Viagens

Constança Porém: a portuguesa que visitou 8 países num mês de mochila às costas

Com o sonho de viajar pelo mundo, a jovem de 19 anos deixou o medo para trás e fez um interrail sozinha.
Constança tem 19 anos e é de Lisboa.

De mochila às costas e um sorriso na cara, a destemida jovem Constança Porém, de 19 anos, embarcou sozinha numa aventura pela Europa durante um mês inteiro. De Lisboa para o mundo, a viajante saiu do País no primeiro dia de abril para dar início ao interrail que a encheu de histórias, memórias e experiências. 

Após ter terminado o secundário no verão passado e ainda indecisa sobre o que seguir no futuro, Constança aproveitou para fazer uma pausa nos estudos e aventurou-se numa viagem que a levou a vários destinos europeus. “O meu sonho é visitar todos os países do mundo, portanto pensei que começar pela Europa seria um bom começo. Já tinha pensado em fazer esta viagem em 2020, mas entretanto tive de a adiar por causa da pandemia”, começa por contar à NiT a jovem viajante. 

Não ficou à espera de companhia e aventurou-se sozinha por terras desconhecidas, algo a que já estava habituada desde os 16 anos, quando foi morar para Londres durante três meses. Por não lhe terem dado equivalências para terminar o secundário na cidade inglesa, Constança regressou a Portugal, mas não por muito tempo. 

“Queria imenso ir para fora, queria ganhar algum dinheiro, então decidi ser au pair, que é basicamente alguém que vive na casa de uma família e ajuda a tomar conta das crianças”, diz. Há cerca de nove meses, apanhou novamente um avião em direção a Londres, onde ficou a tomar conta de três meninas.

Durante esse período, viajou por Inglaterra e chegou a apanhar um autocarro até Paris sozinha. Se a vontade de viajar pelo mundo já era forte, com todas estas experiências intensificou-se. Quando regressou a Portugal, em março desde ano, decidiu que não podia adiar mais o inevitável: juntar tudo numa mochila e partir à descoberta da Europa de comboio.

Simplicidade é a palavra que melhor descreve a jovem de Lisboa. Sem grandes planos e roteiros programados, comprou o passe que dá acesso aos transportes na Europa um dia antes de ir, escolheu os países que queria visitar e foi, como se costuma dizer, “ao sabor do vento”. As noites eram passadas em hosteis que marcava apenas um ou dois dias antes de ir para o destino. 

Constança Porém.

A falta de companhia não foi um problema para Constança Porém nem a impediu de seguir viagem. “Decidi ir sozinha porque realmente queria. Adoro viajar sozinha, sinto-me bem na minha companhia, tenho toda a liberdade do mundo e sinto que, por sair completamente da minha zona de conforto, acabo por crescer imenso”, sublinha a viajante. 

Apesar de ser uma experiência inesquecível, viajar sozinha também pode ser assustador. Estar num país desconhecido, onde se fala uma língua que não dominamos nem sempre é fácil. Ainda assim, a vontade de viajar e conhecer outras culturas sobrepuseram-se a todos os medos que poderiam existir. 

“Tive os receios normais, ouvimos sempre coisas horríveis, mas não acredito que seja só por sair do País que acontecem. Podia muito bem estar a andar em Lisboa e acontecer algo. Não deixo de fazer nada por medo, talvez até me deixe mais atenta e com mais cuidado”, diz. 

A viagem teve início a 1 de abril, sexta-feira, e o primeiro destino a riscar da lista foi Madrid, apesar de ter ido com umas amigas a um concerto na cidade espanhola. Três dias depois começou oficialmente a aventura sozinha. Seguiu para Barcelona, Paris, Amesterdão, Praga, Budapeste, Zagreb, Split, Liubliana, Milão, Lago Bled, Florença e terminou o interrail em Roma. Foram 13 cidades, oito países e um mês de viagem. 

Como qualquer aventura, os percalços existem e é praticamente impossível fugir deles. Planos foram alterados, viagens foram adiadas, mas no fim tudo acabou por correr bem. “Era suposto ficar em Barcelona durante dois dias, mas os bilhetes do autocarro passaram de 14€ para 100€. Como tinha um orçamento apertado isso estava completamente fora de questão e tive de mudar o plano mesmo à última da hora”, recorda. 

Apesar da experiência incrível, há sempre a parte menos boa das viagens que poucos mostram nas redes sociais, como o cansaço de andar um dia inteiro a pé com uma mochila às costas. “Não foi de todo uma viagem glamorosa, imaginem passar sete horas num autocarro no assento do meio sem espaço para as pernas, cheio de pessoas. Na maioria das vezes nem podia rebaixar o banco”.

Com a mochila às costas.

Além de se “sentir limitada por não querer sair sozinha à rua durante a noite”, outra dificuldade que sentiu foi ter de lidar com todo o stress sozinha, como quando tinha dois comboios para apanhar e, se um deles se atrasasse, era obrigada a ficar horas à espera sem companhia. Ainda assim, admite que tudo faz parte da experiência e não mudava absolutamente nada. 

Mais do que conhecer outros países na Europa, o “melhor das viagens são sem dúvida as pessoas”. “Conheci imensas pessoas com histórias incríveis de, literalmente, todo o lado. Chegava a um hostel e conhecia logo pessoas da Austrália, China, Estados Unidos, Argentina, de todos os cantos do mundo”, recorda. Para a viajante, são as pessoas que tornam a experiência dez vezes melhor. 

Depois de um mês a viajar, escolher o momento mais marcante do interrail pode ser uma tarefa complicada. “Dar um mergulho no mar, na Croácia, ao pôr-do-sol, e andar de bicicleta em Roma com dois amigos às três da manhã enquanto ouvíamos músicas dos ABBA foram aqueles momentos em que senti que estava num filme e que nunca vou esquecer”.

Para todas as mulheres que sonham, assim como ela, viajar pelo mundo sozinhas, Constança aconselha a não se deixarem tomar pelo medo, até porque as coisas boas superam sempre as más. “Ter sempre atenção a tudo, ler os esquemas habituais de cada cidade antes de ir. Um bom truque é andar com um anel de noivado e, se alguém perguntar, dizemos que temos um irmão à nossa espera ou outra desculpa”, recomenda a jovem, que foi partilhando alguns vídeos da viagem na conta do Tik Tok.

@constanca__porem

I wish I could put every video that I took it was the best experience of my life 💘#interrail2022 #solofemaletraveler @constanca__porem

♬ making memories – Amyy🤍

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT