Viagens

A concorrência que se cuide: a Trip, gigante chinesa de viagens, vai operar em Portugal

O grupo funciona sobretudo online. Está num processo de expansão acelerada e definiu o nosso País como um dos mercados-alvo.
Boas notícias.

Agora que o mundo está a regressar à normalidade e as viagens multiplicam-se. Após dois anos de Covid-19 que levaram ao encerramento das fronteiras fechadas e a rigorosas medidas de restrição, todos querem aproveitar o tempo perdido. O turismo, que foi bastante afetado pela pandemia, é setor que tem conhecido uma recuperação mais forte — e as multinacionais à procura de novos destinos estão cada vez mais atentas ao nosso País.

A Trip.com, gigante de viagens da China, começou a trabalhar com o mercado global há cinco anos e, agora, quer expandir-se a Portugal, adiantou Edison Chen, diretor-geral do grupo, esta sexta-feira, 2 de novembro. “Estamos a beneficiar muito da recuperação no que diz respeito ao mercado estrangeiro porque, neste momento, em muitos países já se viaja livremente”, disse.

Com a retoma global do setor, o negócio de um dos maiores grupos de viagens do mundo está expandir-se rapidamente e “Portugal é, definitivamente, um dos mercados-alvo”. 

“Queremos fornecer serviços e produtos aos turistas portugueses e, claro, também queremos contactar as organizações turísticas locais para que recebam os  nossos clientes”, adiantou o diretor-geral. Além da Trip.com, o grupo é proprietário de empresas de viagens online como a Skyscanner, Qunar, Ctrip, entre outras.

 

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT