Viagens

Famosos criticados por fazerem viagens de três minutos em jatos. “E o planeta?”

Kylie Jenner trocou 40 minutos de carro por um voo de três. Floyd Mayeather é outro recordista: apenas quatro minutos no ar.
Carro? Para quê?

Os incêndios devastadores alastram-se na maioria dos países, impelidos pelas incomuns vagas de calor que se tornam cada vez mais comuns. A comunidade científica aponta para os efeitos inevitáveis das alterações climáticas potenciadas pelas emissões de CO2. Porém, alguns famosos e multimilionários não parecem estar muito preocupados com isso.

Graças a uma conta no Twitter que regista todos os voos das celebridades nos seus jatos privados, as críticas têm-se acumulado e têm como alvo as estrelas que não trocam a rapidez dos aviões por outros meios de transporte menos poluentes. Estima-se que um por cento da população seja responsável por metade das emissões de carbono, adiantou um estudo realizado em 2018 pela Linnaeus University na Sucécia. Agora, as atenções viram-se para os famosos que teimam em viajar sempre em jatos privados altamente poluentes.

As emissões destes voos particulares são cada vez mais representativas e estão em crescimento — a uma taxa bem maior do que a poluição provocada pela aviação comercial. O registo feito pela conta Celebrity Jets é revelador. De acordo com os dados do voo, o jato que pertence ao pugilista Floyd Mayweather fez, a 17 de julho, um curto voo de apenas quatro minutos. Isso significa, segundo estimativas da Celebrity Jets, que nesse percurso foram gastos mais de 100 litros de combustível.

O recorde, contudo, parece pertencer a Kylie Jenner, que a 13 de julho terá feito uma viagem de três minutos entre Camarillo e Van Nuys, na Califórnia. O percurso, feito num automóvel, duraria cerca de 40 minutos. Pouparam-se, portanto, 37 minutos em viagens, mas a esse valor há que descontar a deslocação para o aeroporto, embarque e tempo em pista — o que diminuirá o tempo ganho na deslocação de jato, ao invés de carro.

A listagem da Celebrity Jets está recheada de outros exemplos, com voos que duram pouco mais de vinte minutos, nos jatos pertencentes a nomes como Oprah Winfrey, Steven Spielberg, Drake ou Jay-Z. A prática tem levado a que, nas redes sociais, muitos dos seguidores destas celebridades tenham optado por criticar o comportamento e a atitude de desprezo pelos hábitos pouco ambientais.

Os números não mentem. No mesmo estudo da universidade sueca, revela-se que apenas 11 por cento da população efetuou voos — privados ou comerciais — e que a grande percentagem das emissões de carbono da aviação pertence a uma pequena elite que faz voos frequentes.

Outro dado: as emissões com origem em jatos privados na Europa aumentou em cerca de 31 por cento entre 2005 e 2019. Outra comparação: se numa hora, um jato pode emitir duas toneladas de CO2, estima-se que em média, na Europa, uma pessoa seja responsável pela emissão de oito toneladas durante um ano inteiro.

Segundo a Transport & Environment, os jatos privados poluem cinco a 14 vezes mais do que os aviões comerciais por passageiro. E poluem 50 vezes mais do que um comboio. Os números são esclarecedores.

ÚLTIMOS ARTIGOS DA NiT

AGENDA NiT