Viagens

Viajar de comboio: mais cidades europeias vão estar ligadas por novas rotas noturnas

Há quatro anos, rotas eram desativadas e vagões-cama vendidos. Com a pandemia tudo mudou — e a aposta vai ser outra.
É uma experiência inesquecível.

Do outro lado da pandemia vai estar um mundo diferente, já ninguém duvida. E entre as muitas reflexões que a situação impôs, uma das mais notórias teve a ver com o ambiente e com os excessos de tudo o que havia antes: em alguns casos de consumo, de pegada ecológica, até de viagens aéreas. 

É por isso natural e expectável que a retoma do turismo seja feita de outra maneira: há mais cidades a apostar em vias sem carros, num turismo menos de massas e mais sustentável, mais controlado, aprimorado e com menos poluição; e há regressos marcados a tradições que podem agora ganhar uma nova força, como a de correr o mundo de comboio.

Na Europa, um novo comboio com quartos tem agora lançamento previsto para 2022. Vai ligar, avança a “Lonely Planet“, Praga, Dresden, Berlim, Amesterdão e Bruxelas, somando-se a uma rede de novas rotas noturnas que estão a ser planeadas para todo o continente europeu.

De acordo com a revista, o novo comboio noturno da RegioJet e European Sleeper partirá no início da noite de Praga via Dresden e Berlim para Amesterdão e terminará em Bruxelas, onde chega pela manhã. Os comboios vão permitir que viaje tanto nos assentos como nos compartimentos-cama, e oferecerão acesso gratuito à Internet, pequeno-almoço, café gratuito e outros serviços. O transporte de bicicletas será permitido.

Além deste, a RegioJet planeia lançar um novo serviço de comboio noturno na rota de Praga via Przemyśl para Lviv ainda em 2021 e sabe-se agora que as empresas de ferrovia nacionais na Alemanha, Áustria, França e Suíça criaram uma parceria com um fundo de investimento de 697 milhões de euros para reativar vários serviços noturnos.

Entre as rotas previstas para lançar nos próximos quatro anos, destacam-se cinco: um novo serviço noturno entre Viena e Paris via Munique já no final de 2021; outro entre Zurique e Amesterdão, no início do próximo ano; e, nos meses seguintes, rotas entre Zurique e Roma; entre Viena e Paris via Berlim e Bruxelas; e entre Zurique e Barcelona.

À parte deste acordo, também a Suécia vai introduzir um novo serviço de comboio noturno internacional para a Alemanha e a Bélgica até 2022, ligando as cidades suecas a Hamburgo e Bruxelas.

Também em Portugal, soube-se no início de abril que o comboio Sud-Express, que vai da Lisboa a Paris, e o Lusitânia, que faz a mesma rota desviando para Madrid em Marina del Campo, desativados por causa da pandemia, poderão vir a ser reativados pelo nosso governo.

Finalmente, sobre estes regressos a Lonely Planet adianta uma curiosidade: há apenas quatro anos, a Deutsche Bahn, a ferrovia estatal da Alemanha, vendeu todos os seus vagões-cama, declarando-os não lucrativos devido ao baixo número de passageiros. Mas as mudanças climáticas e a pandemia vieram mudar a forma como viajamos, sendo que num mundo mais atento às alterações climáticas e com melhores ligações ferroviárias até já havia um primeiro prenúncio mesmo antes da Covid chegar: no verão de 2019, um comboio noturno low cost entre Praga e a costa croata foi um sucesso tal que esgotou todas as noites disponíveis e teve de criar mais.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT