Viagens

Certificado digital será gratuito e emitido em português e inglês

Pode ser solicitado por cidadãos nacionais e estrangeiros, com residência em Portugal.
Há três tipos de certificados.

Os certificados digitais da Covid-19 já se encontram em alguns países e estão em fase de testes. Ainda este verão serão implementados, passando a ser obrigatórios para quem quiser viajar no espaço da União Europeia.

A Direção-Geral da Saúde emitiu, na terça-feira, 15 de junho, uma orientação sobre o certificado digital. O documento “será gratuito e emitido em língua portuguesa e inglesa, podendo ser, nesta fase, solicitado por cidadãos nacionais e estrangeiros, com residência em Portugal e que sejam titulares do número de Utente do Serviço Nacional de Saúde”.

O Certificado contém informações pertinentes sobre a vacinação, teste ou recuperação e é emitido em formato digital. No entanto, pode não isentar os respetivos titulares do cumprimento de medidas adicionais de saúde pública no país de destino caso haja um agravamento da situação epidemiológica.

A DGS especifica as condições para os três tipos de certificado digital: um de vacinação, emitido após a administração de cada dose de vacinas contra a Covid-19 aprovadas na União Europeia, referindo se a pessoa apresenta, ou não, o esquema de vacinas completo; um certificado de teste, emitido após notificação no Sistema Nacional de Vigilância Epidemiológica (SINAVE) de resultado negativo em testes PCR durante 72 horas desde a data e hora de colheita; e finalmente um certificado de recuperação, este emitido entre os 11 e 180 dias após realização de teste laboratorial que confirmou o diagnóstico de infeção, a pessoas que já surjam com o estado “curado” na plataforma Trace-COVID-19.

O certificado vai poder ser utilizado nos países da União Europeia, incluindo para quem quer viajar para Portugal, bem como na Islândia, no Lichtenstein, na Noruega e na Suíça.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT