] crescemos neste ambiente campestre e rodeadas de amigos”. Nesse ano, os pais de Teresa abriram uma empresa de animação turística bastante completa e inédita: a Turaventur, dedicada sobretudo a tours de bicicleta variados que pretendem combinar,  no seu melhor, a descoberta ativa da paisagem e do património cultural, acompanhados dos prazeres do vinho e da gastronomia regional.

Nove anos mais tarde, Teresa entra no negócio dos pais. “Há anos que me ofereciam emprego mas eu achava que não queria, que tinha o meu caminho. Viajei muito, pela Austrália, Índia, Nepal mas quando quis assentar já só me fazia sentido trabalhar ali. Liguei à minha mãe e perguntei se a proposta ainda se mantinha”, conta.

Muito antes disto, Teresa explica que a primeira aventura de que se recorda é de caminhar logo atrás do seu pai numa trilha na serra do Gerês, quando tinha apenas cinco anos. Cansada da caminhada, implorou ao pai para ele lhe dar dinheiro, “para ir de táxi” ter com a sua mãe. Ainda assim, nunca esqueceu a aventura e sempre ficou a paixão por fazer atividades ao ar livre.

Fast forward para 2006, altura em que os vizinhos mais próximos da quinta e empresa familiar decidiram ir viver para Lisboa e vender o seu monte. “O meu pai decidiu comprar este monte”. Teresa, já envolvida na empresa dos pais e com o curso certo, tinha uma ideia.

“Eu tinha, desde a universidade (curso de Gestão Hoteleira) o sonho de gerir um turismo rural onde fosse também possível fazer atividades. Nesta altura já tínhamos a empresa de animação turística desde 1990. Decidimos então transformar esta casa num acolhedor turismo rural, fazendo as transformações necessárias para ter quatro quartos confortáveis com casa de banho privativa”.

Nasceu assim, em 2007, o Monte do Serrado de Baixo: uma casa tipicamente alentejana, que “honra a sabedoria da arquitectura rural tradicional”. O monte tem paredes grossas, a barra azul tão característica do Alentejo, chaminés imponentes e um frondoso jardim com enormes azinheiras. Os quatro quartos remetem para a paisagem alentejana: a seara, o montado, a oliveira e a vinha.

A sala comum, com um enorme lume de chão à antiga, é o local ideal para passar as longas noites de Inverno ou as horas de calor das tardes de Verão. Tudo isto num ambiente genuinamente rústico e com todo o conforto de uma casa moderna.

O jardim, com relvado e piscina, é um sonho em todas as épocas do ano: “Frondoso e solarengo mas com boas zonas de sombra criada por azinheiras de grande porte e oliveiras centenárias, oferece múltiplos recantos de estar que se prolongam para o terreiro” que envolve a fachada principal da casa, explica Teresa. Um dos spots favoritos da família é o deck, onde os hospedes muitas vezes se sentam a ler um livro.

O jardim.

“Para nós, a casa e a quinta são duas faces da mesma realidade. Podem passear à vontade pelo campo, brincar com os cães, ajudar a tratar da burra, das ovelhas, das cabras e das galinhas, divertir-se com os saltos e correrias dos borreguitos. Escolham o vosso sítio de estar cá fora e descansem como gostam de descansar. Sempre que possível, teremos todo o gosto em partilhar convosco os produtos da nossa horta biológica”.

A sala de refeições, onde se servem suculentos pequenos-almoços, abre-se para um perfumado pomar de laranjeiras. “No Monte do Serrado de Baixo servimos compotas caseiras, queijo fresco com azeite e orégãos ou com mel e canela, pão caseiro e pão alentejano” adianta-nos Teresa. As laranjas para o sumo natural são colhidas no pomar e partilhamos convosco a fruta que vai nascendo (tangerinas, alperces, ameixas, figos, diospiros). Os jantares, de gastronomia tradicional ou moderna, podem ser encomendados, com 24 horas de antecedência. Fazemos também aulas de cozinha”.

Chegando até aqui, já só sonhamos com o lume de chão e o sumo de laranjas naturais. Mas há mais. Como um Museu de Carros Clássicos para visitar. Isso mesmo, leu bem.

“No monte temos um fabuloso Museu de Carros Clássicos. Esta é uma colecção privada que poderá visitar durante a sua estadia. Pertence ao meu pai, Pedro Villas-Boas, que é um dos sócios fundadores da Turaventur e um dos ‘pais’ do todo o terreno em Portugal. Com os anos transformou a paixão por jipes em paixão por carros clássicos, mas pode também ver um dos jipes com que fez o Rally Paris-Dakar”, conta-nos.

O número e o modelo dos carros varia, já que aqui há uma clara paixão pela coleção e restauração: “o meu pai restaura uns, outros manda para restauro se são mais complexos. Uns vai vendendo e comprando, outros são fixos”. 

A sala com fogo de chão.

Além disso, para os hospedes mais ativos, há ainda diversas propostas: passeios de bicicleta que terminam em saborosas provas de produtos regionais, passeios pedestres ao longo do aqueduto do século 16, passeios de canoa e de jipe. “O Évora Bike and Hike é um dos nossos programas favoritos. Saímos do monte de bicicleta, pela ecopista, num passeio fácil que se pode fazer com crianças, desde que saibam andar de bicicleta. Na cidade fazemos um pequeno passeio. Visitamos algumas das nossas ruas favoritas. Depois iniciamos o passeio pedestre de regresso, ao longo do aqueduto. É um passeio lindíssimo, super variado e animado” diz-nos Teresa.

O monte está também a quatro quilómetros de uma lindíssima adega, situada num palácio do século 14. Pode ir até lá a pé ou de bicicleta, por um caminho lindíssimo ou no conforto do seu carro.

Para os amantes da gastronomia, a família desenvolveu vários pacotes “Da Terra à Mesa“, onde o objetivo é visitar produtores, aprender as artes e ofícios e terminar provando o resultado.

Os preços do alojamento são variados porque a família aluga os quartos com pequeno almoço buffet incluído, mas também aluga a casa completa para famílias ou grupos de amigos que queiram passar tempo num espaço espetacular em privado. Os valores começam nos 80€.

As atividades têm as tabelas no site, com preços reduzido para crianças. Para o Natal, o Monte criou até vouchers que pode comprar para oferecer aos amigos ou à família, válidos até dezembro de 2022. Havia também pacotes para passar a quadra no monte mas estão esgotados. O espaço está agora a receber as reservas para janeiro de 2021.

A vida de campo e atividades.

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    Caminho Municipal 1081-2, Sr. dos Aflitos, 7005-874 Évora, Portugal
    7005-874 Évora - Portugal
ESTILO
turismo rural
PREÇO MÉDIO
Entre 50€ e 100€
AMBIENTE
familiar

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT