Turismos Rurais e Hotéis

Viseu Ryokan: o único alojamento do País onde pode ter uma experiência verdadeiramente japonesa

Todos os hóspedes têm de se descalçar à entrada. É o único ryokan do País e um dos únicos no mundo fora do Japão.
Abriu a 4 de abril.

O ryokan é um dos tipos de alojamento mais antigos do mundo e imagem de marca da milenar cultura japonesa. Noutros tempos, estas hospedarias alojaram samurais, comerciantes e nobres. Pernoitar nestes espaços tradicionais é obrigatório a todos os que visitam o país asiático.

Associados à capacidade dos proprietários de bem receberem, nos ryokans são feitos todos os esforços para os hóspedes se sentirem bem-vindos. São a materialização do omotenashi, “um sentimento profundamente enraizado no povo japonês, que vai muito além da hospitalidade e que, para os japoneses, se refere ao ato de servir bem que vem do coração”.

Se sempre sonhou em passar uma noite nestes alojamentos típicos da cultura japonesa, já não precisa de voar até ao Japão. Pode viver essa experiência fascinante no Viseu Ryokan ‒ Hospedaria Japonesa & Spa. É o primeiro do género em Portugal e um dos únicos no mundo fora do Japão.

Tudo começou numa viagem ao país asiático em 2008. Como qualquer um que visita o Japão, Bruno Marques, de 34 anos, ficou completamente apaixonado não só pela cultura, como pelo sítio onde ficou hospedado. Depois da experiência única e intangível de dormir num típico ryokan no país tão longínquo, nasceu a vontade e a ambição de replicar aquela sensação numa cidade portuguesa.

Juntamente com a mulher, Tânia Bernardo, de 34 anos, o sonho de trazer para Portugal uma das suas melhores experiências pelo mundo tornou-se real no dia 4 de abril, com a abertura ao público de um ryokan em Viseu, na rua Direita, a mais antiga da cidade. 

“Estou ligada ao turismo no Porto e quando namorávamos disse-me que queria abrir um ryokan quando estivesse reformado. Eu disse-lhe que a reforma era para descansar e que, se fosse para abrir, mais valia ser agora”, conta à NiT Tânia Bernardo, natural de Vila Nova Gaia. Em 2016, o projeto para a implementação daquele que seria o primeiro ryokan em Portugal começou a ganhar forma. 

 “Arriscámos a fazê-lo aqui em Viseu. Comprámos um prédio que estava devoluto e que servia para habitação e reconstruimos tudo”, diz a proprietária. Com mais de 300 anos, é um dos prédios mais antigos do centro histórico da cidade.

Durante os seis anos de planeamento, o casal voou novamente até ao Japão em 2018 durante 12 dias para fazer um estudo de mercado. “Ficamos alojados em vários ryokan, para conhecer várias versões e tirar inspirações. Acabámos por fazer um mix das versões mais tradicionais com as mais contemporâneas. Também tivemos algum cuidado para nos adaptarmos ao ocidental”, explica. 

Nos ryokans tradicionais que se encontram no Japão, é comum os quartos terem colchões que se dobram e enrolam para que os hóspedes fiquem com o espaço todo disponível. “No ocidente isso não seria tão interessante, por isso fizemos uma plataforma de madeira para simular”, sublinha. 

O Viseu Ryokan dispõe de sete quartos, sendo que quatro são duplos e os restantes superiores. Como na numeração japonesa o número quatro praticamente não existe, por acreditarem que dá azar, o casal decidiu seguir o mesmo método da cultura japonesa e numerar os quartos do número um ao oito, retirando o quatro dos cálculos.

Os sapatos são proibidos e, assim que se entra na receção, os hóspedes recebem um par de chinelos para circular nas áreas comuns da unidade.

Num ambiente nipónico de lazer e descontração, o chão é em tatami e ao chegar ao quarto vai encontrar um futon, os colchões típicos do Japão, como é habitual neste tipo de alojamento. Todos têm um yukata ‒ a tradicional indumentária japonesa que se assemelha a um kimono ‒ que pode ser utilizado durante a estadia, não só no interior dos quartos, como também nas áreas comuns. 

A casa de banho é privada e destaca-se pela tecnologia japonesa, de que as sanitas são um exemplo. “A cultura nipónica é, há muitos séculos, reconhecida pelos seus elevados padrões de higiene. Essa preocupação, associada ao desenvolvimento tecnológico do país, fez com que fossem desenvolvidas soluções de higiene únicas no mundo”, pode ler-se no site.

Os ryokans geralmente também têm um Onsen, o termo japonês para banhos termais. Como isso não foi possível, por estarem localizados na rua mais antiga de Viseu, criaram a sua própria versão: um pequeno spa com jacuzzi, sauna e serviço de massagens, direcionada não só a hóspedes mas a todos os que queiram aproveitar uns minutos de relaxamento. Para usufruir do espaço, o preço para não hóspedes é 15€ por pessoa durante meia hora.

O grande destaque do pequeno-almoço é o kasutera, um bolo japonês, semelhante ao pão de ló, cuja origem remonta ao século XVI. Segundo a proprietária, este bolo foi levado até ao Japão pelos portugueses na época dos Descobrimentos. Na altura era chamado de bolo de Castela e os japoneses acabaram por adotar as suas próprias receitas. É precisamente essa adaptação que pode provar no ryokan de Viseu.

O alojamento dispõe também de uma sala japonesa, com mesas baixas e almofadas, onde os proprietários oferecem “a possibilidade de encomendarem sushi para terem uma experiência verdadeiramente japonesa”. 

O valor por noite varia consoante o quarto e a época, mas os preços por noite vão dos 85€ aos 140€. As reservas podem ser feitas online. De seguida, carregue na galeria para conhecer melhor o primeiro e único ryokan do País.

FICHA TÉCNICA

  • MORADA
    Rua Direita, 143
    3500-117 Viseu
ESTILO
hotel
PREÇO MÉDIO
Entre 100€ e 200€
AMBIENTE
urbano

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT