Viagens

Disney vai mudar o seu Jungle Cruise para retirar alegadas conotações racistas

A maneira como os nativos são representados será toda reformulada, adiantaram os executivos dos parques.
O Jungle Cruise.

O Jungle Cruise, uma das atrações originais (e mais populares) dos parques da Disney, vai sofrer uma remodelação. O objetivo? Erradicar todos e quaisquer aspetos alegadamente associados a racismo ou xenofobia, sobretudo relacionados com os indígenas norte–americanos, anunciou a gigante mundial.

Segundo a agência AP citada pela “PBS“, o passeio será repensado e reformulado por criadores da Disney, tanto no parque da Califórnia como no da Florida. O objetivo que lhes foi pedido é, mantendo o cruzeiro, que surjam com toda uma nova história e linha condutora do passeio, bem como novas personagens, que “reflictam e valorizem a diversidade do mundo ao nosso redor”, acrescentou a Disney.

A atração, que estreou na Disneylandia em 1955, foi criticada por retratar os indígenas animatrónicos como selvagens ou caçadores de talentos. O passeio leva atualmente os frequentadores do parque num passeio de barco, liderado por capitães, por entre cenas que representam rios cheios de animais na Ásia, África e América do Sul, com alguns personagens animatrónicos. 

Chris Beatty, da Walt Disney Imagineering, adiantou ser a hora de refrescar as atrações e abordar “representações negativas” de povos nativos ao longo das mesmas.

Esta não é a primeira alteração dos parques Disney por motivos relacionados com racismo ou discriminação subjacentes. No ano passado, foi reformulado o parque temático Splash Mountain devido ao seu tema de “Song of the South”, o filme de 1946 que muitos vêem como racista. Além disso , em 2017, os parques retiraram uma cena da atração Piratas das Caraíbas que representava mulheres em fila para um “leilão de noivas”.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT