NiTcom

A Rota da Ria de Aveiro é uma das melhores aventuras da Europa

De canoa, carro, a pé ou de bicicleta, não faltam caminhos para descobrir neste roteiro de 550 quilómetros. E não se esqueça dos ovos moles.
As típicas embarcações no centro de Aveiro

A ria é, sem dúvida, o grande encanto da região de Aveiro, com uma fauna e flora muito especiais nesta junção de rio e mar. Além de tudo o resto, é um verdadeiro paraíso para os fãs de canoagem ou stand up paddle. Até porque a região soube aproveitar este recurso natural para criar a Grande Rota da Ria de Aveiro — um aglomerado de informação da região que se divide em três rotas — azul, verde e dourada — prontas a explorar, seja nos percursos aquáticos, a pé ou de bicicleta. 

Bem junto ao mar temos o Percurso Azul, que contempla mais de 130 quilómetros de território e explora esta zona mais costeira, onde é possível logo destacar um local de culto para quem não perde a melhor fotografia das férias: as casinhas da Costa Nova, em Ílhavo. O pano de fundo às riscas é paragem obrigatória, mas por aqui há muito mais a descobrir, tanto na gastronomia, com o bom peixe local, em especial o bacalhau, como na cultura, onde é imperdível uma visita ao Museu da Vista Alegre, uma das mais emblemáticas marcas portuguesas.

Com o mar ali ao lado, não faltam praias para agradar a todos. Em Vagos, a praia do Areão, com menos ondulação, é perfeita para famílias e o local indicado para descobrir a técnica tradicional de pesca desta região, a Arte Xávega. Já para os aventureiros deixamos a sugestão de uma tarde de surf nas ondas da praia do Labrego.

Se gosta de praticar bird watchings, Estarreja é mandatório, sendo possível ver por aqui alguns exemplares bem raros. Já a Murtosa, terra mãe dos barcos moliceiros, convida a uma tarde tranquila num passeio na tradicional embarcação ou, para quem gosta mais de terra firme, trocar as canoas pela bicicleta e fazer um longo passeio à beira-ria. Ainda junto à costa atlântica, Ovar é o paraíso daqueles que estão sempre prontos para a festa, com um dos melhores carnavais do País. Mas esta zona também é conhecida pelo Museu Vivo do Azulejo, um material que decora inúmeras fachadas do centro da cidade, tornando-a num verdadeiro museu ao ar livre.

Do mar entramos para o interior da região, onde a ria se mistura com a beleza das serras. As estâncias termais de Curia e Vale da Mó são perfeitas para quem quer passar uns dias relaxantes a repor energias. Mas no município de Anadia há outro convite irrecusável: um bom almoço de leitão. Ainda neste tema, fica a dica para explorar o Espaço Bairrada, em Oliveira do Bairro, onde pode experimentar um vinho espumante de alta qualidade ou ainda conhecer as várias sugestões de bebidas pertencentes à Rota da Bairrada.

E já ouviu falar do AgitÁgueda? O festival local é um dos mais famosos da região, trazendo a arte para as ruas desta cidade desde o seu começo, em 2006. Música, arte urbana, espetáculos criativos e cheios de cor enchem Águeda durante mais de vinte dias no verão. Se quiser aproveitar, a edição deste ano decorre de 2 a 24 de julho, sendo a altura perfeita para conhecer a mítica rua com os chapéus coloridos que enche as redes sociais.

De novo no meio da natureza, as caminhadas são mesmo o melhor meio de transporte na serra. Neste que é o Percurso Verde, vale a pena explorar os diversos moinhos, muitos deles ainda em funcionamento, de Albergaria-a-Velha, e a belíssima zona de Sever do Vouga. Por aqui, aventurando-se num dos dez percursos do município, é possível chegar à Cascata da Cabreia, perfeita para mergulhos refrescantes no pico do verão em que o calor se faz sentir. Explorando a história local, na Aldeia dos Amiais vive-se ainda muita da tradição local, quase parecendo que viajámos no tempo — se por lá passar, não se esqueça de que esta faz parte da Rota da Lampreia e Vitela e espreite os restaurantes O Júnior e Cantinho da Eira.

A unir toda a região está o Percurso Dourado, o maior dos três, com mais de 230 quilómetros por descobrir, desde o mar ao interior. Também a tocar todos os percursos encontra-se a capital, Aveiro, conhecida como a Veneza portuguesa, graças à presença dos moliceiros no meio da cidade. Já percebeu que um passeio nestas embarcações é obrigatório, certo?

Principalmente aqui, mas possíveis de encontrar em toda a região, os ovos moles e tripas de Aveiro são a “recordação” ideal para levar desta cidade para a família, amigos ou colega. É impossível fazer má figura.

 

 

 

 

 

 

Este artigo foi escrito em parceria com a Comunidade Intermunicipal de Aveiro.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT